Uso intensivo de fertilizantes nitrogenados ameaça o clima

 

Uso intensivo de fertilizantes nitrogenados ameaça o clima

Uso de fertilizantes nitrogenados na agricultura causa aumento na concentração de óxido nitroso na atmosfera

Karlsruhe Institute of Technology*

A concentração de óxido de dinitrogênio – também conhecido como óxido nitroso – na atmosfera, aumenta fortemente e acelera as mudanças climáticas. Além de CO2 e metano, é o terceiro importante gás de efeito estufa emitido por atividades antrópicas.

As emissões de óxido nitroso de origem humana são causadas principalmente pelo uso de fertilizantes na agricultura. A crescente demanda por alimentos e rações no futuro pode aumentar ainda mais as emissões. Esta é uma constatação de um estudo internacional publicado na Nature, do qual o Karlsruhe Institute of Technology (KIT) era um dos parceiros. (DOI: 10.1038 / s41586-020-2780-0)

O óxido de dinitrogênio (N2O), também chamado de óxido nitroso, é cerca de 300 vezes mais prejudicial ao clima do que o dióxido de carbono. Permanece cerca de 120 anos na atmosfera. Embora exista apenas na forma de vestígios, tem um efeito estufa muito forte e contribui de forma superproporcional para as mudanças climáticas antropogênicas. A concentração de óxido nitroso na atmosfera hoje já é cerca de 20% superior ao valor pré-industrial. Nas últimas décadas, o aumento acelerou devido às emissões de várias atividades antrópicas. No total, as emissões mundiais de N2O em 2016 foram cerca de dez por cento maiores do que na década de 1980. Um estudo internacional coordenado por pesquisadores da Auburn University no Alabama / EUA agora apresenta a avaliação mais abrangente de todas as fontes e sumidouros de óxido nitroso até agora. Sob o título “Uma quantificação abrangente das fontes e sumidouros globais de óxido nitroso”, agora é relatado na Nature. A conclusão: Como resultado do forte aumento das emissões de óxido nitroso, os objetivos climáticos do Acordo de Paris estão em jogo.

“O aumento da concentração de óxido nitroso na atmosfera é causado principalmente pelo uso de fertilizantes contendo nitrogênio. Isso inclui fertilizantes sintéticos e fertilizantes orgânicos de excreções animais ”, diz o pesquisador de ecossistemas Almut Arneth, professor da Divisão de Pesquisa Ambiental Atmosférica do Instituto de Meteorologia e Pesquisa Climática (IMK-IFU) do KIT, Campus Alpine em Garmisch-Partenkirchen. Ela participou do estudo. “De 2007 a 2016, a produção agrícola causou cerca de 70% do aumento global antropogênico nas emissões de N2O desde a década de 1980”. À medida que a demanda global por alimentos e rações está crescendo, os pesquisadores temem que também a concentração global de N2O aumente ainda mais e contribua para o aquecimento global.

Emissões de N2O diminuíram na Europa

De acordo com o estudo, as emissões antropogênicas de óxido nitroso são maiores no Leste e Sul da Ásia, África e América do Sul. Os aumentos são particularmente altos em países do limiar, como China, Índia e Brasil, onde o cultivo de safras e a pecuária cresceram fortemente. Na Europa, ao contrário, as emissões antropogênicas de N2O diminuíram, tanto na agricultura quanto na indústria química. Os cientistas explicam essa diminuição por vários incentivos e medidas de proteção. A agricultura em muitos países da Europa Ocidental começou a usar o nitrogênio de forma mais eficiente para reduzir a poluição da água, entre outros. “Nosso trabalho fornece uma compreensão profunda do orçamento do N2O e seus impactos no clima”, explica Arneth. “Mostra também que há formas de reduzir as emissões, como medidas na agricultura que dizem respeito tanto à produção quanto ao consumo.

57 cientistas de 48 instituições de pesquisa em 14 países estiveram envolvidos no estudo “Uma quantificação abrangente das fontes e sumidouros globais de óxido nitroso”, administrado pelo professor Hanqin Tian, ??da Auburn University. O estudo foi feito no âmbito do Global Carbon Project e da International Nitrogen Initiative.

 

Orçamento mundial de N2O de 2007 a 2016
Orçamento mundial de N2O de 2007 a 2016: As fontes antropogênicas são coloridas em laranja. (Gráficos: Tian et al. 2020, Nature; Global Carbon Project, International Nitrogen Initiative)

 

Referência:

Hanqin Tian et al.: A comprehensive quantification of global nitrous oxide sources and sinks. Nature, 2020. DOI: 10.1038/s41586-020-2780-0. https://www.nature.com/articles/s41586-020-2780-0

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 20/10/2020

 

CONTEÚDO SUGERIDO / PUBLICIDADE



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top