Mundo Fraternal, artigo de Bruno Peron

mundo fraternal

[EcoDebate] O desenvolvimento associa-se, antes de qualquer conjetura, ao grau de evolução espiritual da espécie humana. Quando achamos que merecemos um lugar no céu, o inferno nos convoca.

Parte dos seres humanos padece de fome e desnutrição na superfície, enquanto os vermes negam-se a comer a carne dos seres egoístas e impiedosos que jazem no subsolo.

Nunca é demais lamentar que muitos consintam com o capitalismo como se este sistema fosse a mais natural das graças divinas juntamente com a insídia do mercado.

A criança teima pelo picolé de uma marca; o jovem escolhe a profissão que o mercado sugere; muitos adultos não medem os meios para ganhar a vida; o idoso batalha para garantir a melhor aposentadoria; e o defunto lamenta a mediocridade de sua existência derradeira.

Pobre daqueles que ignoram o óbvio a fim de sustentar a opulência, de um lado, ou fomentar a miséria, de outro. A cobrança virá em dobro. A humanidade recobra fins trágicos.

Representantes de treze países da América Latina e do Caribe propuseram em Quito, capital do Equador, a união de organismos de integração na luta conjunta da região para erradicar a fome e a desnutrição até 2025. Desacostumemo-nos com os dogmas da subserviência.

Apesar de que os mandatários da política tupinica não se fazem sem a venda da alma ao diabo, o que justifica a continuidade das macro-políticas econômicas, o presidente Lula tem seus méritos. Um deles é a persistência do programa Fome Zero, que o aclamou nas eleições de 2002.

É sensato reiterar a tese de que de barriga vazia ninguém quer saber de material escolar. Uma vez vencida esta etapa, discutir-se-á que a educação não se faz sem bons instrutores.

Em 2009, a fome e a desnutrição afetaram 53 milhões de pessoas na América Latina e o Caribe segundo o Ministério de Agricultura e Pecuária do Equador.

Por que alastra o afã injusto de desmerecer os governos progressistas da região, que priorizam a redução da pobreza e o combate às mazelas do capitalismo?

O preço do arrependimento deveria satisfazer a voracidade de atores pujantes na tragicomédia capitalista em decadência. O discurso capitaleiro tem seus dias marcados.

A recomendação para as crianças precavidas é de jamais falar com estranhos. Ao chegar à senilidade e depois de tanta faina, haverá maiores recompensas.

Maldita hora em que um sistema estranho à elevação humana torna-se familiar.

Organismos internacionais de competência renomada, como a Comunidade Andina de Nações (CAN), o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) e a União das Nações Sul-Americanas (UNASUL) bradam o uníssono da misericórdia pelos despossuídos.

Assistimos ao advento da hora de extirpar, ao menos, a fome e a desnutrição dos cômputos da América Latina e o Caribe. Duas chagas que nos retêm na periferia do orbe.

Algo nos sugere que a humanidade tem-se embasbacado nos caminhos da ganância, a corrupção e a possessão descaradas de bens mal divididos e de saberes em conflito.

Os capachos da política e do lucro extraem do povo o que cabe à coletividade e curvam-se diante do destino nefasto que se lhes descortina na escolha entre o céu e o inferno.

A sorte de alguns destoa da desgraça de outros. Neste mundo carnal e desalmado, permanecem os seguidores das paixões mais descabidas. A responsabilidade recai sobre a justiça que funciona e pela qual “não passará um fio de cabelo” sem que o ente maior perceba.

Seja cultivador e merecedor de um mundo fraternal.

Cobre justiça de outros cidadãos.

Discorde do que não lhe parece sensato.

Colaboração de Bruno Peron, para o EcoDebate, 05/04/2010

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

Comentários encerrados.

Top