A população das Filipinas em 2100, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

 

população das Filipinas em 2100

 

[EcoDebate] O arquipélago das Filipinas é formado por mais de 7 mil ilhas e possui uma área de cerca de 300 mil km². O país está localizado abaixo de Taiwan e China, ao leste do Vietnã e acima da Malásia e Indonésia. Os espanhóis dominaram o arquipélago de 1571 a 1898 e introduziram o cristianismo, que se tornou a religião majoritária (cerca de 80% da população).

A população filipina era de 18,4 milhões em 1950, passou para 93,3 milhões em 2010 e deve chegar a 154,9 milhões em 2050 e 178 milhões em 2100, segundo a hipótese média da ONU. Na hipótese baixa, em 2100, a população das Filipinas ficaria com 108 milhões e na hipótese alta, com 278 milhões de habitantes. A densidade demográfica era de 61 habitantes por quilômetro quadrado, em 1950, passando para 311 hab/km2 em 2010, podendo chegar a 593 hab/km2, em 2100, na hipótese média.

A taxa de fecundidade total (TFT) era extremamente alta, de 7,4 filhos por mulher, em 1950. A TFT caiu para menos da metade em 2010, ficando em 3,3 filhos por mulher. Mesmo com toda esta queda, a taxa de fecundidade é ainda considerada alta. Como o país tem uma estrutura etária jovem e muitas mulheres no período reprodutivo, as projeções indicam um grande crescimento demográfico em um país que já tem uma densidade populacional elevada. As Filipinas possuem as maiores taxas de crescimento demográfico do sudeste asiático.

Durante mais de 10 anos o governo tentou aprovar uma lei de “saúde reprodutiva” garantindo o acesso da população aos diversos métodos contraceptivos. Mas a oposição da igreja Católica foi muito forte. Finalmente, em 2012, a lei foi aprovada, mas não se sabe até que ponto vai ser colocada em prática. Se a taxa de fecundidade cair para o nível de reposição (2,1 filhos por mulher) a população das Filipinas pode se estabilizar na segunda metade do século XXI.

Isto poderia facilitar a luta pela redução da mortalidade infantil e pelo aumento da esperança de vida. A mortalidade infantil era de 97 por mil em 1950-55, passou para 23 por mil em 2005-10 e deve ficar em 12 por mil em 2045-50. A esperança de vida passou de 55,4 anos, para 67,8 anos e deve chegar a 76,3 nos mesmos períodos.

Em termos ambientais, as Filipinas possuem déficit ambiental, pois segundo o relatório Planeta Vivo, da WWF, a pegada ecológica per capita dos filipinos era de 0,98 hectares globais (gha) per capita, em 2008, e possuía uma biocapacidade de somente 0,62 gha. Assim, a população filipina, que já enfrenta diversos desastres naturais, vai ter de fazer um esforço muito grande para colocar sua pegada ecológica dentro dos limites da sua biocapacidade, especialmente em um cenário de continuidade do crescimento econômico e populacional.

José Eustáquio Diniz Alves, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em demografia e professor titular do mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br

 

EcoDebate, 17/05/2013


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top