PANK: Professional Aunt No Kids (Tia profissional sem filhos), artigo de José Eustáquio Diniz Alves

 

artigo

 

[EcoDebate] Entre os acrônimos que circulam no mundo, o PANK – Professional Aunt No Kids (Tia profissional sem filhos) é um dos mais recentes. As Panks são mulheres bem-sucedidas, que optaram por não ter filhos biológicos, mas não deixam de gostar de crianças e não poupam esforços para mimar os sobrinhos.

PANK – Professional Aunt No Kids (Tia profissional sem filhos). Foto: CafePress

 

Até o final dos anos de 1980 a taxa de fecundidade no Brasil estava acima de 3 filhos. Isto quer dizer que, em média, cada criança tinha pelo menos dois irmãos. Mas as taxas de fecundidade caíram ao mesmo tempo que aumentou o percentual de mulheres sem filho.

Isto quer dizer que as novas gerações possuem um número menor de irmãos, mas o número de tios e tias se manteve mais elevado. Muitas tias que optaram por não casar ou que casaram mas decidiram não ter filhos, possuem a alternativa de cuidar dos sobrinhos.

Mulheres sem filhos tendem a ter um melhor desempenho no mercado de trabalho. Muitas são bem-sucedidas e aproveitam o sucesso para investir uma parte de suas rendas na formação dos filhos de seus irmãos. Os sobrinhos agradecem a generosidade das tias.

O fato é que o crescente número de mulheres sem filho gerou os acrônimos DINK (Double Income No Kids) ou DINC (Double Income No Children) e também GINK (Green Inclinations No Kids) ou GINC (Green Inclinations No Children). Existe também o PUNK (Professional Uncle No Kids – Tio profissional sem filho).

Mesmo com o crescente percentual de pessoas sem filho, a população mundial continua crescendo e deve atingir 11 bilhões de habitantes em 2100, conforme a projeção média da ONU. Na nova realidade demográfica, não querer ter filhos é uma escolha que cada um pode fazer independente da idade e da condição socioeconômica, mas mesmo sem ter filhos biológicos, as pessoas não deixam de ter a oportunidade de cuidar de um sobrinho, afilhado ou de uma criança adotada por algum conhecido. O importante é garantir a liberdade e os direitos sexuais e reprodutivos.

Referências e sites sobre indivíduos sem filhos:

Lisa Hymas. The GINK (Green Inclinations, No Kids) manifesto. Say it loud: I’m childfree and I’m proud. 30/03/2010. Disponível em:
http://www.grist.org/article/2010-03-30-gink-manifesto-say-it-loud-im-childfree-and-im-proud

Katie Herzog. Why I’ll never have kids, and why you shouldn’t either, GRIST, 16/01/2015
http://grist.org/article/why-ill-never-have-kids-and-why-you-shouldnt-either/

Luci Mansur, Sem filhos: a mulher singular no plural, São Paulo, Casa do Psicólogo, 2003
http://www.buscape.com.br/sem-filhos-a-mulher-singular-no-plural-luci-helena-baraldo-mansur-8573962690.html#precos

Musings on childfree living and reproductive rights, with a green twist
http://ginkthink.wordpress.com/about/

The Childless by Choice Project http://www.childlessbychoiceproject.com/
https://pt-br.facebook.com/SemFilhosPorOpcao

Utero Vazio http://uterovazio.blogspot.com.br/

Childfreedom http://childfreedom.blogspot.com.br/

Life Without Baby http://lifewithoutbaby.com/

 

José Eustáquio Diniz Alves, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br

Publicado no Portal EcoDebate, 18/02/2015

Nota do EcoDebate: sobre o mesmo tema leiam, ainda, o artigo GINK: Pessoas com inclinação verde e sem filhos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Um comentário em “PANK: Professional Aunt No Kids (Tia profissional sem filhos), artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  1. Tenho minhas dúvidas:

    1ª: a população humana terá condições material (água, alimento, etc.) e de relacionamento (evitar guerras e conflitos internos), que permitam chegar ao ano 2100, com 11 bilhões de seres?

    2ª: o sistema planeta Terra não terá entrado em colapso, até o ano 2100, com tamanho crescimento populacional e de degradação dos ecossistemas?

Comentários encerrados.

Top