Desastres naturais provocaram três vezes mais deslocados que conflitos armados

 

deslizamentos em Teresópolis

 

Os desastres naturais que ocorreram no ano passado deslocaram três vezes mais pessoas que conflitos armados, evidenciando uma necessidade urgente de ajudar as pessoas mais vulneráveis a lutar contra as alterações climáticas, de acordo com um estudo publicado ontem (17).

O Conselho Norueguês para Refugiados publicou os dados antes da Cúpula do Clima das Nações Unidas, que ocorrerá na próxima terça-feira (23), em Nova York, na esperança de contribuir para um acordo global sobre alterações climáticas.

O estudo indica que 22 milhões de pessoas foram deslocadas em 2013 devido a desastres naturais, quase três vezes mais que o número de pessoas que teve de sair das suas casas devido a situações de violência.

O problema tem se agravado com o dobro dos deslocados globalmente que em 1970, apesar de o aperfeiçoamento dos serviços meteorológicos e das operações de salvamento ter contribuído para a redução do número de mortos.

“É um sinal de despertar, acredito, para os líderes mundiais que se vão reunir. Por pior que a situação esteja hoje, vai tornar-se dramaticamente pior se não se investir mais no combate”, disse Jan Egeland, secretário-geral do Conselho Norueguês para Refugiados.

“Temos de tornar as pessoas nas Filipinas ou no Chade ou no Haiti tão combativas como nós na Noruega ou em algumas partes dos Estados Unidos”.

Egeland é o ex-coordenador do programa de apoio a situações de emergência das Nações Unidas, tendo assumido um papel de relevo na obtenção de apoio após o tsunami no Oceano Índico, em 2004.

Da Agência Lusa / ABr, no EcoDebate, 18/09/2014


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top