Fogos de artifício: 10 recomendações ARCA Brasil para minimizar o sofrimento dos animais domésticos

 

Fogos de artifício
Fogos de artifício. Foto de Wilson Dias/ABr

 

1. Coloque coleira e plaqueta de identificação (RGA) com o número do seu telefone (residência e celular). Esse pode ser o ‘bilhete de volta pra casa’ no caso de fugas. A coleira do gato deve ser elástica, para evitar enforcamentos ao se prender a galhos ou outro objeto. O microchip é uma identificação perfeita e definitiva, mas não elimina o uso da plaqueta.

2. Verifique se muros, cercas e portões encontram-se em bom estado e são suficientes para impedir fugas, mesmo que o animal esteja apavorado. Antes do início dos fogos, acomode o bicho em um ambiente o mais protegido possível dos barulhos, dentro de casa ou numa área externa, em que ele fique isolado dos perigos.

3. Nunca deixe seu animal preso em corrente. Na hora do pânico ele pode se machucar e até se enforcar. Se tiver mais de um cão, evite deixá-los juntos por precaução. Excitados pelo barulho, eles podem brigar e se ferir gravemente.

4. Ofereça alimentos leves antes dos fogos. Distúrbios digestivos provocados pela agitação e pelo pânico podem, até mesmo, ser fatais.

5. Se você mora em apartamento, verifique se as telas de proteção das janelas estão firmes e seguras. Se não tiver tela, jamais deixe as janelas escancaradas, sobretudo se você tem gatos e se não estiver em casa.

6. Antes da meia-noite aproxime seu animal da TV ou de um aparelho de som e vá aumentando aos poucos o volume para que ele se acostume com o som alto.

7. Apesar de desconfortáveis, tampões de silicone ou algodão podem ser utilizados, mas retirados imediatamente, assim que o barulho cessar.

8. Saia para passear, correr e brincar com o seu cão várias vezes no dia das festas. Ele estará mais cansado durante a queima de fogos, e o medo dos rojões será menor.

9. Para os gatos, procure transformar um ambiente no cantinho deles. Crie tocas com cobertores para aumentar a sensação de proteção. Abra portas de armários e deixe os lugares que eles gostam acessíveis, além de água, comida e areia próximos.

10. Consulte um veterinário para saber sobre medicações que podem tranquilizar seu bichinho. Muitas pessoas utilizam florais, que são essências extraídas de flores silvestres. Segundo elas, esse é um recurso válido pois auxilia no equilíbrio das emoções e não tem contra indicações. Mas lembre-se: nunca dê medicamentos ao seu cão ou gato sem indicação médica!

Colaboração da Arca Brasil, para o EcoDebate, 23/12/2013


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top