Quem falou que os ambientalistas faltaram ao 22 de junho de BH? Gandarela Presente!

 

jornalismo colaborativo

 

Tá aí a nossa manifestação pelas águas, serras, pela Serra do Gandarela e tantas outras que a Vale quer e está destruindo no Quadrilátero Aquífero de Minas Gerais (mais conhecido como Quadrilátero Ferrífero), com apoio do governo estadual do PSDB e de setores do governo da presidenta Dilma (que não queremos derrubar!), mas que queremos que nos envie representantes que não façam o que estão fazendo com a proposta do Parque Nacional da Serra do Gandarela – ridicularizando-o para entregar áreas vitais ao turismo, à biodiversidade e à autoestima dos que querem um parque de verdade, à VALE SA.

Soubemos que a Ministra Izabella Teixeira, tem só ouvidos para a Vale (nunca nos recebeu, assim como o governador Anastasia (PSDB), aos dois pedimos audiência desde 2010). Soubemos, nesta sexta-feira, que em recente passagem por Ouro Preto (com uma esticadinha ela poderia ter conhecido a Serra do Gandarela), a ministra Izabella teria chamado a instituição do Ministério Público de moleque, num evento público – porque o MP estaria “atrapalhando” projetos insustentáveis que querem implantar a todo o custo em Minas Gerais – destruindo nossas montanhas, mananciais e soterrando áreas consideráveis de mata atlântica (com barragens de rejeitos, pilhas de estéril e eucaliptos da cadeia de produção mínero-siderúrgica). Mata Atlântica, aliás, de cujo desmate, Minas é tetracampeã, lembram-se?

Chega de picaretagem na área ambiental. Nomeiem quem de fato defenda o meio ambiente em Minas Gerais e no Brasil. Chega de autoridades serviçais! É esta a voz das ruas. Não entenderam???!!

Estão destruindo o Instituto Chico Mendes, que comprovadamente é o órgão federal de meio ambiente mais eficiente no gasto de recursos programados – e que, mesmo assim, perde autoridade para negociar com a sociedade, pois tudo o que combina, o rolo compressor do Ministério do Meio Ambiente passa por cima.

É o que acontece neste momento com a proposta do Parque Nacional da Serra do Gandarela, trucidada pelo MMA. Nas conversações do ICMBio com a sociedade, ficou definido que o Parna seria criado com uma RDS que atenderia ao clamor de comunidades locais que queriam manter atividades extrativas em área originalmente prevista pelo ICMBio para o Parna. Os ambientalistas acordamos com a retirada de parte do Parna para o atendimento a estas comunidades.

Agora, tentam passar somente o Parna esquartejado e gravemente descaracterizado, com a eliminação de 10 mil hectares que estariam na RDS e ajeitando o interesse da Vale para termos na paisagem do Parna duas grandes barragens de rejeitos e uma mega-mineração da VALE S.A. que jogará por terra o interesse paisagístico e turístico do Parna e a qualidade das águas (Classes Especial e 1) que nascem na área mais central do Parque. A proposta da RDS desapareceu, e o governo estadual já começa a autorizar a mineração em área contígua a ela, alimentando desta forma o esfacelamento da proposta da RDS, com o consentimento subentendido de quem não se digna a criá-la.

Isso é uma afronta inaceitável. E por isso estamos nas ruas para gritar e exigir dignidade.

Cansamos de esperar por decência!

Por um Parque Nacional da Serra do Gandarela aprovado juntamente com a Reserva de Desenvolvimento Sustentável de André do Mato Dentro e Conceição de Rio Acima – e sem barragens de rejeitos e mineração no ribeirão da Prata, e nos córregos de águas límpidas e cachoeiras que nascem nestas serras e montanhas!”

Gustavo Tostes Gazzinelli
Jornalista, Ambientalista e Integrante do Movimento pelas Serras e Águas de Minas

EcoDebate, 26/06/2013


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

3 comentários em “Quem falou que os ambientalistas faltaram ao 22 de junho de BH? Gandarela Presente!

  1. Vergonhosa a atitude da Dilma frente à necessidade de fortalecer o SNUC e os índios, assim como a falta de caráter dos atuais “dirigentes” do MMA, que no mais, viraram somente papagaios de pirata das vontades e da falta de vontade da Dilma.

Comentários encerrados.

Top