Governo do Rio cria programa de habitação para moradores de área de risco

São Gonçalo (RJ) - Moradora observa o que restou de sua casa depois de deslizamento, no bairro Novo México (Foto Repórter Vitor Abdala)
São Gonçalo (RJ) – Moradora observa o que restou de sua casa depois de deslizamento, no bairro Novo México (Foto Repórter Vitor Abdala)

Com o objetivo de agilizar a remoção de pessoas que moram em áreas de risco, o governador Sérgio Cabral assinou ontem (13), o decreto que cria o programa Morar Seguro.

O programa prevê, entre outras medidas, que estado será o responsável pelo pagamento do aluguel das famílias quer pedram suas casas, enquanto elas não forem para suas novas casas cedidas pelo estado ou o município. Mas, para isso, é necessário que as prefeituras participam do programa Morar Seguro.

Pelo decreto, os municípios que aderirem à iniciativa devem identificar as áreas de risco em suas cidades e classificá-las em três categorias: área verde (baixo risco); área amarela (médio risco); e área vermelha (alto risco). Com as áreas catalogadas, a Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil fará a interdição e a desocupação compulsória dos imóveis localizados na categoria vermelha.

O governo do estado destinará R$ 1 bilhão do espaço fiscal relativo a 2009 para a construção de imóveis populares. Enquanto não houver moradias disponíveis para a realocação definitiva das famílias, o estado providenciará, diretamente ou por meio do município, o acolhimento em abrigos, ou pagando o valor de R$ 500 por mês a título de aluguel social.

Reportagem de Douglas Corrêa, da Agência Brasil, publicada pelo EcoDebate, 14/04/2010

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

Comentários encerrados.

Top