Veja Como A Marinha Vai Usar Energia Solar E Suprir 100% Seu Consumo de Eletricidade

Placas fotovoltaicas da Agência da Capitania dos Portos em Tramandaí
Placas fotovoltaicas da Agência da Capitania dos Portos em Tramandaí . Foto: Marinha do Brasil

Com 74 painéis para captar a energia dos raios solares e transformar em eletricidade pelo efeito fotovoltaico, a Capitania dos Portos de Tramandaí, localizada no litoral norte do Rio Grande do Sul (RS), é a primeira organização militar a usar apenas o sol para gerar energia elétrica.

E pra quem acha que frio não combina com energia solar, Porto Alegre é a segunda capital que mais tem sistemas fotovoltaicos em funcionamento no Brasil.

No caso da capitania dos Portos de Tramandaí, o sistema instalado ocupa parte do telhado das áreas de estacionamento do local e será capaz de gerar 20 mil watts, o que vai garantir além de sustentabilidade, uma economia de 95% com os custo da conta de energia elétrica mensal.

As placas de energia fotovoltaicas já funcionam desde Março de 2019 e fazem parte do projeto da marinha que visa incentivar que as organizações militares busquem estratégias de redução de gastos que envolvam o uso de energia limpa.

Não é à toa que várias iniciativas estão ganhando força para uso de Energia Solar. O Brasil tem excelente potencial energético para este tipo de fonte renovável – o Sol – e desde 2012 os consumidores e empresas já podem ter 95% de redução da conta de energia usando os sistemas de geração distribuída.

A maior vantagem da geração distribuída de energia para o consumidor é a economia obtida na conta de luz após a instalação de um micro ou minigerador.

A geração distribuída, como o próprio nome diz, é a geração de energia feita em pontos diversos, através de sistemas geradores que ficam próximos ou até mesmo na própria unidade consumidora (casas, empresas e indústrias) e que são ligados a rede elétrica pública.

Portanto, essa modalidade difere diretamente da geração centralizada, onde as grandes usinas geradoras é que produzem a energia e a enviam aos consumidores através das linhas e redes de transmissão, chegando até eles pelas distribuidoras locais.

Essa modalidade de geração de energia pelo próprio consumidor foi estabelecida com a Resolução Normativa Nº482 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), a qual entrou em vigor em 17 de abril de 2012.

Para saber cada detalhe sobre seu funcionamento, só conferir este Manual Completo da Energia Solar.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 30/05/2019

Veja Como A Marinha Vai Usar Energia Solar E Suprir 100% Seu Consumo de Eletricidade

, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 30/05/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/05/30/veja-como-a-marinha-vai-usar-energia-solar-e-suprir-100-seu-consumo-de-eletricidade/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top