Uvas para vinho da Borgonha contam história climática e mostram aquecimento acelerado nos últimos 30 anos

 

Uma série recém-publicada de datas de colheita de uvas, cobrindo os últimos 664 anos, é a mais recente linha de evidência que confirma a mudança do clima nos últimos 30 anos

European Geosciences Union*

O registro mostra que as uvas para vinho na Borgonha, no leste da França, foram colhidas 13 dias antes, em média, desde 1988, do que nos seis séculos anteriores, apontando para o clima mais quente e seco da região nos últimos anos. Os resultados foram publicados na revista Climate of the Past da União Europeia de Geociências ( EGU ).

“Não prevíamos que a tendência de aquecimento acelerado desde meados da década de 1980 se destacaria tão claramente na série”, diz Christian Pfister, professor do Centro Oeschger de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas da Universidade de Berna, Suíça. Ele conduziu o estudo com outros cientistas e historiadores na Suíça, França e Alemanha.

Thomas Labbé, pesquisador das universidades da Borgonha e Leipzig e principal autor do estudo, reconstruiu meticulosamente as datas da colheita da uva em Beaune – a capital do vinho da Borgonha – desde 1354. Ele usou um grande número de fontes de arquivo não editadas, incluindo informações sobre pagamentos de salários feitos aos colhedores de uvas, registros do conselho da cidade de Beaune e relatórios de jornais. O registro contínuo das datas de colheita das uvas agora publicadas no Climate of the Past se estende até 2018 e é o mais longo já reconstruído.

“O registro está claramente dividido em duas partes”, diz Labbé. Até 1987, as uvas para vinho eram tipicamente colhidas a partir de 28 de setembro, enquanto as colheitas começavam 13 dias antes, em média, desde 1988. A análise da equipe da série mostra que anos muito quentes e secos eram incomuns no passado, mas se tornaram a norma na época. últimos 30 anos.

As datas de colheita das uvas podem ser usadas como proxy para estudar o clima, porque as uvas para vinho são muito sensíveis à temperatura e às chuvas. Como coloca um artigo no site de turismo francês france.fr , “a mãe natureza é realmente quem decide” quando as uvas estão maduras o suficiente para serem colhidas. Nos anos em que a primavera-verão (estação de crescimento) é quente e seca, as uvas estão prontas para a colheita mais cedo do que nos anos mais frios.

A equipe validou suas séries de colheita de uvas usando registros detalhados de temperatura de Paris, cobrindo os últimos 360 anos. Isso lhes permitiu estimar as temperaturas de abril a julho na região de Beaune durante os 664 anos abrangidos pelo registro de datas de colheita das uvas.

“A transição para um rápido período de aquecimento global após 1988 se destaca muito claramente. O caráter excepcional dos últimos 30 anos se torna evidente para todos ”, diz Pfister.

“Esperamos que as pessoas comecem a considerar realisticamente a situação climática em que o planeta está atualmente”, conclui.

Vinhedos em Beaune, Borgonha
Vinhedos em Beaune, Borgonha. Crédito: Olivier Duquesne via Flickr

 

Referência:

Labbé, T., Pfister, C., Brönnimann, S., Rousseau, D., Franke, J., and Bois, B.: The longest homogeneous series of grape harvest dates, Beaune 1354–2018, and its significance for the understanding of past and present climate, Clim. Past, 15, 1485–1501, doi:10.5194/cp-15-1485-2019, 2019.
https://doi.org/10.5194/cp-15-1485-2019

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 02/09/2019

Uvas para vinho da Borgonha contam história climática e mostram aquecimento acelerado nos últimos 30 anos, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 3/09/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/09/03/uvas-para-vinho-da-borgonha-contam-historia-climatica-mostra-aquecimento-acelerado-nos-ultimos-30-anos/.

 

PUBLICIDADE / CONTEÚDO RELACIONADO



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top