Aquecimento global ameaça o carbono ‘estocado’ em solos de florestas tropicais

 

Aquecimento global ameaça o carbono ‘estocado’ em solos de florestas tropicais

Bilhões de toneladas de dióxido de carbono podem ser perdidos na atmosfera devido aos solos das florestas tropicais serem significativamente mais sensíveis às mudanças climáticas do que se pensava anteriormente.

University of Edinburgh*

Bilhões de toneladas de dióxido de carbono podem ser perdidos na atmosfera devido aos solos das florestas tropicais serem significativamente mais sensíveis às mudanças climáticas do que se pensava anteriormente.

As emissões de carbono dos solos das florestas tropicais – que armazenam um quarto do carbono do solo mundial – podem aumentar dramaticamente se as temperaturas continuarem subindo de acordo com as previsões atuais, dizem os pesquisadores.

Um novo experimento conduzido no Panamá sugere que essas emissões prejudiciais de carbono do solo podem aumentar em 55% se o clima esquentar quatro graus Celsius.

Emissões extras

O dióxido de carbono é liberado naturalmente pelo solo por meio da decomposição e da atividade das raízes das plantas. No entanto, a liberação de tanto dióxido de carbono extra – que o estudo descobriu ser proveniente do aumento da decomposição da matéria orgânica do solo – pode desencadear um aquecimento global ainda maior.

Pesquisas anteriores mostraram que o aumento das temperaturas ameaça liberar carbono preso em solos mais frios ou congelados – como na tundra ártica.

Até agora, os solos tropicais eram considerados menos sensíveis aos efeitos do aquecimento do clima.

Experimento de floresta

Uma equipe liderada por pesquisadores da Universidade conduziu um experimento em grande escala em uma floresta tropical na Ilha Barro Colorado, no Canal do Panamá.

Eles construíram dispositivos de aquecimento e os enterraram um metro no solo da floresta. Durante dois anos, o equipamento – equipado com cabos de aquecimento e termostato – manteve as áreas experimentais quatro graus mais quentes do que o solo ao redor.

As descobertas mostram que até oito toneladas extras de carbono do solo podem ser liberadas como dióxido de carbono de cada hectare de floresta tropical a cada ano nas temperaturas mais altas.

As altas emissões de carbono do solo aquecido da floresta tropical diferem das expectativas e indicam a necessidade de reexaminar as previsões atuais.

Professor Patrick MeirSchool of GeoSciences e Australian National University

Impacto de longo prazo

Os pesquisadores esperam que a taxa de emissões diminua eventualmente nos solos experimentalmente aquecidos, mas eles ainda não sabem quanto tempo isso levará, ou o impacto de longo prazo do aquecimento do solo nas mudanças climáticas.

Eles continuarão o experimento – conhecido como Experimento de Aquecimento do Solo na Floresta Tropical das Terras Baixas, ou SWELTR – para entender melhor como as florestas tropicais respondem ao aquecimento global.

Os resultados demonstram a alta sensibilidade desses ecossistemas ao aquecimento. Deve ser um alerta para que tomemos medidas para mitigar as mudanças climáticas e preservar as florestas tropicais, que são um dos componentes mais importantes do ciclo do carbono da Terra.

Dr. Andrew NottinghamEscola de Geociências

O estudo, publicado na revista Nature, também envolveu pesquisadores do Smithsonian Tropical Research Institute (STRI) do Panamá e da Australian National University (ANU).

Foi financiado pela União Europeia e pelo Natural Environment Research Council, o Smithsonian Institution e STRI, e ANU-Biology.

Referência:

Nottingham, A.T., Meir, P., Velasquez, E. et al. Soil carbon loss by experimental warming in a tropical forest. Nature 584, 234–237 (2020). https://doi.org/10.1038/s41586-020-2566-4

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

Da University of Edinburgh, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 13/08/2020

 

Para pesquisar mais sobre este tema ou outros, use a ferramenta de pesquisa

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top