(Cap and Trade) Câmara dos EUA aprova lei para limitar as emissões de gases causadores do efeito estufa

poluição

Deputados aprovam projeto que limita emissões de gases poluentes nos EUA – A Câmara de Representantes aprovou hoje um projeto de lei que, pela primeira vez na história dos Estados Unidos, impõe limites às emissões de gases que produzem o efeito estufa.

No que constituiu uma vitória política para o presidente Barack Obama, os legisladores abriram caminho à iniciativa por uma margem apertada de 219 votos a favor e 212 contra.

A aprovação foi alcançada após meses de negociações e no meio da resistência dos republicanos, que afirmaram que, caso passasse, a lei eliminaria fontes de emprego em um momento em que o país enfrenta uma dura recessão. Matéria da Agência EFE.

Em comunicado, o Escritório de Gestão e Orçamento da Casa Branca disse que Obama pede ao Congresso para que aprove o projeto de lei porque isso ajudará a reduzir a “dependência do petróleo estrangeiro, a fortalecer a segurança energética e nacional, e a criar milhões de novos postos de trabalho nos EUA”.

Além disso, informou a OMB, a iniciativa contém cláusulas para a proteção dos consumidores, a redução dos custos energéticos e para fomentar uma transição em direção a uma economia com fontes de energia que reduzam a poluição ambiental.

Após ser promulgada por Obama, a lei imporá limites às emissões de dióxido de carbono e outras substâncias tóxicas por parte das usinas geradoras de energia, as fábricas e refinarias.

Além disso, fomenta o desenvolvimento de fontes alternativas de energia renovável.

O projeto estabelece, além disso, um mercado de carbono, no qual as empresas poderiam comprar e vender autorizações para poluir, com o objetivo de criar um incentivo econômico para reduzir as emissões.

Pela lei, em 2020 um total de 12% da energia distribuída pelas companhias elétricas deverá proceder de fontes renováveis.

Além disso, estabelece a obrigatoriedade de cortar as emissões de gases que provocam o efeito estufa em 17% em relação aos níveis de 2005 até 2020 e em 83% até 2050.

Para a Casa Branca, a crise energética foi deixada de lado em detrimento da economia, da segurança nacional e do planeta.

* Matéria da Agência EFE, no UOL Notícias.

[EcoDebate, 27/06/2009]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta que envie um e-mail para newsletter_ecodebate-subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Top