Perda de florestas do Sudeste Asiático é muito maior do que o esperado, com implicações negativas para o clima

 

Por John Sullivan, School of Engineering and Applied Science, Princeton University*

Pesquisadores que utilizam imagens de satélite descobriram um desmatamento muito maior do que o esperado desde 2000 nas terras altas do sudeste da Ásia, um ecossistema mundial de importância crucial. As descobertas são importantes porque levantam questões sobre as principais suposições feitas nas projeções da mudança climática global, bem como preocupações sobre as condições ambientais no sudeste da Ásia no futuro.

 

Pesquisadores, que utilizam imagens de satélite, descobriram um desmatamento muito maior do que o esperado desde 2000 nas terras altas do sudeste da Ásia, um ecossistema mundial de importância crucial. Fotos cedidas pelos pesquisadores. Foto: Princeton University/Divulgação
Pesquisadores, que utilizam imagens de satélite, descobriram um desmatamento muito maior do que o esperado desde 2000 nas terras altas do sudeste da Ásia, um ecossistema mundial de importância crucial. Fotos cedidas pelos pesquisadores. Foto: Princeton University/Divulgação

 

Zhenzhong Zeng, pesquisador de pós-doutorado da Universidade de Princeton e principal autor de um artigo descrevendo as descobertas da Nature Geoscience, disse que os pesquisadores usaram uma combinação de dados de satélite e algoritmos computacionais para chegar a suas conclusões. O relatório mostra uma perda de 29,3 milhões de hectares de floresta (cerca de 113.000 milhas quadradas ou cerca do dobro do tamanho do estado de Nova York) entre 2000 e 2014. Zeng disse que representa 57 por cento mais perdas do que as estimativas atuais de desmatamento feitas pelo Painel Internacional sobre Das Alterações Climáticas. Ele disse que a maior parte da floresta foi desmatada para plantações.

Como as florestas absorvem carbono atmosférico e as florestas queimadas contribuem com carbono para a atmosfera, a perda de florestas pode ser devastadora. Uma estimativa precisa da cobertura florestal também é crítica para as avaliações das mudanças climáticas. Zeng também disse que a transformação de regiões montanhosas de florestas antigas para terras cultiváveis ??pode ter impactos ambientais generalizados da retenção do solo à qualidade da água na região.

Eric Wood , o professor de Engenharia Civil e Ambiental Susan Dod Brown e um membro da equipe de pesquisa, disse que os resultados foram preocupantes porque os agricultores estão cortando novas fronteiras agrícolas das florestas do sudeste da Ásia. “Essas florestas são uma fonte importante para o seqüestro de carbono, bem como fontes de água críticas para as terras baixas adjacentes”, disse ele.

Além de Wood e Zeng, os pesquisadores envolvidos no projeto incluíram: Lyndon Estes, da Clark University; Alan Ziegler, da Universidade Nacional de Cingapura; Anping Chen, da Universidade de Purdue; Timothy Searchinger, pesquisador da Escola Woodrow Wilson, em Princeton; Fangyuan Hua, da Universidade de Cambridge; Kaiyu Guan, da Universidade de Illinois em Urbana Champaign; e Attachai Jintrawet, da Universidade de Chiang Mai. O apoio ao projeto foi fornecido em parte pela Lamsam-Thailand Sustain Development.

Referência:

Highland cropland expansion and forest loss in Southeast Asia in the twenty-first century
Zhenzhong Zeng, Lyndon Estes, Alan D. Ziegler, Anping Chen, Timothy Searchinger, Fangyuan Hua, Kaiyu Guan, Attachai Jintrawet & Eric F. Wood
Nature Geoscience (2018) https://doi.org/10.1038/s41561-018-0166-9

 

*Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 04/07/2018

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top