Exposição a produtos químicos comuns pode afetar o desenvolvimento feminino

O sistema endócrino.
Fonte “Interferentes endócrinos no ambiente“, de Gislaine Ghiselli e Wilson F. Jardim

[Por Henrique Cortez, do Ecodebate] Os pesquisadores do Mount Sinai School of Medicine descobriram que a exposição a três classes de produtos químicos comuns (fenóis, ftalatos e fitoestrogênios) em jovens pode comprometer o sincronismo do desenvolvimento puberal, e colocar as meninas em situação de risco para complicações de saúde quando adultas.

O estudo [Investigation of Relationships between Urinary Biomarkers of Phytoestrogens, Phthalates, and Phenols and Pubertal Stages in Girls] , o primeiro para examinar os efeitos dessas substâncias sobre o desenvolvimento puberal, foi publicada na edição online da revista Environmental Health Perspectives.

“A pesquisa mostrou que o desenvolvimento puberal precoce em meninas pode ter efeitos sociais e médicos adversos, incluindo câncer e diabetes quando da idade adulta”, disse Maria Wolff, professor de Medicina Preventiva e Ciências Oncológicas na Mount Sinai School of Medicine.

“Nossa pesquisa mostra uma ligação entre os produtos químicos que as meninas são expostas em uma base diária e o desenvolvimento precoce e, em outros casos, ao desenvolvimento tardio. Embora mais pesquisas sejam necessárias, esses dados são um primeiro passo importante para avaliar o impacto destes agentes ambientais comuns como fatores de risco para meninas”.

Fenóis, ftalatos e fitoestrógenos estão entre os produtos químicos conhecidos como desreguladores endócrinos, que interferem com o sistema endócrino do corpo. Eles são encontrados em uma ampla gama de produtos de consumo, tais como esmaltes, cosméticos, perfumes, loções e shampoos. Alguns são usados para aumentar a flexibilidade e durabilidade de materiais plásticos como PVC, ou são incluídos como revestimentos de medicamentos ou suplementos nutricionais.

Os pesquisadores estudaram meninas do bairro de East Harlem. Trabalhando em conjunto com o Cincinnati Children’s Hospital and Kaiser Permanente Northern California, analisaram o impacto da exposição a agentes ambientais em 1.151 jovens de Nova York, Cincinnati e norte da Califórnia.

As meninas tinham entre 6 – e 8 anos de idade no momento da inscrição e entre 7 e 9 anos de idade quando da análise de dados. Os pesquisadores coletaram amostras de urina dos participantes do estudo para análise de presença para os fenóis, os ftalatos, e fitoestrogênios, incluindo 19 biomarcadores.

Os dados mostraram que as três classes de compostos químicos foram amplamente detectadas na população estudada e que a alta exposição a determinadas substâncias químicas foi associada ao desenvolvimento de mama em estágio inicial.

As ligações mais fortes foram observadas com ftalatos e fitoestrogênios, que também estavam entre os mais altos riscos. Um fenol, dois fitoestrogênios, e um subconjunto de ftalatos (encontrados em produtos de construção e tubos de plástico) foram associados com puberdade tardia. No entanto, os ftalatos encontrados em produtos de uso pessoal, como shampoo e loção, especialmente aqueles com fragrância, foram relacionados ao desenvolvimento precoce de mama e de desenvolvimento dos pelos pubianos.

Consistente com estudos anteriores, os pesquisadores também descobriram que o índice de massa corporal (IMC) desempenhou um papel em relação ao início da puberdade. Cerca de um terço das meninas estavam acima do peso, que é também um indicador de desenvolvimento da mama adiantado. Como resultado, algumas das associações químicas diferentes podem ter maior ou menor impacto em meninas obesas.

Os pesquisadores continuam a estudar o impacto da dieta no desenvolvimento puberal e eventual risco de câncer da mama.

“A exposição a estas substâncias é extremamente comum”, continuou o Dr. Wolff. “Como tal, enquanto a associação entre os produtos químicos e desenvolvimento puberal parece pequena, o impacto sobre a população total é significativa.”

O artigo “ Investigation of Relationships between Urinary Biomarkers of Phytoestrogens, Phthalates, and Phenols and Pubertal Stages in Girls” foi publicado na edição online da revista Environmental Health Perspectives como open access. Para acessar o artigo na íntegra, no formato PDF, clique aqui.

Por Henrique Cortez, do Ecodebate, 26/04/2010, com informações do The Mount Sinai Hospital / Mount Sinai School of Medicine

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

7 comentários em “Exposição a produtos químicos comuns pode afetar o desenvolvimento feminino

  1. se o foco da matéria é o desenvolvimento feminino pq a ilustração é de 1 corpo masculino? ficou esquisito isso.

    Resposta do EcoDebate: Observe que a ilustração é ‘híbrida’, indicando tanto os testículos como os ovários. No mais, o sistema é idêntico em homens e mulheres.

    A ilustração também foi selecionada por ser a mais ‘abrangente’ e porque é parte de um excelete estudo (“Interferentes endócrinos no ambiente“, de Gislaine Ghiselli e Wilson F. Jardim), cuja leitura recomendamos.

  2. Gostaria de saber se a bronquite, a asma e a rinite podem ser consideradas doenças profissionais, tendo em conta, uma exposição diária com produtos quimicos como o diliuente celuloso, o éter, tintas e todo o tipo de produtos necessários para o fabrico de tintas.

Comentários encerrados.

Top