Senado aprova projeto de lei para incluir cinco vacinas na rede pública de saúde

O Senado aprovou ontem (17) projeto de lei para a inclusão de cinco vacinas na rede pública de saúde. O texto segue para a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

As vacinas previstas são a da hepatite A, varicela (catapora), do pneumococo, da pneumocócica conjugada sete valente e meningocócica conjugada C. Se convertida em lei, elas deverão ser aplicadas no ano seguinte à sanção presidencial.

O texto foi aprovado anteriormente na Câmara dos Deputados. O autor do projeto, deputado federal Alexandre Silveira (PPS-MG), disse que a inclusão das vacinas poderá reduzir a mortalidade de crianças, por exemplo, por pneumonia.

Em fevereiro deste ano, o Ministério da Saúde anunciou a inclusão da vacina meningocócica conjugada C, que previne contra a meningite em crianças de até 4 anos de idade, no calendário básico infantil. Um tipo de imunizante contra a bactéria pneumococo – causadora de meningites e pneumonias pneumocócicas, sinusite, inflamação no ouvido – também passou a fazer parte da vacinação obrigatória.

A hepatite A atinge, principalmente, crianças com menos de 5 anos de idade. Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) recomenda a aplicação da vacina somente em casos especiais, como em portadores de doenças crônicas no fígado ou pessoas que passaram por transplante de medula óssea.

Altamente contagiosa, a varicela, popularmente chamada de catapora, é uma das doenças virais mais comuns na infância. A vacinação contra a enfermidade é feita em populações indígenas por causa da alta letalidade nesses povos, segundo o Ministério da Saúde.

Reportagem de Carolina Pimentel, da Agência Brasil, publicada pelo EcoDebate, 18/11/2010


Compartilhar

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Comentários encerrados.

Top