Saiba o que pode destruir o esmalte do seu dente e quais as soluções

 

 

saúde

Saiba o que pode destruir o esmalte do seu dente e quais as soluções

O esmalte dentário é o tecido mais mineralizado do corpo humano e é um dos elementos que formam a arcada dentária. Ele é responsável por proteger a polpa dentária e a dentina, que são as partes mais sensíveis dos dentes. Essas duas estruturas têm terminações nervosas que precisam estar protegidas para não causar dor. O esmalte também é responsável pelo revestimento da coroa do dente, o que justifica sua grande resistência para proteger os outros tecidos dentários.

Por Flávia Vargas Ghiurghi

“Daí a importância de adotar bons hábitos e cuidar bem da higiene bucal, uma vez que a perda do esmalte pode trazer consequências irreversíveis”, salienta a Dra. Maria Geovânia Ferreira, dentista, membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE) e da Sociedade Brasileira de Toxina Botulínica e Implantes Faciais na Odontologia (SBTI), e professora assistente de anatomia facial no Miami Anatomical Research Center, Estados Unidos.

O que é a perda do esmalte do dente

A perda do esmalte do dente é resultado de um desgaste que ocorre devido a maus hábitos e o consumo de determinados alimentos.

“Nem sempre é possível identificar o problema no estágio inicial, pois, quando os sintomas começam a surgir, é porque já houve um grande desgaste dentário”, diz Maria Geovânia. O sintoma para o desgaste é a sensibilidade ao consumir doces e alimentos/bebidas quentes ou frios. “Quando o problema já está bastante avançado, o quadro de dores tende a piorar, podendo, inclusive, aparecer manchas e rachaduras”.

Quais são as principais causas

A perda do esmalte dentário tem diversas origens e afeta pessoas de todas as idades. Confira as principais causas:

– Escovação inadequada

Alguns hábitos durante a escovação causam prejuízo ao esmalte dentário. O uso de escovas de cerdas duras e o costume de colocar muita força durante a escovação agride o esmalte, causando desgaste ao longo do tempo.

– Uso de cremes dentais abrasivos

Os cremes dentais abrasivos, aqueles que prometem clarear os dentes, podem trazer danos ao esmalte dentário se usados durante muito tempo. “Opte por pastas que não causem atrito, preservando o tecido mineralizado”, pontua Maria Geovânia.

– Bruxismo

O bruxismo (ato involuntário de ranger e apertar os dentes) é outro causador da perda de esmalte dentário. Isso acontece devido ao atrito que ocorre entre a arcada dentária superior e inferior.

– Alimentação inadequada

O consumo excessivo de alimentos e bebidas açucarados e com grande teor de acidez alteram o PH natural da saliva, deixando a boca ácida e contribuindo para o desgaste do esmalte.

– Cáries

Quando um dente está com cárie, significa que está cheio de bactérias. Esses microrganismos produzem ácidos que, aos poucos, causam a desmineralização do esmalte dentário.

– Problemas na mordida

O desalinhamento dentário também contribui para o desgaste do esmalte dos dentes. “Pacientes com problemas na mordida são fortes candidatos a desenvolver o problema, já que o processo de mastigação é prejudicado, gerando a perda do mineral”, ressalta Geovânia.

– Refluxo gastroesofágico

Pacientes que sofrem de gastrite também podem sofrer com a erosão do esmalte dentário. Isso acontece porque o refluxo leva ácidos contidos no estômago para a boca, deixando a saliva ácida e contribuindo para o desgaste nos dentes.

– Maus hábitos

Pessoas que têm o hábito de morder tampas de caneta a abrir objetos com os dentes correm sério risco de prejudicar sua estrutura dentária.

Como tratar

Felizmente, é possível reverter o quadro da perda de esmalte e restaurar a estrutura dentária do paciente. O tratamento é feito de acordo com a causa do problema. Confira:

– Aplicação de flúor e uso de produtos específicos

Quando o problema está no estágio inicial, o dentista adotará medidas que ajudem no processo de mineralização dos dentes. “Nestes casos, a aplicação de flúor e o uso de pastas dentais específicas ajudam a reverter o quadro, reestabelecendo e fortalecendo a camada dentária”, diz Maria Geovânia.

– Restaurações, coroas e blocos

Quando o quadro de desgaste já está em estágio avançado e não há como remineralizar o dente, é preciso adotar medidas mais invasivas. Nesses casos, o dentista pode fazer uma restauração para devolver o formato do dente. Em casos mais graves, quando há uma perda muito grande do esmalte dentário, a melhor solução é o uso de coroas e blocos de porcelana.

– Uso de placas miorrelaxantes

Quando a causa do problema está relacionada ao bruxismo, o uso de placas miorrelaxantes é a melhor opção. As placas são confeccionadas em acrílico, acetado ou silicone, que devem ser usados durante o dia ou à noite para evitar que o problema se agrave.

– Laminados de porcelana

As facetas de porcelana e lentes de contato também são boas opções para tratar a perda do esmalte dentário. O procedimento é indicado para casos em que o problema já está muito extenso e a aparência do sorriso fica prejudicada. Além de devolver a estética do sorriso, essas peças cumprem perfeitamente as funções mastigatórias dos dentes.

Os laminados são peças finas confeccionadas de acordo com a arcada dentária do paciente. Eles são aderidos na parte externa dos dentes e o procedimento é simples, indolor e em poucas sessões o paciente sai do consultório com o sorriso renovado.

“A perda do esmalte do dente é um problema que prejudica a estética e a saúde do sorriso. Quando bem cuidadas, as facetas e lentes de contato duram por muitas décadas. Entretanto, isso dependerá dos hábitos e cuidados do paciente”, finaliza Maria Geovânia.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 09/02/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top