Exposição precoce ao Bisfenol-A (BPA) pode afetar o esmalte dos dentes

 

American Journal of Pathology

 

Uma exposição precoce ao bisfenol A (BPA) pode afetar o esmalte dos dentes, revela um estudo do Instituto Francês de Saúde e Pesquisa Médica (INSERM) realizado com animais.

Os incisivos de ratos tratados com baixas doses diárias (5 microgramas/kg/dia) de BPA podem sofrer alterações, destacam os pesquisadores do INSERM em trabalhos publicados [Enamel Defects Reflect Perinatal Exposure to Bisphenol A ] no American Journal of Pathology. Matéria da AFP, no UOL Notícias, com informações adicionais do Portal EcoDebate.

O efeito é observado em um período inferior a 30 dias de vida dos ratos e as alterações apresentam numerosas características comuns com a patologia do esmalte dos dentes descrita como “MIH” ou “hipomineralização molar-incisivo”, que afeta em torno de 18% das crianças com entre 6 e 8 anos.

As crianças afetadas por esta patologia têm dentes hipersensíveis à dor e são mais propensas às cáries.

O período de formação dos dentes (primeiros anos de vida) corresponde ao período no qual o indivíduo é mais sensível ao bisfenol A, destaca o INSERM.

A análise das proteínas da matriz dos dentes de ratos revelou um aumento da quantidade de enamelina, uma proteína chave do esmalte em formação, e o acúmulo de albumina, que se traduz na hipomineralização.

O estudo concluiu ainda que há dois genes – enamelina e calicreína 4, que são afetados pelo BPA.

“Na medida em que o BPA tenha o mesmo mecanismo de ação tanto em ratos como em humanos, poderia ser o agente causador do MIH”, disse Sylvie Babajko, diretora de pesquisa do INSERM e coautora do estudo.

Desta forma, os dentes poderão ser utilizados como marcadores precoces da exposição às alterações endócrinas ligadas ao BPA e ajudar no diagnóstico de patologias pesadas que surgem anos depois, destaca Babajko.

O bisfenol A (BPA) é um composto químico encontrado na composição de plásticos e resinas utilizados na fabricação de recipientes para alimentos como garrafas e mamadeiras. Também está presente em películas de proteção no interior de garrafas e em latas de conservas.

Estudos recentes com cobaias revelaram que este composto industrial tem efeitos nefastos na reprodução, no desenvolvimento e no metabolismo de animais, lembra o INSERM.

Como medida de precaução, a Europa proibiu a fabricação e comercialização de mamadeiras com bisfenol A desde janeiro de 2011 e a mesma decisão será aplicada a recipientes de alimentos a partir de julho de 2015 na França.

Enamel Defects Reflect Perinatal Exposure to Bisphenol A Original Research Article
The American Journal of Pathology, , Available online 10 June 2013,
Katia Jedeon, Muriel De la Dure-Molla, Steven J. Brookes, Sophia Loiodice, Clémence Marciano, Jennifer Kirkham, Marie-Chantal Canivenc-Lavier, Sofiane Boudalia, Raymond Bergès, Hidemitsu Harada, Ariane Berdal, Sylvie Babajko
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0002944013002794

 

EcoDebate, 13/06/2013


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top