MS: Parque Nacional da Serra da Bodoquena começa a ser implementado

Foto: Parque Nacional da Serra da Bodoquena Fonte: Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
Foto: Parque Nacional da Serra da Bodoquena Fonte: Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul

Com a participação do Ministério Público, proprietários rurais e sociedade civil, Conselho Consultivo do parque inicia trabalhos

Parque tem mais de 76 mil hectares

A administração dos mais de 76 mil hectares de terra que compõem o Parque Nacional da Serra da Bodoquena (PNSB) começa a ser debatida. Na última semana, foi instituído em Mato Grosso do Sul o Conselho Consultivo do Parque Nacional, que une órgãos públicos, proprietários rurais e sociedade civil para a efetivação da primeira Unidade de Conservação Integral federal do estado.

O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS), representado pelo procurador da República Emerson Kalif Siqueira, integra o Conselho Consultivo como membro titular. Para o procurador, dar seguimento à efetivação do parque é prioridade. “O Parque da Serra da Bodoquena foi criado há dez anos e até hoje apenas 17% de suas áreas tiveram a transferência de domínio para a União efetivadas (regularização fundiária). Ainda que a preservação da rara faixa de Mata Atlântica existente no centro-oeste brasileiro constitua-se em dever legal independentemente de quem titularize a área (se o poder público ou proprietário privado), é preciso dar seguimento à implementação da unidade de conservação.”

Das 47 propriedades rurais que compõem o Parque Nacional, nove já foram adquiridas pela União, totalizando 13.584,66 hectares. Há ainda 20 processos em andamento no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para fins de regularização fundiária, sendo que a metade deles está parada por documentação incompleta. A próxima reunião do Conselho Consultivo, agendada para 7 de dezembro, no Município de Jardim, irá debater este assunto.

Raridade – O Parque Nacional da Serra da Bodoquena abrange os municípios de Bonito, Bodoquena, Jardim e Porto Murtinho e é o único Parque Nacional situado exclusivamente em território sul-mato-grossense. Localizado no Cerrado, ele possui influências do Pantanal, do Chaco e da Mata Atlântica.

O PNSB protege uma área de transição importante e rara no Brasil e engloba a cabeceira de rios regionalmente valiosos, como o Salobra, Perdido, Formoso e da Prata, cujas águas vertem para rios federais. A peculiaridade da região é representada também por uma fauna exuberante.

Segundo Avaliação Ecológica Rápida (AER), realizada pelo ICMBio, é possível encontrar na região onças, veados, tatus, catetos, macacos-prego, gato-palheiro, cachorro-vinagre, entre outros mamíferos. Foram registradas, ainda, quase 400 espécies de aves, duas novas espécies de peixes e espécies raras de répteis e anfíbios.

Na região há também indícios da existência de grandes sistemas de cavernas inundadas e resquícios de fósseis de 12 mil a 20 mil anos, que conviveram com seres humanos na última glaciação.

Inquérito civil – No âmbito do MPF/MS foi instaurado o Inquérito Civil nº 1.21.000.000736/2007-87 exatamente para “apurar os entraves para a regularização fundiária do PARNA Serra da Bodoquena, tais como a morosidade na aquisição dos imóveis particulares inseridos na área do parque”, no qual se busca reunir dados e documentação acerca da implementação total da unidade de conservação e cobrar do ICMBio mais agilidade no cumprimento de suas obrigações enquanto órgão público responsável pela gestão do parque.

Fonte: Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul

EcoDebate, 08/11/2010

Compartilhar

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Comentários encerrados.

Top