Impacto potencial de medicamentos na qualidade da água

 

medicamentos

 

Quando as pessoas tomam medicamentos, esses medicamentos e seus metabólitos podem ser excretados e chegar às estações de tratamento de águas residuais. A partir daí, os compostos podem acabar em cursos d’água.

American Chemical Society (ACS)*

As águas residuais de empresas farmacêuticas podem começar com quantidades ainda maiores dessas substâncias. Na Environmental Science & Technology, da ACS, os pesquisadores relatam que uma única instalação de fabricação farmacêutica pode estar influenciando a qualidade da água de um dos rios mais importantes da Europa.

As águas residuais de residências e locais de fabricação de produtos farmacêuticos geralmente vão para as estações de tratamento. Alguns dos compostos na água podem ser biologicamente ativos, tóxicos ou persistentes, mas as estações de tratamento nem sempre conseguem remover todas as substâncias antes que a água tratada seja descarregada em córregos ou rios.

Pouco se sabe sobre a extensão da contaminação da água pela indústria farmacêutica, em parte porque as empresas geralmente não divulgam detalhes sobre suas atividades de fabricação ou as identidades dos compostos que utilizam. Heinz Singer e colegas do Instituto Federal Suíço de Ciência e Tecnologia Aquática (conhecido como Eawag) queriam comparar compostos em águas residuais descarregadas de duas estações de tratamento perto do rio Reno na Suíça: aquela que recebe apenas águas residuais domésticas (de residências e pequenas negócios)

Durante três meses, a equipe coletou amostras diárias de águas residuais tratadas e analisou as substâncias nelas, usando espectrometria de massa de alta resolução. Como a indústria farmacêutica normalmente produz lotes individuais de medicamentos separados pelo tempo, os pesquisadores procuraram compostos que mostrassem grandes variações. Eles encontraram mais desses compostos altamente variáveis na água residual industrial do que da residencial.

A equipe identificou 25 compostos como substâncias relacionadas à indústria farmacêutica, incluindo antidepressivos e opióides, e seus níveis de pico eram muito mais altos na água da estação de águas industriais do que na usina que tratava apenas águas residuais domésticas. Os pesquisadores também detectaram várias dessas substâncias a mais de 100 quilômetros a jusante do rio Reno

Referência:
Assessing Emissions from Pharmaceutical Manufacturing Based on Temporal High-Resolution Mass Spectrometry Data
Sabine Anliker, Martin Loos, Rahel Comte, Matthias Ruff, Kathrin Fenner, and Heinz Singer
Environmental Science & Technology Article ASAP
DOI: 10.1021/acs.est.9b07085
https://doi.org/10.1021/acs.est.9b07085

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 27/03/2020

[cite]

 

PUBLICIDADE




 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

2 comentários em “Impacto potencial de medicamentos na qualidade da água

Comentários encerrados.

Top