Governo prepara editais para licitar mais 8 mil km2 de florestas na Amazônia

O Serviço Florestal Brasileiro (SFB), responsável pela concessão de florestas públicas, deve licitar em 2011 mais 8 mil quilômetros quadrados (km²) de áreas para exploração controlada de mata nativa na Amazônia. O órgão está preparando editais para concessão de lotes nas florestas nacionais de Crepori, Altamira e Saracá-Taquera, no Pará, e Jacunda, em Rondônia.

No Pará, as novas áreas para concessão estão na região de influência da BR-163 (que liga Cuiabá a Santarém), conhecida pelos altos índices de desmatamento ilegal, e na Calha Norte (faixa de fronteira da Amazônia brasileira), ainda bastante preservada. O processo está na fase de avaliação das sugestões apresentadas pelas populações locais durante as audiências públicas.

Atualmente, o SFB tem um edital aberto, de concessão de 210 mil hectares na Floresta Nacional do Amana, no Pará. As empresas interessadas podem se inscrever na licitação até o dia 23 de fevereiro.

Nas áreas de floresta licitadas, as espécies de árvores exploradas são definidas por um plano de manejo e a retirada é feita com base em um sistema de revezamento. O empresário divide a área em pequenos lotes e explora um de cada vez, para que a parte derrubada possa se regenerar enquanto os outros lotes vão sendo explorados. O plano de manejo é fiscalizado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e por auditorias independentes periódicas.

Reportagem de Luana Lourenço, da Agência Brasil, publicada pelo EcoDebate, 19/01/2011


Compartilhar

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Top