Geradores elétricos solares registram queda de preço no Brasil em 2019

energia solar
Telhados solares’. Minha Casa Minha Vida, em Juazeiro. Foto Caixa

Por: Ruy Fontes – Agência #movidos

A popularização dos sistemas de energia solar no Brasil trouxe queda média de 8,6% em seus preços finais nos primeiros sete meses de 2019, segundo o estudo do segmento solar distribuído da empresa de pesquisa Greener.

O preço do serviço de instalação foi o que registrou a maior redução, de 16%, sinal da competitividade entre as mais de 10 mil empresas de energia solar espalhadas pelo país.

A queda média dos kits fotovoltaicos, compostos das placas solares, inversores e demais equipamentos, acumulou redução média de 4%.

Com 55.505 mil conexões até o final de setembro, o segmento de geração distribuída apresenta outro ano recorde no Brasil em 2019, puxado pela tecnologia das placas fotovoltaicas.

Os dados são da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) que, em 2012, homologou as regras que permitiram a geração de energia pelos próprios consumidores.

Desde então o número de conexões subiu exponencialmente a cada ano, incentivado por linhas de financiamento e a consequente queda nos preços da fotovoltaica.

Hoje, um sistema residencial de pequeno porte, por exemplo, sai em torno de R$12 mil, cerca de 330% a menos que o preço registrado em 2017.

Cada sistema, entretanto, é dimensionado de acordo com a necessidade elétrica e características do imóvel, razão pela qual existem calculadoras para precificar o preço de cada projeto.

Trata-se de um simulador energia solar, que estima o valor e tamanho do projeto para que o consumidor possa ter uma ideia do seu sistema antes de solicitar o orçamento final.

Outra vantagem da queda dos preços da tecnologia solar, em conjunto com o aumento no preço da energia da rede, foi a redução no tempo de retorno do investimento nos sistemas.

Segundo o estudo da empresa de energia Comerc, o chamado Payback da energia solar, hoje, é de 3,5 anos para sistemas residenciais e 5,8 anos para sistemas comerciais.

Comparado à vida útil de 25 anos da tecnologia, esses prazos se tornam grandes atrativos para quem deseja gerar sua própria energia através de placas solares.

Somado a economia de até 95% na conta de luz e demais vantagens, é esperado que o número de sistemas siga crescendo e chegue a 886.700 até 2024, de acordo com a estimativa da Aneel.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 04/10/2019

Geradores elétricos solares registram queda de preço no Brasil em 2019, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 4/10/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/10/04/geradores-eletricos-solares-registram-queda-de-preco-no-brasil-em-2019/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Deixe uma resposta

Top