América Latina: o patinho feio da economia internacional, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

 

160610a

 

[EcoDebate] O título desse artigo é provocativo, mas não tem a intenção de ser especista (discriminar espécies). Trata-se de uma referência à fábula do patinho feio que se transforma em um lindo cisne. Será que o destino da América Latina e Caribe é superar uma feia situação econômica para construir um lindo futuro de progresso, bem-estar social e proteção ambiental?

Há cerca de 200 anos, a América Latina aproveitou a confusão existente na Europa por conta das Guerras Napoleônicas e iniciou o processo de construção de países autônomos e soberanos. Inspirados na Independência dos Estados Unidos da América (EUA), os países ao sul do rio Grande, nas primeiras décadas do século XIX, ampliaram o processo de descolonização do continente americano.

O primeiro país a fazer a independência foi o Haiti. Depois vieram México, Venezuela, etc. O Brasil foi o último (dos grandes) a fazer a independência, o último a acabar com a escravidão e o único a implantar uma monarquia, de sangue e pensamento lusitano.

Entre 1820 e 1870, segundo dados de Angus Maddison, o PIB da ALC cresceu 1,2% ao ano e o PIB do mundo cresceu 0,9% ao ano. Uma diferença relativamente pequena. Entre 1870 e 1950, a diferença aumentou, pois, respectivamente, o crescimento foi de 3,5% ao ano contra 2% ao ano. Entre 1950 e 1980, o crescimento econômico acelerou geral, com a ALC crescendo 5,3% ao ano e o mundo crescendo 4,5% ao ano. Ou seja, durante 160 anos, devido ao alto crescimento populacional e econômico, a América Latina e Caribe ganhou participação relativa no PIB mundial.

Contudo, a situação se inverteu depois de 1980 e a América Latina começou a perder participação relativa no PIB mundial, conforme mostra o gráfico acima. A América Latina e Caribe (ALC) representava 12,1% do PIB mundial em 1980 e deve ficar com 7,5% em 2021. O Oriente Médio e Norte da África (MENA) tinha 8,1%, passando para 6,7%, no mesmo período. A África Subsaariana deve crescer de 2,4% em 1980 para 3,2% em 2021, embora tenha o menor peso, a despeito de ter uma população de mais de 1 bilhão de habitantes. O grande destaque é a Ásia emergente (inclui Índia e China) que tinha 9% do PIB mundial em 1980 e deve chegar a 36% em 2021. Portanto, a ALC apresenta desempenho econômico pior do que outras regiões em desenvolvimento.

Em 2016, a América Latina e Caribe vai apresentar variação negativa no PIB, bem diferente do resto do mundo e outras regiões. Segundo dados do FMI, o PIB global deve crescer 3,2% em 2016, com a Ásia emergente apresentando o maior crescimento (6,4%) e o conjunto das economias em desenvolvimento atingindo 4,1%. Os 5 países da ASEAN devem crescer 4,8%, a África Subsaariana 3% e o países do Oriente Médio e Norte da África (MENA) 2,9%. Mesmo as economias avançadas e ricas devem crescer 1,9% e os países na União Europeia com 1,8% em 2016. A única região que deve apresentar recessão é a ALC que deve decrescer em 0,47% em 2016.

 

160610b

 

Como visto, a América Latina e Caribe apresentou crescimento demoeconômico acima da economia global entre 1820 e 1980. Durante 160 anos a ALC ganhava espaço e presença no PIB internacional. Mas os anos de 1980 marcaram uma década perdida e os anos de 1990 marcaram uma década de baixo crescimento. Já a primeira década do século XXI esboçou uma certa reação e a ALC ganhou espaço no PIB mundial durante o superciclo das commodities. Parecia que a região iria deixar de ser o “patinho feio” e iria se tornar o “cisne” da comunidade internacional. Porém, a segunda década do século XXI votou a decepcionar. O sonho de erradicar a pobreza e avançar com o bem-estar humano e ambiental foi adiado e existe dúvida se, algum dia, será efetivamente realizado.

É nesse quadro de regressão econômica que há também retrocessos políticos e crise no campo progressista, como bem mostrou Andrea Rizzi (12/05/2016) no jornal El País (edição brasileira):

“Um após outro, os ícones das esquerdas latino-americanas caem como peças de um dominó que avança de forma inexorável. Deve-se falar em esquerdas, no plural, pois os projetos políticos encarnados pelo chavismo, pelo kirchnerismo, pelo PT brasileiro ou por Evo Morales são diferentes entre si. Mas é de uma evidência cristalina o fato de que grande parte das formações soi-disant progressistas do subcontinente, que dominaram o cenário durante uma longa década, já escutam soar suas badaladas fúnebres”.

A ideia positivista de progresso – tão cara à história da América Latina – tem sido colocada em questão desde a década perdida dos anos 1980. Os dois últimos anos tem sido de regressão econômica e social. Sucessivas décadas perdidas podem inviabilizar o sonho de uma região próspera e feliz.

José Eustáquio Diniz Alves, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br

 

in EcoDebate, 10/06/2016

América Latina: o patinho feio da economia internacional, artigo de José Eustáquio Diniz Alves, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 10/06/2016, https://www.ecodebate.com.br/2016/06/10/america-latina-o-patinho-feio-da-economia-internacional-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top
Betway Casino Roulette Image Banners
Betway Casino Roulette Image Banners