Exposição no Tuca retrata refugiados climáticos em Bangladesh e Índia

Exposição no Tuca retrata refugiados climáticos em Bangladesh e Índia. Foto de Peter Caton
Foto de Peter Caton

Parceria entre Senac e o TUCARENA traz a São Paulo a exposição Naufrágio de Sundarbans, com 40 fotografias do inglês Peter Caton e da brasileira Cristiane Aoki. Seleção de obras denuncia o desparecimento da região, que está submergindo em função de alterações climáticas planetárias. De 28 de abril a 20 de maio.

O Senac e o TUCARENA inauguram no dia 27 de abril, às 19 horas, a mostra Naufrágio de Sundarbans – Projeto Vozes Climáticas, com 40 fotografias do inglês Peter Caton e da brasileira Cristiane Aoki. A exposição tem curadoria de Alécio Rossi Filho e Elaine Caramella e faz um alerta para o delicado e pouco conhecido drama dos refugiados climáticos da região compreendida entre a Índia e Bangladesh, na Ásia, através de fotos e testemunhos da população afetada pelas conseqüências dos impactos ambientais planetários. Na ocasião da abertura, será realizada uma mesa de debate com Peter Caton, Cristiane Aoki, fotógrafo João Kulcsar (professor SENAC) e Profa. M. Conceição Golobovante (docente da PUC SP).

Para este projeto, o fotógrafo social inglês contou com a colaboração da pesquisadora e designer brasileira Cristiane Aoki. Peter utilizou uma câmera digital Hasselblad-H3 e iluminação móvel, criando uma qualidade de estúdio na produção de suas imagens nas áreas mais remotas do campo. Segundo o artista, o uso dessa tecnologia tem o intuito de transpor diferenças entre sujeito e objeto e fazer com que o expectador, acostumado com fotos glossy de revistas de moda, se identifique com as imagens produzidas pelo artista. Este conceito foi adotado para a documentação das Vozes Climáticas que, primeiramente, foi comissionado pelo Greenpeace para uma publicação de um livro pela editora Penguin Books. O projeto se transformou num ambicioso trabalho a longo prazo para Peter registrar os impactos humanos diante da mudança ambiental por todo o mundo. Em janeiro de 2008, a exposição foi exibida na Gallery@OXO em Londres. Depois de São Paulo, segue para Nova Déli e Calcutá, na Índia, Chicago e Luxemburgo.

Drama silencioso

Sundarbans se localiza no desemboque do rio Ganges com o mar e suas ilhas se espalham entre Índia e Bangladesh. Essa região é um dos lugares que mais tem sofrido com mudança climática no planeta e nos serve como uma janela para o futuro de outros lugares onde milhões de pessoas habitam regiões de terras baixas. Diante desta circunstância, a foto-documentação de Peter Caton revela uma realidade social e humanitária através de seus retratos in loco, que são acompanhados pelas vozes e pareceres dos sujeitos fotografados, revelando as atuais condições de suas comunidades depois de serem atingidos por um ciclone tropical. Os relatos são os mais variados como o sentimento da perda de patrimônios e economias, a escassez de comida e água potável e a dependência de doações emergenciais, as doenças causadas pela contaminação da água, a luta dos trabalhadores para consertarem as barreiras que protegem as ilhas do rio.

Os refugiados climáticos montam suas cabanas feitas de bambu, sapé e plástico à beira das calçadas, que são áreas do governo, à espera de um dia serem deslocados para terras firmes. Homens, mulheres e crianças apresentam histórias variadas sobre a vida na região, o desejo de migração para as cidades, pedem por solução para a atual situação e reclamam da condição climática atual.

Questão ambiental

Nos últimos 20 anos, quatro ilhas de Sundarbans foram submersas, deslocando 6.000 famílias. Vivenciando um aumento do nível do mar mais notável que qualquer outro lugar no planeta, as ilhas da região são lar para a maior reserva de mangue do mundo e contam com a proteção da UNESCO como um patrimônio mundial.

O aumento da freqüência e da força das tempestades tropicais, como o devastador ciclone Aila, em 25 de maio 2009, e a ocorrência de marés bem mais altas estão ameaçando a sobrevivência de vidas e comunidades das ilhas, atingindo um total de 4,3 milhões de homens, mulheres e crianças que povoam este habitat único, incluindo sua fauna com espécies em extinção como os tigres de Bengala.

Devido à incapacidade de adaptação aos efeitos da mudança climática, os mais pobres e menos responsáveis são os mais vulneráveis. Todavia, a mudança climática não conhece fronteiras. Toda a região costeira do país será comprometida se o aumento do nível médio do mar continuar a se elevar devido ao degelo das massas polares e expansão térmica da água.

A mudança climática é a maior ameaça à vida na Terra. A luta pela sobrevivência de inúmeras espécies de plantas, animais e milhões de pessoas no mundo todo é uma realidade brutal, que provoca o derretimento das calotas polares, as tempestades tropicais, ornados e furacões, atingindo continentes com grande freqüência e acabando com terras produtivas e economias locais.

Peter Caton (1976) cresceu junto a crianças órfãs em Scarborough, norte da Inglaterra, onde seus pais cuidaram de um grande orfanato. Sob a influência dos pais, Peter conscientizou-se dos problemas sociais, resultando na decisão de sua carreira profissional. Desde 1998, após sua graduação em Fotografia em Middlesborough, Peter tem se dedicado à documentação trabalhos relacionados a causas humanitárias e sociais.

Cristiane Aoki (1976) nasceu em Botucatu, SP e se formou em Design Gráfico. Iniciou sua carreira profissional como professora do SENAC Comunicação e Artes. Na faculdade de Design Gráfico do SENAC lecionou a disciplina de Fotografia Digital e desde então iniciou sua especialização em fotografia. Em um curso de pós-graduação de Design e Fotografia, estudou A Fotografia como Design dentro da linguagem semiótica. Em Londres, continuou seus estudos de mestrado no campo da fotografia social e das novas mídias na Goldsmiths College.

Nesta mesma época, em 2005, Peter e Cristiane se conheceram. A paixão pela fotografia resultou num trabalho em parceria desde então. Enquanto Peter fotografa, Cristiane realiza a edição e pós-produção fotográfica.

A maioria de seus trabalhos tem sido encomendada por organizações não governamentais, incluindo Tearfund, Save the Children, Cruz Vermelha e Greenpeace. Essas encomendas o permitiram registrar causas específicas ao longo dos anos, como o combate à proliferação do HIV/AIDS no mundo, o controle da tuberculose e da lepra na Índia.

As fotos de Peter apareceram em várias publicações no mundo, incluindo os jornais britânicos The Guardian , The Independent e Financial Times, e revistas como Marie Claire – EUA, Russian Report, Geo-UK e Asian Geo. Em 2001 Peter teve suas fotografias expostas no National Portrait Gallery em Londres.

Serviço:

Evento: exposição Naufrágio de Sundarbans – Projeto Vozes Climáticas, de Peter Caton e Cristiane Aoki
Curadoria: Alécio Rossi Filho e Elaine Caramella
Abertura: terça-feira, dia 27 de abril, das 19 às 22 horas
Período expositivo: de 28 de abril a 20 de maio
Realização: Curso de Arte: Crítica e Curadoria – FAFICLA -PUC/SP e SENACSP
Apoio: Teatro TUCA (PUC-SP) e SENAC
Local: saguão do TUCARENA, na PUC SP
Endereço: Rua Monte alegre, 1.024 – Perdizes, São Paulo, SP (Entrada pela Rua Bartira)
Horários de abertura: de terça a domingo, das 14 às 20 horas
Telefone: (11) 3670 8458
Entrada gratuita e livre
www.teatrotuca.com.br

* Colaboração de Décio Hernandez Di Giorgi para o EcoDebate, 19/04/2010

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

Comentários encerrados.

Top