Educação e Ensino, artigo de Benedicto Ismael C. Dutra

[Ecodebate] Atualmente, no planeta, o analfabetismo atinge cerca de 759 milhões de adultos. Mais de 140 milhões de crianças e jovens continuam fora da escola sem a oportunidade de estudar. Segundo o Relatório de Monitoramento de Educação paraTodos de 2010, da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), apesar da melhora apresentada entre 1999 e 2007, o índice de repetência no ensino fundamental do Brasil (18,7%) é o mais alto da América Latina.

Além disso, o relatório também evidencia o alto índice de abandono nos primeiros anos de educação no país: aproximadamente 13,8% dos estudantes brasileiros deixam os estudos no primeiro ano do ensino básico.

Por que muitos alunos abandonam a escola? Muitos jovens não estão satisfeitos, alegando que temos lhes oferecido muitas futilidades ao invés do saber real sobre a vida. Então, eles se cansam da escola, abandonando-a por julgarem que ela não lhes oferece nada de novo. Precisamos privilegiar ensinamentos de acordo com a realidade dos estudantes. O conhecimento sobre o nascimento do planeta Terra, das belezas e dinâmicas da natureza e do funcionamento dos mecanismos que possibilitam a vida são indispensáveis para a formação de uma humanidade que possa admirar a cooperação e a paz.

A educação tem como base incentivar o preparo para a vida, pois através dele os jovens adquirem maior consciência sobre si mesmos, o que os conduz ao aumento do interesse e capacitação para o aprendizado geral, inclusive o profissional, ficando mais aptos para ingressar no mercado de trabalho.

Eles precisam se empolgar com a vida e aprender de tudo, principiando pelas coisas mais simples que diretamente os atingem, seguindo o princípio do atendimento das necessidades humanas estudadas pelo psicólogo norte-americano Abraham Maslow. É preciso que avancem sempre para que não fiquem estagnados e acomodados no atendimento das necessidades mais elementares, mas sim que busquem o aprimoramento da espécie humana como meta prioritária de tudo o que fazem, aprendendo sobre o corpo humano e a conservação da saúde, sobre a alimentação, sobre a serenidade da mente e o controle dos pensamentos negativos.

O ensino informal está relacionado ao processo de socialização do homem. Ocorre durante toda a vida, muitas vezes até mesmo de forma não intencional. Estamos aprendendo constantemente e por diferentes vias e agentes. Mas necessitamos de modelos que nos inspirem a buscar a contínua melhora da espécie humana.

Todos nós percebemos que, no Brasil, a escola está passando por uma séria crise na sua função. Temos uma enorme população de adolescentes despreparados para a vida. As famílias se desestruturam e os pais não conseguem motivar seus filhos, o que leva a escola a assumir responsabilidade ainda maior, exigindo dos professores esforço e dedicação como em nenhuma outra época.

Para que seja alcançada uma boa educação, necessitamos resgatar o respeito humano e a consideração mútua na convivência e nas salas de aula, oferecendo aos professores reconhecimento e apoio para motivar os alunos a: aderir ao hábito da leitura, mostrando aos jovens uma visão mais real e otimista da vida; adquirir interesse na formação pessoal e aumentar a conscientização para a necessidade do contínuo aprendizado e aprimoramento pessoal. A educação é a solução para um melhor futuro, mas só desejar não é suficiente, é preciso querer de fato e estar disposto a agir.

* Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, articulista colaborador de importantes jornais de São Paulo e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. Atualmente, é um dos coordenadores do www.library.com.br, site sem fins lucrativos, e autor dos livros Encontro com o Homem Sábio , Reencontro com o Homem Sábio, A Trajetória do Ser Humano na Terra e Nola – o manuscrito que abalou o mundo, editados pela Editora Nobel com o selo Marco Zero. E-mail: bidutra{at}attglobal.net

** Colaboração de Ticiane Araújo para o EcoDebate, 20/03/2010

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

Comentários encerrados.

Top