Hidroponia, artigo de Roberto Naime

 

Produção de morangos em sistema hidropônico
Produção de morangos em sistema hidropônico. Foto: Foto: MIRANDA, Fábio Rodrigues de / Embrapa

 

[EcoDebate] A hidroponia é a técnica de cultivar plantas sem solo, onde as raízes recebem uma solução nutritiva balanceada que contém água e todos os nutrientes essenciais ao desenvolvimento da planta. Na hidroponia as raízes podem estar suspensas em meio líquido ou apoiadas em substrato inerte como areia lavada ou glóbulos de argila de natureza montmorillonítica.

Ao cultivar com solução nutritiva utilizando um substrato não inerte, húmus, por exemplo, é um cultivo sem solo, mas não é adequado se referir como sendo hidroponia. Quando a solução é aplicada ao solo, tem-se a fertirrigação. Não é cultivo sem solo, nem hidroponia. Em geral esta solução não é completa, pois tem caráter complementar aos nutrientes presentes nos solos.

Portanto, na hidroponia a única fonte de nutrientes para as plantas é a solução nutritiva, pois, se houver substrato, este é inerte. No caso de cultivo sem solo, basta que o solo não seja utilizado. A palavra hidroponia vem do grego, dos radicais “hydro” que é água e “ponos”, que é trabalho. Apesar de ser uma técnica relativamente antiga, o termo hidroponia só foi utilizado pela primeira vez em 1935 pelo Dr. W. F. Gericke da Universidade da Califórnia.

Gericke adotou o sistema de cultivo sem solo para as condições de campo, de tal forma que se tornou o primeiro passo para viabilizar o cultivo em escala comercial. Quando se diz que “Gericke é o pai da hidroponia” não significa que ele inventou o cultivo sem solo, mas trata-se de uma homenagem aos avanços científicos conquistados por ele e por ter pela primeira vez usado o termo hidroponia.

As plantas são colocadas em canais ou recipientes por onde circula uma solução nutritiva, composta de água pura e de nutrientes dissolvidos em quantidades individuais que atendam a necessidade de cada espécie vegetal cultivada. Esses canais ou recipientes podem ou não ter algum meio de sustentação para as plantas, chamado de “substrato”, como pedras ou areia.

A solução nutritiva tem um controle rigoroso para manter suas características, periodicamente é feito um monitoramento de pH e de concentração de nutrientes, assim as plantas crescem sob as melhores condições possíveis.

As plantas são cultivadas em perfis específicos, acima do substrato, por onde circula uma solução nutritiva composta de água pura e de nutrientes dissolvidos de forma balanceada, de acordo com a necessidade de cada espécie vegetal. A solução nutritiva tem um controle rigoroso para manter suas características. Periodicamente é feito um monitoramento do pH e da concentração de nutrientes, assim as plantas crescem sob as melhores condições possíveis.

Essa solução fica guardada em reservatórios e é bombeada para os perfis, conforme a necessidade, retornando para o mesmo reservatório.

O produto final cultivado em hidroponia é de qualidade superior, com aproveitamento total, pois é cultivado em estufa protegida e limpa, livre das variações do clima, dos insetos, animais e outros parasitas que vivem no solo. Na hidroponia os nutrientes são balanceados diariamente, conforme a necessidade do cultivo, fazendo com que as plantas recebam durante todo seu ciclo de crescimento, as quantidades ideais de nutrientes.

Hoje em dia a alface ainda é a mais cultivada, mas pode-se plantar brócoli, feijão-vagem, repolho, couve, salsa, melão, agrião, pepino, beringela, pimentão, tomate, arroz, morango, forrageiras para alimentação animal, mudas de árvores, plantas ornamentais, entre outras espécies.

As plantas não entram em contato com os contaminantes do solo como bactérias, fungos, lesmas, insetos e vermes.·As plantas são mais saudáveis, pois crescem em ambiente controlado procurando atender as exigências da cultura. Todo produto hidropônico é vendido embalado, não entrando em contato direto com mãos, caixas ou caminhões.

Ataque de pragas e doenças é quase inexistente, diminuindo ou eliminando a aplicação de defensivos. Pela embalagem o consumidor pode identificar a marca, cidade da produção, nome do produtor ou responsável técnico, características do produto e telefone de contato. Os vegetais hidropônicos duram mais na geladeira e fora dela, pois permanecem com a raiz.

Para o consumidor ainda são um pouco mais caros que os tradicionalmente cultivados, mas a diferença é de apenas alguns centavos. A procura e aceitação pelo consumidor são, cada vez, maiores e os comerciantes já se preocupam em oferecer produtos hidropônicos.

Este é um aspecto sobre o qual gostaríamos de chamar sua atenção. O produtor de cultivos hidropônicos trabalha com uma tecnologia moderna, limpa e com muitas vantagens, com maior higienização e controle da produção. A planta cresce mais saudável e, por estar longe, do solo menos sujeita a infestação de pragas. A produção se faz durante todo o ano por ser um cultivo protegido e tem alta produtividade.

Não há desperdício de água e nutrientes. A economia de água em relação ao solo é de cerca de 70%. A produtividade em relação ao solo aumenta em cerca de 30%.

Por ser colhida com raiz a sobrevida da planta hidropônica é muito maior que a da cortada no solo. Existem maiores qualidade e aceitação do produto. Estão eliminadas operações como aeração, gradeação, coveamento, capina, bem como a manutenção dos equipamentos utilizados para estas operações. A produtividade e a uniformidade da cultura são maiores e não há preocupação com a rotação de culturas e o replantio é imediato após a colheita.

É necessário se prevenir contra a falta de energia elétrica. É exigido conhecimento técnico e de fisiologia vegetal. Uma planta doente pode contaminar toda a produção.

O uso da hidroponia é descrita como medida auxiliar de grande importância na qualidade dos alimentos, evitando utilização de agrotóxicos, e portanto, prevenindo e defendendo ecossistemas.

Referência:

http://agriculturanaturaleorganica.weebly.com/agricultura-por-hidroponia.html

 

Dr. Roberto Naime, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em Geologia Ambiental. Integrante do corpo Docente do Mestrado e Doutorado em Qualidade Ambiental da Universidade Feevale.

Sugestão de leitura: Civilização Instantânea ou Felicidade Efervescente numa Gôndola ou na Tela de um Tablet [EBook Kindle], por Roberto Naime, na Amazon.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 17/07/2018

Hidroponia, artigo de Roberto Naime, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 17/07/2018, https://www.ecodebate.com.br/2018/07/17/hidroponia-artigo-de-roberto-naime/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top