Atributos da alimentação saudável, artigo de Roberto Naime

 

alimentação saudável
Foto: EBC

 

[EcoDebate] Já referia Hipócrates, para “deixar que a alimentação seja o seu remédio e o remédio a sua alimentação”. A partir desse manifesto, já é possível realizar uma relevante relação entre a alimentação e a saúde do seres humanos.

Desde que foi criado o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA), não se podem negar avanços de concepção nas práticas alimentares e nutricionais. Se as populações não transparecem serem atingidas pelas políticas públicas ou então os benefícios concebidos e imaginados não se materializam, este é outro problema.

Anelise Rizzolo de Oliveira Pinheiro, Elisabetta Recine e Maria de Fátima Carvalho, na Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição elaboraram adequada abordagem sobre conceituação de práticas que desemboquem em melhores cotidianos de segurança alimentar e nutricional.

Os princípios básicos que devem reger a relação entre as práticas alimentares e a promoção da saúde e a prevenção de doenças são simples e se explicitam facilmente. Uma alimentação saudável deve ser baseada em práticas alimentares que assumam a significação social e cultural dos alimentos como fundamento básico conceitual.

A alimentação ocorre em função do consumo de alimentos e não de nutrientes. Os alimentos têm gosto, cor, forma, aroma, textura e exibem significação. Todas estas variáveis precisam ser consideradas na abordagem nutricional. Os nutrientes são importantes, contudo os alimentos não podem ser resumidos a excipientes.

Anelise Rizzolo de Oliveira Pinheiro, Elisabetta Recine e Maria de Fátima Carvalho ressaltam adequadamente que os alimentos trazem significações culturais, comportamentais e afetivas singulares que jamais podem ser desprezadas. Os alimentos como fonte de prazer também são uma abordagem necessária para promoção da saúde.

Neste sentido é fundamental resgatar as práticas e valores alimentares culturalmente referenciados bem como estimular a produção e o consumo de alimentos saudáveis regionais como legumes, verduras e frutas, sempre levando em consideração os aspectos comportamentais e afetivos relacionados com as práticas alimentares.

A responsabilidade compartilhada entre sociedade, setor produtivo e setor público é o caminho para a construção de cotidianos e práticas vivenciais, que tenham como objetivo central a promoção da saúde e a prevenção das doenças.

O estado nutricional e o consumo alimentar interagem em conjunto de maneira multifatorial e sinérgica como os outros fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis. Os diferentes fatores de risco, como inatividade física e uso de tabaco, entre outros, precisam ser abordados de maneira integrada a fim de favorecer a redução de danos e não a proibição de escolhas.

O conjunto das ações adotadas pelos estilos de vida é que produzem um perfil de saúde que possa ser adequado e nesta dimensão, não é possível particularizar os fatores de risco sem haver abordagem sinérgica e associada no âmbito do desenvolvimento da vida.

Atributos de boas práticas alimentares iniciam com respeito e valorização as práticas alimentares culturalmente identificadas. O alimento tem significações culturais diversas que precisam ser estimuladas. A soberania alimentar deve ser fortalecida por meio deste resgate.

Deve haver garantia de acesso, sabor e alimentos a custo acessível. Ao contrário do que tem sido construído socialmente, particularmente pela agulha hipodérmica midiática, uma alimentação saudável não é cara, pois se baseia em alimentos in natura e produzidos regionalmente.

O apoio e o fomento a agricultores familiares e cooperativas para a produção e a comercialização de produtos saudáveis como legumes, verduras e frutas é uma importante alternativa para que além da melhoria da qualidade da alimentação, estimule geração de renda para comunidades. A ausência de sabor é outro tabu a ser desmistificado, pois uma alimentação saudável é saborosa.

O resgate do sabor como um atributo fundamental é um investimento necessário à promoção da alimentação saudável. As práticas de marketing muitas vezes vinculam a alimentação saudável ao consumo de alimentos industrializados especiais e não privilegiam os alimentos não processados e menos refinados.

É preciso estimular uma alimentação variada, fomentando o consumo de vários tipos de alimentos que forneçam os diferentes nutrientes necessários para o cotidiano do organismo.

Sempre se falou em alimentação colorida como forma de garantir variedade e diversidade de vitaminas e minerais, possibilitando também a apresentação atrativa das refeições.

A alimentação deve ser harmoniosa em termos de quantidade e qualidade dos alimentos consumidos para o alcance de uma nutrição adequada considerando os aspectos orgânicos e também culturais, afetivos e comportamentais

A alimentação precisa ser segura evitando a contaminação físico-química e biológica e os possíveis riscos à saúde das populações.

As práticas alimentares saudáveis devem levar em consideração também algumas modificações históricas que ocorrem, como a modificação dos espaços físicos de compartilhamento das refeições e nos rituais cotidianos acerca da preparação dos alimentos.

As mudanças ocorridas nas relações familiares e pessoais com a diminuição da frequência de compartilhamento das refeições em família ou grupos de convívio e a perda da identidade cultural das preparações e receitas com a chegada do “evento social” da urbanização e globalização, gerando industrialização de alimentos.

A desagregação de valores sociais e coletivos que vem culturalmente sendo perdidos em função das modificações anteriormente referidas.

É possível afirmar e desejar que ocorra logo relevante recuperação dos atributos alimentares. Pois estão consideradas muitas variáveis desagregadoras que também necessitam reconstituição urgente. Imposições ambientais estão entre as realidades que integram este conjunto.

 

Dr. Roberto Naime, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em Geologia Ambiental. Aposentado do corpo Docente do Mestrado e Doutorado em Qualidade Ambiental da Universidade Feevale.

Sugestão de leitura: Civilização Instantânea ou Felicidade Efervescente numa Gôndola ou na Tela de um Tablet [EBook Kindle], por Roberto Naime, na Amazon.

 

Referência:

O que é uma alimentação saudável?

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 01/08/2019

Atributos da alimentação saudável, artigo de Roberto Naime, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 1/08/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/08/01/atributos-da-alimentacao-saudavel-artigo-de-roberto-naime/.

 

PUBLICIDADE / CONTEÚDO RELACIONADO



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top