Fórum do Meio Ambiente e Câncer da Criança culmina com a Declaração dos Direitos Ambientais da Criança

crianças cuidando do planeta

Por Mariana Prado

O Fórum “Meio Ambiente e Câncer da Criança” realizado no dia 16 de setembro no Centro Infantil Boldrini (Campinas-SP) trouxe à discussão as recentes pesquisas relacionando as interferências de poluentes do meio ambiente na saúde da criança. Mas muito mais do que apresentar números e dados estatísticos, o evento buscou ações práticas para enfrentar a realidade demonstrada: criou o Grupo de Defesa dos Direitos da Criança à Saúde Ambiental e formulou a Declaração dos Direitos Ambientais da Criança.

Segundo o médico e pesquisador do Centro Infantil Boldrini, Pedro Campos Lima, um dos organizadores do Fórum, o documento é simples, mas essencial na garantia dos direitos das crianças de hoje e das futuras gerações. “É uma declaração não só do Brasil, mas em nome das crianças do mundo todo e voltada para o futuro”, alertou antes de tornar o documento público.

A Declaração dos Direitos Ambientais da Criança contém seis parágrafos, que segundo os pesquisadores presentes no Fórum e o Grupo formado, propiciam a segurança da saúde das crianças.

Para a presidente do Boldrini, Dra. Silvia Brandalise, as ações do Grupo criado no Fórum, que tem participantes de diversos segmentos da sociedade brasileira e internacional, não vão se restringir ao evento. “O Grupo deve se reunir por conferências eletrônicas, conversar e determinar ações para lidar com a realidade e proteger as crianças de produtos químicos e poluentes ambientais. Se algo não for feito, de imediato, a situação de contaminações, incidência de doenças  relacionadas aos poluentes do meio ambiente só irá piorar. Hoje nosso ambiente, e por isso entenda-se ar, terra, água, alimentos e tudo que circunda os seres humanos e animais, está sendo sistematicamente contaminado pela ação humana, com agrotóxicos e produtos químicos, por exemplo. E isso foi comprovado pelas diversas apresentações no Fórum. Passou da hora da sociedade se conscientizar e agir”, disse.

Os interessados em saber mais sobre a Declaração ou sobre o Grupo, podem encaminhar mensagens ao endereço eletrônico: cerag@boldrini.org.br.

Conheça na íntegra a Declaração dos Direitos Ambientais da Criança

 I. Todo ser humano tem o direito de não ser exposto dentro do útero a fatores ambientais perigosos que possam afetar sua saúde física e mental.

II. Toda criança deve ter acesso a alimentos, água e ar sem contaminantes que possam comprometer sua saúde agudamente ou a longo prazo.

III. Um ambiente local saudável, desprovido de qualquer risco físico, químico, biológico ou psicológico identificado ou suspeito deve ser fornecido a todas as crianças em casa, nas áreas de recreação e na escola.

IV. As crianças têm o direito de viver num planeta Terra limpo, onde haja uma abordagem sustentável dos recursos naturais, consciência responsável do impacto humano sobre o clima e respeito pela biosfera e sua biodiversidade.

V. As crianças das próximas gerações devem ser protegidas, encorajando aquelas de hoje a levar à idade adulta o compromisso de lutar pelos Direitos Ambientais de seus próprios filhos.

VI. Os Princípios da Precaução e da Prevenção devem sempre ser aplicados aos Direitos Ambientais das crianças.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 30/09/2019

Fórum do Meio Ambiente e Câncer da Criança culmina com a Declaração dos Direitos Ambientais da Criança, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 30/09/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/09/30/forum-do-meio-ambiente-e-cancer-da-crianca-culmina-com-a-declaracao-dos-direitos-ambientais-da-crianca/.

 

PUBLICIDADE / CONTEÚDO RELACIONADO



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top