Os oceanos do mundo podem absorver menos carbono no futuro

 

integrated ocean carbon research

Os oceanos do mundo podem absorver menos carbono no futuro

Os oceanos são um “sumidouro” vital de carbono – sem esses sumidouros naturais, os níveis de carbono atmosférico estariam agora perto de 600 partes por milhão (ppm), quase 50% mais alto do que os 410 ppm registrados em 2019.

University of Exeter*

O relatório reúne os conhecimentos mais recentes sobre o papel dos oceanos no ciclo do carbono e visa fornecer aos tomadores de decisão as informações necessárias para desenvolver políticas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas para a próxima década.

Publicado pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO, o relatório vem de uma equipe internacional que inclui três autores principais da Universidade de Exeter.

O professor Andrew Watson , do Instituto de Sistemas Globais de Exeter , disse: “Se, como esperamos, nos aproximarmos do zero líquido mais tarde neste século, é possível que parte do dióxido de carbono que o oceano anteriormente absorveu da atmosfera comece a ser liberado novamente.

“Não sabemos, nesta fase, o quão sério isso pode ser.”

O Dr. Jamie Shutler , baseado no campus Penryn da Universidade de Exeter em Cornwall, acrescentou: “Satélites, aprendizado de máquina e sistemas de medição automatizados, incluindo sistemas em andamento de navios e drones de superfície, desempenham um papel crítico na quantificação do carbono em nossos oceanos.

O Dr. Ute Schuster , da Universidade de Exeter, disse: “Os modelos numéricos não podem reproduzir de forma realista o ciclo do carbono do oceano, e uma vez que o papel do oceano para mitigar os impactos das mudanças climáticas continuará a mudar de maneiras que não podemos prever, precisamos coordenados globalmente observações in situ, com apoio financeiro sustentado de longo prazo.

“Este relatório descreve a razão subjacente para o projeto, e após a implementação, de uma rede de observação integrada eficiente e sustentada.”

O relatório destaca o papel do oceano desde a Revolução Industrial como um sumidouro de carbono gerado pela atividade humana.

Ele examina as observações e pesquisas disponíveis para determinar se os oceanos continuarão a absorver carbono ou se um dia poderão começar a emitir parte do carbono que armazenam.

No desenvolvimento do relatório, o IOC reuniu especialistas dos cinco programas internacionais de pesquisa e coordenação sobre interação oceano-clima, que trabalham juntos desde 2018 no Grupo de Trabalho do IOC sobre Pesquisa Integrada de Carbono Oceânico (IOC-R).

Juntos, eles propõem um programa inovador de pesquisa integrada de carbono oceânico de médio e longo prazo para preencher as lacunas neste campo.

O relatório foi desenvolvido como parte da Década das Ciências do Oceano para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (2021-2030).

Audrey Azoulay, Diretora-Geral da UNESCO, disse que esta é “uma oportunidade única de reunir todas as partes interessadas em torno de prioridades científicas comuns para fortalecer a ação sobre a mudança no ciclo de carbono do oceano”.

O relatório é intitulado: Integrated Ocean Carbon Research: A Summary of Ocean Carbon Knowledge and a Vision for Coordinated Ocean Carbon Research and Observations for the Next Decade .

Referência:

Integrated ocean carbon research: a summary of ocean carbon research, and vision of coordinated ocean carbon research and observations for the next decade
https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000376708

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 03/05/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top