Revisão do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, artigo de Antonio Silvio Hendges

 

Cooperado separa o material reciclado
Cooperado separa o material reciclado. Foto: Coopcom/AM

 

[EcoDebate] No dia 24/01/2017 o Ministério do Meio ambiente – MMA realizou uma reunião e iniciou a revisão do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, com prazo previsto de 20 meses para a realização dos trabalhos. Neste período, segundo informou o MMA serão discutidas e estabelecidas novas metas e corrigidas as distorções identificadas no diagnóstico anterior. Informou também que o consórcio responsável é formado por especialistas brasileiros e estrangeiros e que as discussões terão representantes do Governo Federal, da sociedade e dos setores empresariais.

O plano nacional é um instrumento da Lei 12.305/2010 que estabeleceu a Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS em que constam as diretrizes legais para a gestão e gerenciamento dos diversos tipos de resíduos, estabelecendo a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos entre os fabricantes, importadores, distribuidores, comércio, consumidores e titulares dos serviços públicos de limpeza urbana. Importante é que a revisão do plano não implica necessariamente na alteração desta lei, embora existam diversos projetos de lei no Congresso que propõe esta ação e inclusive a protelação e exclusão de vários prazos e itens.

O atual Plano Nacional de Resíduos Sólidos constitui-se de uma série de diagnósticos que caracterizam e definem a origem dos resíduos de diversos segmentos produtivos do país: construção civil, indústrias, transportes rodoviários, portos e aeroportos, saúde, mineração, agropecuária, florestais, urbanos, orgânicos e inorgânicos. Também traz um diagnóstico dos trabalhadores com materiais recicláveis e reutilizáveis, os catadores e dos resíduos sujeitos aos processos de logística reversa também instituída pela Lei 12.305/2010. Para conhecer alguns diagnósticos dos resíduos sólidos no Brasil em 2010 acesse este link http://cenatecbrasil.blogspot.com.br/search?q=diagn%C3%B3stico+dos+res%C3%ADduos+s%C3%B3lidos

Para os responsáveis pelo projeto de revisão na Diretoria de Ambiente Urbano do MMA os entraves mais significativos na aplicação da PNRS e na execução do plano nacional foram a descontinuidade das bases de dados, com periodicidade irregular e/ou indisponíveis, irrealidade das diretrizes e estratégias, não priorização de ações e programas relacionados e metas descoladas dos diagnósticos e cenários. Entre os objetivos destacados pelo comitê de revisão, a mensuração dos custos da degradação ambiental pela disposição inadequada dos resíduos, integração da gestão dos diferentes tipos de resíduos, identificação das fontes de acesso para recursos, ampliação das ações de educação ambiental e criação de mecanismos de estímulo à implantação da PNRS.

Também foi destacada como prioridade na revisão do plano, a definição dos papéis da União, dos Estados e dos municípios na gestão da política dos resíduos sólidos no país.

A matéria completa no site do Ministério do Meio Ambiente está neste link

http://www.mma.gov.br/index.php/comunicacao/agencia-informma?view=blog&id=2117

 

Antonio Silvio Hendges, Articulista no EcoDebate, professor de biologia e educação ambiental, pós graduado em auditorias ambientais, assessoria e consultoria em educação ambiental e resíduos sólidos – http://cenatecbrasil.blogspot.com.br/

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 14/02/2017

"Revisão do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, artigo de Antonio Silvio Hendges," in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 14/02/2017, https://www.ecodebate.com.br/2017/02/14/revisao-do-plano-nacional-de-residuos-solidos-artigo-de-antonio-silvio-hendges/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Deixe uma resposta

Top