O debate sobre a natureza nunca foi tão forte

 

 

O debate sobre a natureza nunca foi tão forte

No ano de 2020, vimos o debate sobre a natureza em vários veículos de mídia. Não é para menos, as queimadas ao redor do mundo foram tão grandes que mesmo celebridades internacionais começaram a dar atenção para o assunto através das mídias sociais. O assunto foi de certa forma “abafado” por conta de um problema ainda maior, a pandemia de COVID-19. Assuntos comuns como aprenda a fazer uma resenha voltaram a tomar a mente dos estudantes. Independentemente disso, vamos tirar um momento para falar sobre a natureza, especialmente sobre o que aconteceu em 2020.

As queimadas na Amazônia

As queimadas na Amazônia existem desde o século passado. Elas estão relacionadas a práticas econômicas e supostamente a ongs. O que se sabe com certeza é que as queimadas são em grande parte propositais e motivadas por retorno financeiro. No ano de 2020, no mês de outubro, já havia sido registrado mais queimadas do que todo o ano de 2019, o que gerou alerta para muitas pessoas ao redor do mundo. Leonardo DiCaprio foi uma das estrelas internacionais a falar sobre o assunto publicamente e também chegou a criticar o presidente brasileiro pela forma como lidava com o assunto.

Os incêndios nos Estados Unidos da América

Os EUA sofrem com incêndios há anos. Em 2020, os incêndios tomaram proporções tão grandes que a fumaça chegou a ser vista na Europa. Em algumas regiões do Brasil, os incêndios são tão grandes que duram dias e movimentam milhares de bombeiros. O presidente Donald Trump, assim como o presidente Jair Bolsonaro no Brasil, minimizou os incêndios e disse que o clima iria esfriar. Tudo isso depois de pessoas terem morrido.

Existe alguma explicação para esses acontecimentos?

Há evidências que apontam que esses incêndios não seriam tão intensos sem o aquecimento que a humanidade causou durante a era industrial. Isto é, a humanidade tem sua parcela de culpa. É claro que a falta de ação de alguns líderes só piora a situação.

O que foi feito até então?

O Governo brasileiro chegou a lançar uma campanha contra as queimadas tanto na Amazônia quanto no pantanal. Mas esse mesmo Governo chegou a suspender operações contra o desmatamento. No que diz respeito aos EUA, é importante notar que os Estados americanos tem uma autonomia maior do que os brasileiros. Os Governadores são peças chave no que diz respeito aos incêndios. O Presidente dos EUA, chegou a minimizar esses problemas afirmando que o clima iria esfriar, enquanto que por meio de pronunciamentos oficiais, o Governo americano afirmou estar profundamente preocupado.

O problema com a “solução” apresentada por alguns

Transformar a Amazônia em patrimônio da humanidade já foi sugerido até pelo mercado da educação. O problema com isso é que abre as portas para grupos de vários lugares do mundo. A exploração da riqueza da Amazônia é um verdadeiro problema. Facilitar o acesso de estrangeiros pode acabar trazendo mais problemas.

Os incêndios e a pandemia

Os incêndios acabam gerando a evacuação de pessoas. Essas pessoas tem que procurar abrigos compartilhados para se abrigar. O que é um verdadeiro problema em tempos de pandemia. Esse é um problema ainda maior nos EUA, pois os incêndios lá são em áreas urbanas, ao contrário do Brasil, onde temos incêndios em áreas inóspitas.

Considerações finais

O mais preocupante de toda esta situação é o fato de que nada foi feito para garantir que momentos como esse não aconteçam novamente no futuro.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 28/12/2020

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

CONTEÚDO SUGERIDO / PUBLICIDADE



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top