Arborização urbana e o Projeto Cuiabá Mais Verde

 

artigo

Arborização urbana e o Projeto Cuiabá Mais Verde

Artigo de Juacy da Silva

[EcoDebate] Dentro de um mês, aproximadamente, quando ocorrerá a primeira reunião das pessoas que atenderam ao chamamento, da idealizadora do projeto, a amiga SILVIA MARA DE ARRUDA, para unirmos nossos esforços, nossas ideias e ideais e, buscarmos, juntos/juntas, mobilizar outras pessoas, entidades e segmentos de nossa Capital, para que CUIABÁ possa, de fato, SER UMA CIDADE MAIS VERDE, merecedora de um título perdido ao longo de tantas décadas de descaso, de desmatamento, de queimadas urbanas e de destruição de milhares e milhares de árvores frondosas que existiam em nossas ruas, avenidas, praças e também nos quintais cuiabanos, no dia 21 DE SETEMBRO DE 2021, comemoraremos mais um DIA DA ÁRVORE.

Além dos esforços visando a elaborar, em todos os seus detalhes, um projeto para nortear nossas ações futuras e também estimular e motivar outras iniciativas semelhantes `as nossas, como Igrejas, Associações de moradores de bairros, Órgãos públicos, Escolas, universidades, ONGs, Entidades sindicais, ou de representação classista e fiscalização profissional, precisamos pressionar, marcar em cima, sugerir, cobrar como cidadãos e cidadãs, e CONTRIBUINTES, munícipes que somos,  que nossos governantes municipais, organismos públicos, principalmente a Câmara de Vereadores e a Prefeitura Municipal de Cuiabá, cumpram com os ditames das normas de planejamento urbano, com o PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO DE CUIABÁ, aprovado pela Lei Complementar 150, de 29 de Janeiro de 2007 e também com as normas e requisitos ambientais, para que Cuiabá possa ter, um PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE ARBORIZAÇÃO URBANA, com horizontes de curto, médio e longo prazos.

Curto prazo neste sentido é a duração de uma gestão municipal, médio prazo duas gestões e longo prazo tres gestões.

A Lei Complementar que define o Plano Diretor de Desenvolvimento Estratégico de Cuiabá, articulada e elaborada de forma participativa pelo IPDU e aprovado por unanimidade pela Câmara Municipal de Cuiabá e sancionada pelo Prefeito de então, contém 20 artigos com diretrizes específicas para as diversas áreas de atuação da Municipalidade, cabendo destaque para o Artigo 12 onde estão as DIRETRIZES ESPECÍFICAS para a área do MEIO AMBIENTE, incluindo a questão da ARBORIZAÇÃO URBANA.

Lamentavelmente, já se passaram mais de 13 anos e pouca coisa foi implementada pela Prefeitura, parece que sucessivos prefeitos e vereadores simplesmente ignoram a existência e vigência desta Lei tão importante e com frequência surgem as improvisações , obras e serviços, verdadeiros elefantes brancos que serviram apenas para sugarem preciosos recursos públicos tanto da Prefeitura quanto do Tesouro Estadual, `a semelhança desta VERGONHA NACIONAL que é o VLT, onde mais de um BILHÃO de reais foram jogados fora, alimentando, inclusive a corrupção e para concluir, se é que um dia esta obra vai ser concluída, serão necessários talvez mais de um bilhão de reais.

Dentro de três meses teremos eleições municipais de novo, quando serão escolhidos Prefeitos e Vereadores para um mandato que vai se iniciar em 01 de Janeiro de 2021 e terminará em 31 de Dezembro de 2024; precisamos lutar arduamente, não apenas para fazermos algo de concreto como cidadãos, plantando , não sei quantas árvores, o que não deixa de ser importante, `a semelhança do beija-flor que com seu minúsculo bico tentava ajudar a apagar a queimada; mas precisamos mais do que isto, estimular, induzir e pressionar, cobrar para que esta nova gestão que vai se iniciar dentro de poucos meses, tenha um PLANO DIRETOR DE ARBORIZAÇÃO DE CUIABÁ, com horizonte, objetivos e metas para, pelo menos mais duas ou três gestões.

Ou seja, se durante 12 anos a Prefeitura de Cuiabá, tiver um plano de longo prazo, em que uma gestão dê continuidade ao que as anteriores iniciaram, evitando obras e serviços paralisados , gastos perdulários e a corrupção continuem , como temos visto Brasil afora, digo, se a próxima gestão conseguir elaborar, detalhar e implementar um PLANO DIRETOR DE ARBORIZAÇÃO, no contexto do PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO DE CUIABÁ, com metas de, digamos UM MILHÃO DE ÁRVORES  por ano, dentro de pouco mais de uma década, em 2032, CUIABÁ poderá se orgulhar de ter plantado 12 MILHÕES DE ÁRVORES e, ai sim, poderemos ter a certeza de que também, `a semelhança de tantas outras cidades brasileiras, seremos UMA CIDADE, UMA OU TALVEZ A CAPITAL MAIS ARBORIZADA DO BRASIL.

Aqui cabe uma ressalva ou alerta, não basta ter o plano diretor apenas no papel, para enfeitar armários de gabinetes, é preciso implementá-lo, e nesta implementação precisamos de um setor específico que coordene, articule e controle as ações, inclusive os cuidados técnicos para que as árvores plantadas obedeçam a critérios técnicos e cuidados que todas  exigem, evitando, inclusive a ação de vândalos ou de inimigos do meio ambiente, cujo prazer é promover e ver sempre um cenário de TERRA ARRASADA.

A execução de um PLANO DIRETOR DE ARBORIZAÇÃO URBAN deve ser compartilhado entre a Prefeitura e todas as demais organizações não governamentais e grupos de pessoas, como nosso grupo que estamos denominando de PROJETO CUIABÁ MAIS VERDE.

Só assim, podemos avançar, somar forças e esforços, recursos humanos , tecnológicos e financeiros , onde todos terão um mesmo e grande objetivo: TORNAR CUIABÁ UMA CIDADE E UMA CAPITAL MAIS VERDE, coerente com a necessidade de colocar no centro das ações públicas e privadas este novo paradigma do desenvolvimento de que tanto tem falado o PAPA FRANCISCO, quando, na Encíclica “LAUDATO SI”, a chamada ENCÍCLICA VERDE, onde o meio ambiente está intimamente ligado ao bem-estar físico, material, econômico, cultural e social das pessoas que vivem em uma cidade, em um estado, em um país, enfim,  “somos todos cidadãos do mundo”, onde “tudo está interligado”.

Este é o grande significado que podemos dar ao que muita gente não tem dado valor que são as árvores e em um contexto urbanístico a importância da ARBORIZAÇÃO URBANA, integrando todas as dimensões do espaço físico, cultural, econômico e politico das cidades.

Em tempos de mudanças climáticas, de queimadas urbanas e rurais, de poluição terrível do ar, que tanto afetam a saúde da população, `as ondas de calor, `as alterações do regime de chuvas, a morte de córregos e rios, como acontece com a Bacia do Rio Cuiabá, de desastres naturais, como enchentes em áreas urbanas e rurais, plantar árvores, reflorestar e ARBORIZAR as cidades é mais do que importante, é algo imperioso, vital, que não podemos negligenciar.

Se assim não acontecer, nossas cidades, inclusive Cuiabá, a outrora CIDADE VERDE, não conseguirão oferecer as condições necessárias e básicas para que a população possa desfrutar de um mínimo de bem-estar e felicidade!

ARBORIZAÇÃO URBANA é uma forma de contribuirmos para a construção de cidades sustentáveis, cidades verdes, cidades inteligentes, cidades acolhedoras enfim, um MUNDO MELHOR, a partir de nossa realidade imediata!

JUACY DA SILVA, professor titular e aposentado UFMT, sociólogo, mestre em Sociologia, colaborador de alguns veículos de comunicação. Email profjuacy@yahoo.com.br Twitter@profjuacy

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 03/09/2020

 

Para pesquisar mais sobre este tema ou outros, use a ferramenta de pesquisa

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top