Aterosclerose em homens: riscos e cuidados

 

saúde

 

O ditado “é melhor prevenir do que remediar” vale ao pé da letra quando o assunto é aterosclerose. A doença, que é um entupimento das artérias, acomete principalmente os homens e pode levar a complicações como infarto, AVC, amputações e até mesmo à morte. E o melhor remédio para evitar a aterosclerose ainda é a prevenção: com alimentação saudável, atividade física, parar de fumar, controlar a pressão arterial, colesterol, o peso e o diabetes.

Segundo o cirurgião vascular do CENTRO INTEGRADO DE ANGIOLOGIA, ANGIOMEDI, o Dr. Antônio Carlos de Souza, o primeiro sinal de alerta para aterosclerose é o histórico familiar de infarto ou AVC precoce. Se há casos familiares jovens, este pode ser um fator predisponente importante.

Os homens devem ficar ainda mais atentos, pois a doença se apresenta 10 anos mais cedo do que nas mulheres. “O estrogênio, hormônio feminino, ajuda a retardar a aterosclerose nas mulheres”, afirma. Mas nem por isso as mulheres devem se descuidar. O médico adverte: “depois da menopausa, quando diminui a produção de hormônios, o risco se iguala ao dos homens”.

No entanto, os homens são mais afetados também por fatores de risco ligados ao estilo de vida, como tabagismo e sedentarismo. Mas o médico lembra que estes são fatores que podem ser evitados. “Não é possível mudar o histórico familiar, mas o estilo de vida sim. O tabagismo é um fator que pode ser eliminado completamente”, aconselha o Dr. Antônio Carlos de Souza. Outros fatores desencadeantes da aterosclerose, como hipertensão, colesterol e diabetes, também podem ser controlados, com acompanhamento médico.

No caso dos diabéticos, o cuidado e acompanhamento devem ser constantes. A aterosclerose acomete estes pacientes e pode levar a amputações, se não for controlada. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, a cada minuto se amputa uma perna no mundo em função de complicações da doença.

O Dr. Antônio Carlos de Souza dá algumas dicas para os pacientes. Além do acompanhamento médico, ele orienta adotar uma alimentação mais saudável, livre de produtos industrializados, e não deixar de lado a atividade física. Segundo ele, 150 minutos de exercício por semana – o que equivale a meia hora por cinco dias – já são suficientes para sair do sedentarismo e pode fazer a diferença.

O editor de imagem Ranivaldo Ribeiro Torres sabe dos riscos e, desde que descobriu a diabetes há nove anos, segue à risca as orientações médicas. Antes comia de tudo e, com a rotina corrida, deixava os exercícios de lado. Hoje, os hábitos estão mudados. Ele se alimenta de forma mais saudável e faz atividade física todos os dias. “Não adianta só dieta, o exercício físico é essencial. Fico uma semana sem fazer atividade e a minha glicose já aumenta”, conta Ranivaldo. Ele diz que no começo não foi fácil, mas hoje já está bem adaptado às mudanças e ganhou mais qualidade de vida.

 

in EcoDebate, 22/02/2016

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top