Ibama aponta fraude na emissão de créditos florestais para exploração de madeira no estado de Rondônia

 

podcast

Por Ariane Póvoa, da Radioagência Nacional

Fraudes podem ser a causa do movimento anormal, identificado pelo Ibama, na concessão de créditos florestais para exploração de madeira no estado de Rondônia.

Segundo o Instituto, em 2013 e 2014 Rondônia movimentou cerca de 4 milhões e meio de metros cúbicos de madeira, o que representa 74% de todo movimento madeireiro do estado do Pará, que é quase 5 vezes maior.

De acordo com o diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Luciano Evaristo, há indicativos de que as irregularidades no sistema estejam viabilizando créditos falsos que guiariam para Rondônia madeira roubada de outros estados. O esquema tornaria legal a madeira extraída ilegalmente.

Sonora: “Se Rondônia está colocando dentro do Sistema 4 milhões e meio de metros cúbicos em dois anos, e não tem floresta a ser manejada de forma sustentável que comporte esse volume, fatalmente créditos fictícios estão transitando dentro desse sistema, que podem estar guiando madeira de outros estados; do sul do Amazonas, do Acre, do próprio Mato Grosso e, principalmente, atingindo unidades de conservação em terras indígenas.”

O diretor do instituto ressaltou que não é da competência do Ministério do Meio Ambiente e do Ibama fiscalizar o estado de Rondônia.

Por isso, segundo Evaristo, as autoridades estaduais foram alertadas sobre a movimentação irregular no sistema e sobre a necessidade de melhorar os processos de licenciamento.

Sonora: “Com 4 milhões e meio de metros cúbicos de madeira dentro do sistema, calculando um rendimento da floresta de 30m³ por hectare, a gente diria que esse saldo de crédito utilizado dentro do sistema estaria correspondendo a um desmatamento aí de MIL e 500 quilômetros quadrados. Isso aí é extremamente grave. O estado tem que adotar as medidas necessárias e identificar possíveis fraudes ou a participação de servidores públicos.”

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental de Rondônia foi procurada por diversas vezes, mas não se manifestou até o fechamento desta reportagem.

O Ministério Público Federal no Estado informou que o caso foi encaminhado à Polícia Federal, para instauração de inquérito policial. Segundo o MPF, após a investigação das infrações penais por parte da polícia, o órgão deve propor uma ação penal. Ainda de acordo com o Ministério Público, mais de 50 madeireiras estariam no alvo da investigação.

A Polícia Federal também não se manifestou até o momento.

* Para acessar o áudio em seu player e/ou fazer o download do arquivo MP3 clique aqui

 

in EcoDebate, 19/08/2015


[ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top