Comissão de Direitos Humanos e Minorias terá representação para discutir impacto de Belo Monte

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias vai criar uma representação para reunir-se com diversas entidades da sociedade civil a fim de tomar conhecimento da situação das populações residentes nas áreas onde será instalada a usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

Requerimento do deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), aprovado na quarta-feira (16), estabelece que os integrantes da representação farão contato com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Comissão para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), a Eletronorte, o Ministério Público Federal e o governo do Pará para obter informações sobre o tema.

Jordy está preocupado com o impacto da instalação da usina, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e terá capacidade de gerar 11 mil megawatts de energia – a terceira maior do mundo nesse aspecto, segundo o deputado. Em janeiro deste ano, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) concedeu licença ambiental para a usina, autorizando o desmatamento de 238 hectares de florestas para a instalação do canteiro de obras.

O parlamentar cita o relatório da Missão Xingu, da Plataforma Brasileira de Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais (Dhesca), que apontou em 2010 diversas violações de direitos humanos no licenciamento da usina e detectou no projeto de Belo Monte “graves falhas e impactos irreversíveis sobre a população que vive às margens do rio Xingu, particularmente os ribeirinhos e indígenas”.

O parlamentar ressalta ainda que “os movimentos sociais e as lideranças indígenas da região são contrários à obra porque consideram que os impactos socioambientais não estão suficientemente dimensionados”. Jordy afirma ainda que a implantação da hidrelétrica poderá acelerar o aquecimento global, por provocar a inundação da vegetação nativa e gerar gás metano, e causará o deslocamento compulsório de cerca de 40 mil moradores da região.

Reportagem da Agência Câmara de Notícias, publicada pelo EcoDebate, 21/03/2011

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Alexa

Um comentário em “Comissão de Direitos Humanos e Minorias terá representação para discutir impacto de Belo Monte

  1. Seria importanten que a Comissao de Direitos Humanos e Minorias levasse em consideraçao a contaminaçao por agrotòxicos adulterados utilizados para desmatamento na regiao da Terra do Meio ( Municìpios de Sao Félix do Xingu e Altamira) cujos residuos contaminantes ainda se encontram espalhados em toda a àrea apesar das reiteradas Alertas de Contaminaçao apresentadas seja para a fàbrica do produto Nufarm 2,4-D adulterado talvez com DIOXINAS, seja para as Autoridades competentes ( IBAMA e ANVISA através de ofìcios ).
    Ainda nao conseguimos fazer com que estes produtos e amostras das àreas contaminadas sejam analisados em laboratòrios especìficos para detectar a eventual presença de DIOXINAS e relativas quantidades. Padre Angelo Pansa- Delegado ICEF (Internacional Court of the Environment Foundation).

Comentários encerrados.

Top