No meu tempo não havia Baleia Azul, artigo de Daniel Clemente

artigo de opinião

[EcoDebate] “A minha geração não sofreu Bullying”. Essa afirmativa temporal é indicativa de um descolamento perceptivo da atualidade, desclassificando argumentos do presente utilizando-se do passado retratado e revivido pela memória. E existem casos onde diversos indivíduos também sofreram sistemática humilhação nas salas de aula em tempos anteriores, porém, possuem o mesmo discurso, “a minha geração não sofreu Bullying”. Talvez como provável tentativa “inclusiva” numa retrospectiva biográfica ou pelo desconhecimento da dinâmica vivenciada diariamente pelos jovens nas escolas e em suas relações sociológicas.

No meu tempo não havia Baleia Azul”. Então seguimos ignorando as transformações sensoriais entre faixas etárias anteriores e recentes, e por muitas vezes divergentes. Antes mesmo de entender a causa do fenômeno suicida, os culpados já foram julgados: Os pais cada vez mais inseridos na sociedade do trabalho e preenchendo velozmente os minutos de vida com obrigações alheias aos seus próprios interesses, terceirizam os filhos ao mercado, e quando raramente participam buscam mais agradar “a criança que ainda reside em seu subconsciente” antes mesmo de compreender as angústias da prole. Não há diálogo, somente imposição. Não há contradição, somente punição. E no silêncio se manifesta o conforto fornecido pela estupidez.

O ator e diretor de teatro Antônio Abujamra incessantemente buscava entre os entes disparar suas provocações, desferindo aos seus convidados no final de cada sabatina a pergunta de múltiplas dúvidas: “O que é a vida?” Geralmente as respostas justificavam a conduta vivida de cada indivíduo. E se pudéssemos realizar aos jovens integrantes do suicídio pós-moderno a mesma pergunta: “O que é a vida?” Provavelmente as respostas forneceriam argumentos para a adesão voluntária ao jogo Baleia Azul. Sem perguntas não há respostas. Mesmo assim os especialistas proliferam portando chá de camomila para curar um câncer social. Os discursos salvacionistas tendem a ignorar o apelo dos mortos, pois divergem sobre os valores da vida. Ambos gritam, ambos surdos.

Nas últimas duas décadas, assuntos restritos e confidenciais ganharam dimensão planetária, devido ao fluxo de informações cada vez mais dinâmico pela internet. O fenômeno Bullying e Baleia Azul, assim como tantas outras divergências sociais, se caracterizam pelos vínculos da sociedade virtual, numa era de incertezas, sem referência comparativa com o passado, sendo um tema no qual deve ser tratado olhando para o presente.

Cansados de percorrer em um mundo inóspito, rendidos pela escassez ideológica, onde as verdades deixaram de existir, a utopia faz falta. Nas palavras do sociólogo Eduardo Galeano a utopia é a incerteza de quando chegar, mas a certeza de para onde ir: A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar. 

Daniel Carlos Clemente, Professor de História – Colégio Adventista de Santos

www.danielcarlosclemente.com

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 25/04/2017

No meu tempo não havia Baleia Azul, artigo de Daniel Clemente, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 25/04/2017, https://www.ecodebate.com.br/2017/04/25/no-meu-tempo-nao-havia-baleia-azul-artigo-de-daniel-clemente/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top