Tropa de cheque, artigo de Montserrat Martins

 

artigo de opinião

 

[EcoDebate] O trocadilho é do José Simão, todo governo tem “tropa de choque” no Congresso, mas com Temer ficou explícita a “tropa de cheque”. Um desses deputados disse para outro, segundo o noticiário, que “até a eleição o povo esquece”. E olha que falta só um ano para as eleições de 2018.

O Presidente aumentou impostos sobre combustíveis para gerar receita comparável aos bilhões que liberou em emendas para os parlamentares, às vésperas do seu julgamento no Congresso. Sendo quase explícita a correlação entre os dois fatos, significa que ele não se importa com a opinião de mais de 200 milhões de pessoas, só com os 500 e poucos congressistas. Há pessoas honestas, como há desonestas, em todos os partidos. Se é possível ter uma história política honrada, porque os desonrados estão em franca maioria?

“Até lá o povo esquece” é uma explicação. Achar que “todo mundo é igual” é outra, pois a maioria não tem acesso à vida pessoal e aos bastidores da política, para saber quem é sério e quem não é. Nos últimos anos aumentou muito o interesse pela política, mas ainda não se igualou à paixão pelo futebol. Os times que fracassam nos campeonatos sofrem pressões muito piores, ainda, do que a dos políticos.

“O respeito vem do medo”, diz um antigo ditado popular. Um jogador do Corínthians que decepcionasse sua torcida teria sérios problemas para sair em público, nos times com torcida mais apaixonada os jogadores tem medo de sofrer represálias se decepcionarem o povo. Comparados a eles, os políticos ainda tem vida frouxa, com algumas possíveis exceções.

“Não dá nada”, frase típica de adolescentes infratores, ainda é o raciocínio da maioria da classe política. Já houve ameaças até contra a vida de jogadores de futebol, treinadores e dirigentes, mas não se sabe de políticos que corressem risco por conta da indignação de populares. A gasolina subiu quase 50 centavos por litro e não fizemos nada. Ouvimos no noticiário sobre a mala com 500 mil reais por semana para o Presidente e não fizemos nada. Ah se o time de futebol perde, vai ter pressão na saída do estádio, confusão. O respeito vem do medo, mas eles não tem medo.

 

Montserrat Martins, Colunista do Portal EcoDebate, é médico psiquiatra, bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais e ex-presidente do IGS – Instituto Gaúcho da Sustentabilidade

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 04/08/2017

Tropa de cheque, artigo de Montserrat Martins, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 4/08/2017, https://www.ecodebate.com.br/2017/08/04/tropa-de-cheque-artigo-de-montserrat-martins/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “Tropa de cheque, artigo de Montserrat Martins

Comentários encerrados.

Top
Betway Casino Roulette Image Banners
Betway Casino Roulette Image Banners