Emergência Climática: Crianças devem suportar na saúde os efeitos negativos da mudança climática

Onda de calor na Europa, junho de 2019

 

Os efeitos sombrios que a mudança climática terá sobre os resultados da saúde pediátrica foram o foco de um artigo do “Viewpoint”, publicado no Journal of Clinical Investigation, por Susan E. Pacheco, MD, especialista no Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas em Houston ( UTHealth )

Por Wendi Hawthorne * **

Pacheco, professora associada de pediatria da McGovern Medical School da UTHealth, juntamente com professores da Johns Hopkins Medicine e da George Washington University, escreveu uma série de artigos que detalham como o aumento da temperatura devido às mudanças climáticas afetará negativamente a saúde da humanidade. No artigo de autoria de Pacheco, ela mostra os efeitos surpreendentes que a crise tem na saúde das crianças antes mesmo de elas nascerem.

Pacheco aponta para uma pesquisa publicada pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas , que destaca várias maneiras pelas quais os seres humanos experimentam efeitos adversos à saúde decorrentes das mudanças climáticas, como aumento da mortalidade e morbidade devido a ondas de calor e incêndios, aumento do risco de doenças transmitidas por alimentos e pela água e desnutrição devido à escassez de alimentos.

Essas experiências negativas trazem consigo traumas psicológicos e problemas de saúde mental que podem afetar as crianças e seus cuidadores. Pacheco escreveu que, depois do furacão Maria em 2017, muitos adultos em Porto Rico experimentaram transtorno de estresse pós-traumático, depressão e ansiedade por semanas e meses sem acesso a itens como água potável, eletricidade e cuidados médicos básicos.

“Alguns não foram capazes de atender às demandas físicas e emocionais que esse desastre impôs a seus filhos”, escreveu Pacheco.

Os efeitos negativos à saúde infligidos pela crise climática podem começar enquanto a criança ainda está no útero, devido ao estresse materno, má nutrição, exposição à poluição do ar e exposição a eventos climáticos extremos causados pelas mudanças climáticas. Estudos de mulheres que sofreram grandes eventos de inundação durante a gravidez relataram uma associação com resultados como parto prematuro e baixo peso ao nascer. Pacheco escreveu que as mulheres grávidas expostas às mudanças climáticas sofrem de estresse, doenças respiratórias, má nutrição, aumento de infecções, doenças associadas ao calor e pobreza.

“Continuaremos a ver um aumento nas condições associadas ao calor em crianças, como asma, doença de Lyme, bem como um aumento nos defeitos cardíacos congênitos “, disse Pacheco.

Pacheco escreveu que o quadro pintado por pesquisas sobre mudanças climáticas é assustador e agora não é hora de indiferença. Na conclusão do artigo, ela escreveu que todos na comunidade médica devem refletir em nível pessoal sobre o que pode ser feito com o conhecimento que têm sobre as mudanças climáticas e seus efeitos negativos à saúde.

Referência:

Catastrophic effects of climate change on children’s health start before birth
Susan E. Pacheco
Published January 13, 2020
J Clin Invest. 2020. https://doi.org/10.1172/JCI135005.

 

* Com informações da University of Texas, Health Science Center at Houston (UTHealth)

** Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 28/01/2020

Emergência Climática: Crianças devem suportar na saúde os efeitos negativos da mudança climática, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 31/01/2020, https://www.ecodebate.com.br/2020/01/31/emergencia-climatica-criancas-devem-suportar-na-saude-os-efeitos-negativos-da-mudanca-climatica/.

 

PUBLICIDADE / CONTEÚDO RELACIONADO



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Deixe uma resposta

Top