Uma pequena luz, artigo de Laís Vitória Cunha de Aguiar

 

opinião

 

[EcoDebate] Conhecido por ter como fonte primária de energia as hidroelétricas, o Brasil é considerado por muitos como um país com fontes de energias limpas, mas será que tem tantas energias renováveis assim?

Neste ano foram investidos bilhões em termoelétricas graças ao atraso de Belo Monte e a seca.

Ivo Pugnaloni, especialista em energia e engenheiro elétrico, afirma que “o nível baixo dos reservatórios e o pequeno investimento em novas usinas hidrelétricas têm obrigado o país a recorrer às usinas movidas a gás ou óleo diesel, gastando R$ 2,3 bilhões ao mês com essas usinas térmicas – uma despesa paga pelos consumidores em suas contas de luz”.

As usinas termoelétricas causam prejuízo ao meio ambiente e aos consumidores: utilizando fontes como carvão, gás natural ou óleo diesel, emitem mais CO2 para a atmosfera e aumentam a pegada de carbono do país, além das chuvas ácidas que são causadas pela queima de combustíveis fósseis.

No caso das termoelétricas movidas à energia nuclear, o problema é o lixo atômico e o fato de que, graças ao aquecimento da água, há diminuição do oxigênio local, causando dano aos peixes e plantas próximos à usina.

Para os consumidores há a clara desvantagem com relação ao preço, que será maior, e para os conscientes que se preocupam com sua pegada de carbono, essa irá ter um aumento considerável, isso sem contar que o seu peixe pode estar contaminado pela radiação.

Já no caso da hidroelétrica de Belo Monte há o ponto de vista negativo e o positivo: Francisco Del Moral Hernandez, professor da USP formado em engenharia pela Unicamp, diz que a construção da grande hidroelétrica só trará prejuízos, tanto ambientais (pela área que ocupa) quanto financeiros, pois segundo ele uma grande quantia de dinheiro está sendo usada e trará pouco retorno.

Do ponto de vista de Lucas Schapira, estudante de engenharia da Unicamp, a construção da usina está sendo ótima, tanto do ponto de vista financeiro quanto ambiental, afinal ele diz que a demanda por energia é crescente, e sem a usina será impossível para o Brasil suprir suas futuras necessidades energéticas, e não há outra forma rápida e limpa de energia que produza tanto quanto Belo Monte.

Com relação ao meio ambiente e propriedade indígena, a área foi diminuída e antes que ocorresse a inundação os animais foram transferidos para um local com o mesmo habitat, plantas foram recolhidas, e a área indígena, ele diz, foi contornada, de forma que não houvesse dano para os índios.

Apesar de todos os problemas, a pátria verde e amarela detém o sétimo lugar no ranking dos países que mais investem em energias renováveis, e, de acordo com o relatório Tendências Globais em Investimentos em Energias Renováveis (PNUMA), em 2014 o valor investido aumentou em 93% em relação ao ano anterior, alcançando US$ 7,6 bilhões.

O Brasil também está na lista dos países com políticas relacionadas a energia sustentável e metas energéticas limpas, como mostra a imagem abaixo:

 

 

O que eu quero dizer com tudo isso? O Brasil é um país repleto de potenciais energéticos renováveis, possui políticas boas para energia, mas ainda existem diversas maneiras de melhorar, como por exemplo deixar de investir em termoelétricas.

O que os cidadãos podem fazer para ajudar? Ficar de olho onde os políticos estão investindo o dinheiro público por meios de portais do governo, como o site da Câmara, em que é possível ver os projetos dos deputados, transformar a própria casa, desde mudanças pequenas como não deixar aparelhos elétricos ligados o dia todo a mudanças grandes como colocar painéis solares.

Um país lindo e rico por natureza como o nosso pode fazer diferença criando uma pequena luz de energias renováveis em um mundo escuro de energias fósseis.

 

in EcoDebate, 15/07/2015

[cite]


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Um comentário em “Uma pequena luz, artigo de Laís Vitória Cunha de Aguiar

  1. Um relato objetivo em que os dois lados da moeda são expostos!
    Confio na implantação de micro e mini geração de energia pelos consumidores residenciais, industriais, comércio, serviços e agropecuária utilizando energia solar e eólica. O Governo deveria implementar políticas públicas que desburocratizem e incetivem todo projeto de implantação com estes recursos. Com certeza, em todos os aspectos, os impactos negativos seriam nulos.

Comentários encerrados.

Top