A questão ambiental, artigo de Roberto Naime

 

opções

 

[EcoDebate] A questão ambiental resulta em variáveis econômicas e políticas de forma inevitável. Existem subsídios técnicos básicos para que os leigos possam ter conhecimentos gerais de fundamentos que subsidiem suas interpretações sobre as questões relevantes do meio-ambiente.

O planeta terra é formado pelos compartimentos físico e biológico. E ambos interagem com o meio antrópico ou socioeconômico, representado por todas as ações e empreendimentos humanos e suas interações com os meios constituintes da terra e com o próprio meio antrópico.

Assim, uma estrada traz progresso para o escoamento da produção e o turismo, mas pode trazer impactos ao meio físico, desmatamento e expulsão de espécies da fauna e problemas para atividades de pecuária e lavoura, além de propiciar êxodo rural e eventuais rupturas sociais com aumento de criminalidade e prostituição.

A função da percepção ambiental e dos estudos de impacto ambiental visa compreender todas as realidades e relações estabelecidas, dentro de uma concepção sistêmica e uma visão holística, de maneira a compatibilizar os empreendimentos com as características dos meios em que estão inseridos, atenuando, minimizando ou compensando os impactos e potencializado os benefícios.

Para consecução destes objetivos, devem existir concepções básicas sobre a percepção ambiental, a educação ambiental, as noções de métodos de avaliação de impacto ambiental e a vida em equilíbrio, onde são discutidas as concepções básicas de desenvolvimento sustentável, em um contexto multidisciplinar e holístico.

A espécie humana está constantemente agindo sobre os meios naturais (meio físico e meio biológico) com o objetivo de sanar suas necessidades. Todas as ações humanas geram respostas emocionais e interferem com nossa própria satisfação psicológica com o meio-ambiente.

Cada indivíduo percebe, reage e responde de forma diferenciada. As respostas e manifestações são resultantes das percepções de cada um, ou, seja dos processos cognitivos, julgamentos e expectativas.

No meio urbano, outros fatores de natureza socioeconômica afetam a qualidade do meio ambiente e da vida, como populações assentadas em áreas de risco ou marginalizadas. Mas em conjunto, as cidades ainda exercem um forte poder de atração, devido à heterogeneidade, movimentação e possibilidades de ascensão que ainda representam.

Uma das formas mais comuns de insatisfação com a situação socioeconômica e ambiental é o vandalismo. Condutas agressivas em relação a elementos físicos e arquitetônicos entre as classes menos favorecidas, simplesmente expressam a revolta pelas condições de vida a que estas populações são submetidas.

A percepção ambiental procura desenvolver trabalhos que auxiliem a produção e diversificação de métodos de conscientização ambiental integrada, que estimulem os contatos e a formulação da teia de relações possíveis entre os meios.

Começam pelo meio físico e todos os seus componentes, e as relações com os meios biológico e socioeconômico ou antrópico e todas as suas múltiplas variáveis. Isto sem dúvida significa uma contribuição de grande valor para a tomada de consciência das populações em busca de melhor qualidade de vida e preservação dos valores sociais, morais e ambientais.

Assim, o estudo da percepção ambiental é de fundamental importância para que possamos compreender melhor as inter-relações entre o homem e o ambiente, suas expectativas, satisfações e insatisfações, julgamentos e condutas.

Saber como os indivíduos com quem teremos interações profissionais ou sociais percebem o ambiente em que vivem, suas fontes de satisfação e insatisfação é de fundamental importância, pois só assim, conhecendo a cada um, será possível a realização de um trabalho de minimização de impactos ambientais ou de educação ambiental, com bases locais, partindo da realidade do público alvo.

As formas de gerir e aprimorar a percepção ambiental são a observação da natureza, das relações entre os seres humanos e os meios físico e biológico, e o traçado de mapas mentais ou de contorno e representações fotográficas.

Dr. Roberto Naime, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em Geologia Ambiental. Integrante do corpo Docente do Mestrado e Doutorado em Qualidade Ambiental da Universidade Feevale.

 

EcoDebate, 27/05/2014


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Um comentário em “A questão ambiental, artigo de Roberto Naime

  1. Resumindo:
    o ser humano se pauta em interesses, sejam eles legítimas e úteis para o conjunto da sociedade, ou não.
    Assim sendo, a lei, a regulamentação e até a punição tem alcance bem limitada.
    Uma estratégia ambiental e social vencedora teria que cativar os corações, mas sobretudo ser percebida como mais de acordo com os interesses individuais do as práticas predadoras.
    Como diz a música “Sem tesão não tem solução”, o desafio é fazer mais pessoas gostar de uma marcha em direção à sustentabilidade, precisamos de uma perspectiva de um mundo verdadeiramente melhor, sobretudo para os jovens.
    O consumismo e o individualismo exacerbado se alimentam exatamente da falta de perspectivas, no fundo da falta de esperança.

Comentários encerrados.

Top