Denúncia: Aviões estariam pulverizando veneno em floresta no Pará

 

denúncia

 

Ouvinte do ‘Jornal da Amazônia’, da Rádio Nacional da Amazônia, denuncia que aviões estariam pulverizando agrotóxico em mata nativa da cidade de Rio Maria (PA); segundo ela, a prática é comum em áreas onde não há plantio.

Apresentação de Leonardo Catto, da Radioagência Nacional / EBC

 

EcoDebate, 17/01/2013


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

2 comentários em “Denúncia: Aviões estariam pulverizando veneno em floresta no Pará

  1. Já tinha denunciado a utilização de produtos desfoliantes na Terra do Meio ( Municípios de São Félix do Xingu e Altamira), estado do Pará, através da TV GLOBO em 2007. Denunciei o fato também junto ao MPF, ao Ibama e à Anvisa. O produto utilizado ( e talvez seja o mesmo que está sendo utilizado em Rio Maria) era o U-46 2,4-D da Nufarm do Brasil ( a fábrica está em Maracanaú-CE, perto de Fortaleza). Tinha denunciado que os efeitos sobre a mata nativa eram semelhantes aos do “Agente Laranja” utilizado no Vietnam pelos militares americanos. Tendo sido vítima de intoxicação por parte do 2,4-D, estou levando em frente processos para indenização dos danos físicos e morais que sofrí e estou sofrendo.Padre Angelo Pansa- Delegado ICEF (International Court of the Environment Foundation).

  2. Este produtor (ou destruidor) como vários outros, sabe perfeitamente o que está ocorrendo! É puro descaso e negligência com o meio ambiente! Não tem essa de educar. Este malandro não está nem aí para os problemas que vem causando. E se tiver um rio próximo? E os danos que certamente estão sendo causados à fauna local? Chega de ser “Bonzinho” com estes destruidores do meio ambiente!E a reponsabilidade do piloto como fica? Também não sabia que é permitido a utilização destes produtos para substituir a vegetação nativa! Que absurdo!Nao sei quem é mais irresponsável , o produtor ou os orgãos fiscalizadores!

Comentários encerrados.

Top