Relatório da ONU analisa ligação entre produtos químicos e problemas de saúde

 

produtos químicos e problemas de saúde

 

Muitos produtos químicos de uso doméstico e industrial que não foram devidamente testados podem ter efeitos sobre o sistema hormonal e causar problemas de saúde significativos, de acordo com um relatório das Nações Unidas divulgado nesta terça-feira (19).

O relatório O Estado da Ciência dos químicos de desregulação endócrina, produzido em conjunto pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), destaca algumas associações entre a exposição a desreguladores endócrinos (EDC, na sigla em inglês) e problemas de saúde, como câncer de mama, de próstata e de tireoide, além de déficit de atenção e hiperatividade em crianças.

Precisamos urgentemente de mais pesquisas para obter uma imagem mais completa dos impactos sobre a saúde e o meio ambiente de desrugladores endócrinos”, afirmou a Diretora de Saúde Pública e Meio Ambiente da OMS, Maria Neira. “A ciência mais recente mostra que as comunidades em todo o mundo estão sendo expostas aos desreguladores endócrinos, e seus riscos associados.”

Os EDCs podem entrar no meio ambiente através de despejos industriais e urbanos, escoamento agrícola e pela queima e liberação de resíduos. Alguns EDCs ocorrem naturalmente, enquanto as variedades sintéticas podem ser encontrados em pesticidas, produtos eletrônicos, produtos de higiene pessoal, cosméticos e aditivos ou contaminantes em alimentos. Além de afetar seres humanos, esses elementos também podem prejudicar a vida animal.

Os produtos químicos são cada vez mais parte da vida moderna e apoiam muitas economias nacionais, mas o manejo inapropriado de produtos químicos desafia o alcance das metas fundamentais de desenvolvimento sustentável para todos”, destacou o Diretor Executivo do PNUMA, Achim Steiner.

Saiba mais, em inglês, sobre o tema em www.who.int/ceh/risks/cehemerging2

Informe da ONU Brasil, publicado pelo EcoDebate, 20/02/2013


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

2 comentários em “Relatório da ONU analisa ligação entre produtos químicos e problemas de saúde

  1. E agora o que vai dizer o pessoal da CTNBio que aprovaram muitos destes verdadeiros venenos sem avaliar os riscos para a saude de quem ficar intoxicado por eles? Onde ficou o princípio de PRECAUÇÃO?
    E quem vai ter que pagar as indenizações por eventuais consequências nas vítimas de intoxicação? E mais ainda, quem vai providenciar para a descontaminação das áreas contaminadas? Será que pelo menos que agora a CTNBio vai ser mais cuidadosa em aprovar a formulação e a comercialização destes produtos químicos perigosos?
    Vamos ver quadoi serão apresentadas as sementes resistentes ao pesticida 2,4-D como prometem as empresas sementeiras de transgênicos. Padre Angelo Pansa- Delegado ICEF (International Court of the Environment Foundation) e vítima de intoxicação aguda pelo Nufarm 2,4-D produzido e comercializado pela Nufarm do Brasil na fábrica de Maracanau-Fortaleza-Ceará.

  2. Desculpem os erros de ortografia do Comentário anterior. Vou repetir:
    E agora o que vai dizer o pessoal da CTNBio que aprovaram muitos destes verdadeiros venenos sem avaliar os riscos para a saude de quem ficar intoxicado por eles? Onde ficou o princípio de PRECAUÇÃO?
    E quem vai ter que pagar as indenizações por eventuais consequências nas vítimas de intoxicação? E mais ainda, quem vai providenciar para a descontaminação das áreas contaminadas? Será que, pelo menos, agora a CTNBio vai ser mais cuidadosa em aprovar a formulação e a comercialização destes produtos químicos perigosos?
    Vamos ver quando serão apresentadas as sementes resistentes ao pesticida 2,4-D como prometem as empresas sementeiras de transgênicos.
    Padre Angelo Pansa- Delegado ICEF (International Court of the Environment Foundation) e vítima de intoxicação aguda pelo Nufarm 2,4-D produzido e comercializado pela Nufarm do Brasil na fábrica de Maracanau-Fortaleza-Ceará.

Comentários encerrados.

Top