Revista Science publica texto sobre a pesca de espécies ameaçadas

 

Professor da Unesp de São Vicente é um dos participantes do manifesto

 


Foto: Ibama

 

A Revista Science publicou uma carta de pesquisadores brasileiros e americanos em defesa da manutenção da Portaria nº 445/2014 do Ministério do Meio Ambiente Brasileiro (MMA), divulgada no final do ano passado. No decreto, são listadas 475 espécies aquáticas ameaçadas de extinção, proibindo sua captura.

O texto está na edição da Science de 06/03 (sexta-feira), com a participação do professor doutor Marcelo Antonio Amaro Pinheiro, docente da Unesp, Campus Experimental do Litoral Paulista (CLP), em São Vicente (SP).

O docente atua como Coordenador de Táxon (Crustacea), indicado pelo ICMBio/MMA para coordenar o grupo de especialistas nas espécies de crustáceos, juntamente com Harry Boos do CEPSUL/ICMBio, que atua como ponto focal, que também participou dessa publicação.

A carta expõe o impasse gerado no Brasil a partir da divulgação, envolvendo indústria pesqueira, pescadores artesanais, pesquisadores e Governo Federal. Isso ocorreu porque 83 dessas espécies são pescadas comercialmente. No entanto, os cientistas acreditam que a Lista Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção tem menos efeitos que vem sendo debatido, pois trata da captura contínua e comércio de peixes classificados como vulneráveis.

“Para a confecção da referida lista participaram pesquisadores especialistas nos mais diversos grupos animais, com a avaliação de 100% das espécies de vertebrados e de diversos grupos de invertebrados. Cada espécie foi avaliada segundo critérios da IUCN (International Union for Conservation of Nature), com o estabelecimento da categoria de conservação mais adequada, sempre embasada por trabalhos técnicos e científicos de qualidade”. A chamada “Lista Vermelha de Espécies” é revista a cada cinco anos, embora espécies mais críticas, como aquelas alvo de pesca, possam ser revisadas antecipadamente, se necessário.

A lista foi revisada e atualizada por cerca de 1.300 pesquisadores de universidades e institutos de diferentes regiões do País, em processo que durou cinco anos. Para os especialistas, a melhor alternativa é o trabalho conjunto entre representantes do governo, do meio científico e da área da pesca, buscando melhores estratégias para a solução do problema.

Fonte: Unesp

Publicado no Portal EcoDebate, 10/03/2015


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Um comentário em “Revista Science publica texto sobre a pesca de espécies ameaçadas

  1. As novas listas de extinção são uma das poucas coisas realmente boas que a administração federal fez pelo meio ambiente no Brasil nesses últimos tempos. A lista de extinção dos animais aquáticos, principalmente, era extremamente necessária, e foi elaborada segundo critérios científicos e técnicos, sem interferência de politicagem.

    Talvez exatamente por isso, as velhas forças da oligarquia estão tão raivosos contra elas.

Comentários encerrados.

Top
Betway Casino Roulette Image Banners
Betway Casino Roulette Image Banners