Emissões de CO2 das refinarias de petróleo devem aumentar até 2030

 

refinaria

Emissões de CO2 das refinarias de petróleo devem aumentar até 2030

Um inventário global revelou que as emissões de CO2 das refinarias de petróleo foram de 1,3 Gigatoneladas (Gt) em 2018 e podem chegar a 16,5 Gt de 2020 a 2030.

Com base nos resultados, os pesquisadores recomendam estratégias distintas de mitigação para refinarias em diferentes regiões e faixas etárias. As descobertas foram publicadas na revista One Earth.

Por Cell Press*

“Este estudo fornece uma imagem detalhada da capacidade de refino de petróleo e das emissões de CO2 em todo o mundo”, disse Dabo Guan, da Universidade Tsinghua. “Compreender as tendências de desenvolvimento passadas e futuras da indústria de refino de petróleo é crucial para orientar a redução de emissões regionais e globais.”

A mudança climática é um dos desafios mais fundamentais que a humanidade enfrenta hoje, e a expansão contínua da infraestrutura de energia baseada em combustíveis fósseis pode ser um dos principais obstáculos para alcançar as metas do Acordo de Paris. A indústria de refino de petróleo desempenha um papel crucial na cadeia de abastecimento de energia e nas mudanças climáticas. A indústria de refino de petróleo é o terceiro maior emissor estacionário de gases de efeito estufa do mundo, contribuindo com 6% de todas as emissões industriais de gases de efeito estufa. Em particular, o CO2 é responsável por aproximadamente 98% dos gases de efeito estufa emitidos pelas refinarias de petróleo.

No novo estudo, Guan e seus colaboradores desenvolveram um inventário global disponível publicamente de emissões de CO2 de 1.056 refinarias de petróleo de 2000 a 2018.

As emissões de CO2 da indústria de refinaria foram de cerca de 1,3 Gt em 2018. Se todas as refinarias existentes e propostas operassem como usual, sem a adoção de quaisquer medidas de baixo carbono, eles poderiam emitir até 16,5 Gt de CO2 de 2020 a 2030. Com base nas conclusões, os autores recomendam estratégias de mitigação, como melhorar a eficiência da refinaria e atualizar tecnologias de processamento de óleo pesado, o que poderia reduzir as emissões globais cumulativas em 10% de 2020 a 2030. O inventário será atualizado e melhorado no futuro, à medida que mais e melhores dados se tornam disponíveis.

O estudo também mostrou que a produção média das refinarias globais de petróleo aumentou gradualmente de 2000 a 2018, em termos de barris por dia. Mas os resultados variaram de acordo com a faixa etária da refinaria . Especificamente, a capacidade média das refinarias novas, que são principalmente distribuídas na Ásia-Pacífico e no Oriente Médio, aumentou significativamente de 2000 a 2018, enquanto a capacidade média das refinarias com mais de 19 anos permaneceu estável. “Dadas as maiores emissões comprometidas ocasionadas pelo longo tempo de operação remanescente de refinarias jovens, há uma necessidade urgente para que essas refinarias adotem tecnologias de baixo carbono para reduzir seu CO2 Em relação às refinarias de meia-idade e velhas, melhorar a eficiência operacional, eliminar a capacidade atrasada e acelerar a atualização da configuração de refino são os principais meios para equilibrar a demanda crescente e reduzir as emissões de Co 2 ”, diz Guan .

Referência:

Adaptive CO2 emissions mitigation strategies of global oil refineries in all age groups
Tianyang Lei, Dabo Guan, Yuli Shan, Jing Meng, Qiang Zhang, Shu Tao
One Earth, Volume 4, ISSUE 8, P1114-1126, August 20, 2021
DOI: https://doi.org/10.1016/j.oneear.2021.07.009

 

Henrique Cortez *, tradução e edição.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 23/08/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top