Dietas de baixo carbono não são boas apenas para o planeta, elas também são mais saudáveis

 

alimentação saudável
Foto: EBC

Dietas de baixo carbono

Por Keith Brannon*, Tulane University

Um novo estudo da Tulane University que examina a pegada de carbono do que mais de 16.000 americanos comem em um dia tem uma boa notícia para os consumidores ambientalmente conscientes – dietas que são mais amigáveis ao clima também são mais saudáveis.

A pesquisa, que é publicada no American Journal of Clinical Nutrition , é a primeira a comparar o impacto climático e o valor nutricional das dietas dos EUA usando dados do mundo real sobre o que os americanos dizem que estão comendo.

“As pessoas cujas dietas tinham menor pegada de carbono estavam consumindo menos carne vermelha e laticínios – que contribuem para uma maior parcela das emissões de gases do efeito estufa e têm alto teor de gordura saturada – e consumindo alimentos mais saudáveis, como frango, grãos integrais e proteínas vegetais. Disse o principal autor do estudo , Diego Rose , professor de nutrição e segurança alimentar da Escola de Saúde Pública e Medicina Tropical da Universidade de Tulane.

Como a produção de alimentos é um dos principais contribuintes para a mudança climática, pesquisadores de Tulane e da Universidade de Michigan procuraram aprender mais sobre os impactos das escolhas alimentares diárias dos americanos. Eles construíram um extenso banco de dados das emissões de gases de efeito estufa relacionados à produção de alimentos e o vincularam a uma grande pesquisa federal que perguntou às pessoas o que elas comeram durante um período de 24 horas.

Os pesquisadores classificaram as dietas pela quantidade de gases de efeito estufa por 1.000 calorias consumidas e as dividiram em cinco grupos iguais. Em seguida, eles avaliaram o valor nutricional dos alimentos consumidos em cada dieta usando o US Healthy Eating Index, uma medida federal da qualidade da dieta, e compararam os grupos de menor e maior impacto sobre essa e outras medidas.

Os americanos do grupo com menor pegada de carbono adotaram uma dieta mais saudável, medida por esse índice. No entanto, essas dietas também continham mais alguns itens de baixa emissão que não são saudáveis, ou seja, açúcares adicionados e grãos refinados. Eles também tinham quantidades menores de nutrientes importantes – como ferro, cálcio e vitamina D – provavelmente por causa da menor ingestão de carne e laticínios.

No geral, as dietas no grupo de menor impacto foram mais saudáveis, mas não em todas as medidas. Rose diz que isso ocorre porque as dietas são complexas, com muitos ingredientes que influenciam a qualidade nutricional e os impactos ambientais. “Isso explica a relação sutil que observamos entre esses resultados”, disse ele.

As dietas do grupo de maior impacto foram responsáveis por cinco vezes as emissões das pessoas do grupo de impacto mais baixo. As dietas de maior impacto tiveram maiores quantidades de carne (carne bovina, carne de porco, carne de caça e caça), laticínios e gorduras sólidas por mil calorias do que as dietas de baixo impacto. No geral, as dietas de alto impacto foram mais concentradas em proteínas totais e alimentos de proteína animal. Um estudo que os pesquisadores divulgaram no início deste ano descobriu que 20% dos americanos são responsáveis por quase metade das emissões de gases causadores do efeito estufa relacionadas à dieta dos EUA.

Rose espera que a pesquisa ajude o público e os formuladores de políticas a reconhecerem que melhorar a qualidade da dieta também pode ajudar o meio ambiente.

“Podemos ter os dois. Podemos ter dietas mais saudáveis ??e reduzir nossas emissões relacionadas a alimentos ”, disse Rose. “E isso não requer o extremo de eliminar totalmente os alimentos. Por exemplo, se reduzirmos a quantidade de carne vermelha em nossas dietas e substituí-la por outros alimentos protéicos como frango, ovos ou feijão, poderemos reduzir nossa pegada de carbono e melhorar nossa saúde ao mesmo tempo. ”

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 25/01/2019

"Dietas de baixo carbono não são boas apenas para o planeta, elas também são mais saudáveis," in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 25/01/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/01/25/dietas-de-baixo-carbono-nao-sao-boas-apenas-para-o-planeta-elas-tambem-sao-mais-saudaveis/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “Dietas de baixo carbono não são boas apenas para o planeta, elas também são mais saudáveis

Deixe uma resposta

Top