A tragédia com a Chapecoense e a comoção mundial, artigo de Montserrat Martins

 

 

[EcoDebate] O estádio cheio de torcedores do Atlético Nacional da Colômbia cantando em homenagem à Chapecoense foi de arrepiar. O Real Madrid com a camiseta “Somos Todos Chapecoense” também foi comovente. No país e no mundo, chocados com a perda das dezenas de vidas da delegação esportiva, assistimos a reações que foram muito além do imaginado.

No noticiário habitual estamos acostumados a notícias ruins sobre a humanidade: guerras, flagelos, injustiças, exploração de uns por outros, competições destrutivas, violência… Poucas vezes a bondade é notícia, a solidariedade, a generosidade, atos de empatia.

Pois o que se viu naquele estádio da Colômbia foi um gigantesco ato de “empatia coletiva” onde a torcida de um time fazia homenagem às vítimas do que viria a ser seu rival, cantando que a Chape era a campeã, louvando pessoas e as suas respectivas famílias de um outro time, de um outro país, com a mesma devoção como se estivessem homenageando a seus próprios jogadores e famílias.

Por todo o país e nas mais diversas praças de esportes do mundo foram feitas diversas homenagens expressando solidariedade e carinho com as vítimas. Num mundo cada vez mais cheio de conflitos e de intolerâncias – étnicas, religiosas, nacionais, ideológicas – esse episódio de empatia e solidariedade tem um significado imenso, de que ainda se pode falar em “humanidade” em um aspecto positivo, de valores morais elevados tais como a sensibilidade demonstrada, em tantos lugares do mundo, neste episódio.

Está na moda nas redes sociais criticar tudo e todos, falar mal da humanidade em contraste com falar bem dos outros animais, por exemplo. A empatia com a dor da Chapecoense não redime a humanidade, mas evidencia que também temos um lado amoroso, capaz de nos unir, mesmo que em situações excepcionais, já que no dia a dia estamos imersos em tantas óticas competitivas, em relação às demais pessoas.

Mas nem tudo são flores, há quem tenha feito uso perverso dessa tragédia. Foi o caso da Câmara dos Deputados, que aproveitou que todos os holofotes estavam na Chapecoense para aprovar um texto desfigurado do que seriam as “Medidas contra a corrupção”. A indignação foi tão grande que o Senado já rejeitou, no dia seguinte, um pedido de urgência de Renan Calheiros para aprovar o texto da Câmara.

Agindo na calada da noite, para fugir à pressão da opinião pública e deturpar as medidas contra a corrupção (de modo a inibir Judiciário, Ministério Público e Polícia Federal), a Câmara provocou um “panelaço” na noite seguinte, em todo país. Os deputados, enfim, também “uniram o país”, mas na revolta contra eles.

Montserrat Martins, Colunista do Portal EcoDebate, é médico psiquiatra, bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais e ex-presidente do IGS – Instituto Gaúcho da Sustentabilidade

 

in EcoDebate, 05/12/2016

A tragédia com a Chapecoense e a comoção mundial, artigo de Montserrat Martins, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 5/12/2016, https://www.ecodebate.com.br/2016/12/05/a-tragedia-com-a-chapecoense-e-a-comocao-mundial-artigo-de-montserrat-martins/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

3 comentários em “A tragédia com a Chapecoense e a comoção mundial, artigo de Montserrat Martins

  1. Montserrat, seria socialmente justo nao “deturpar” medidas que fragilizam o habeas corpus e outras garantias individuais e que concedem ainda mais privilegios a essa casta que se auto concede obscenos salarios?

  2. As “garantias individuais” que os deputados visam preservar, nesse momento, são a própria impunidade, como a nação está percebendo. Mas é claro que esse assunto merece ser aprofundado num artigo próprio a respeito. Abraços

  3. Todo poder emana do povo e em seu nome será exercido. Os nossos representantes políticos, mas do que vontade própria, estão lá porque o povo quis, através do voto. Concordo com o combate à corrupção, apoio a Lavajato, mas imunidade total ao Judiciário é demais. Eles erram e feio, como todos os mortais. O STF está extrapolando as suas funções e não são absolutos. A didatura do judiciário é a pior delas (Rui Barbosa).

Comentários encerrados.

Top