Doria, Alckmin e as enchentes, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    [EcoDebate] A cada nova eleição renovam-se as esperanças de que algo de mais efetivo vá ser feito no combate às enchentes que castigam a Bacia do Alto Tietê, o que vale dizer, a Região Metropolitana de São Paulo. Mas para que essa expectativa realmente se concretizasse seria essencial, como ponto de partida, que as novas autoridades definitivamente se convencessem do enorme fracasso da atual e velha estratégia de combate às

Prefeitos e vereadores eleitos: plantar e cuidar das árvores urbanas deve ser prioridade, por Tiana Moreira, Claudia Visoni e Thais Mauad

    Vamos começar um novo ciclo da gestão municipal no Brasil e as árvores urbanas precisam urgentemente entrar na agenda dos governantes eleitos. É uma questão de saúde pública e de fazer uma melhor gestão dos recursos financeiros, como os diversos estudos relacionados abaixo comprovam. As administrações públicas devem priorizar não só o plantio e manutenção das áreas verdes nas cidades como também a disseminação desses conhecimentos para combater os atos de

Riscos de deslizamento de encostas e de enchentes urbanas: causas, consequências e algumas medidas preventivas, por Lauro Charlet Pereira e Marco Antônio Ferreira Gomes

  RISCOS DE DESLIZAMENTO DE ENCOSTAS E DE ENCHENTES URBANAS: CAUSAS, CONSEQUÊNCIAS E ALGUMAS MEDIDAS PREVENTIVAS. Lauro Charlet Pereira1 Marco Antônio Ferreira Gomes2 O solo é um recurso natural básico, importante no equilíbrio ambiental e também nos diferentes setores empresariais e da vida humana, como: produção de alimentos, moradia, recreação, construção civil, planejamento de uso e traçado de estradas, dentre outros. Este recurso, quando usado ou manejado indevidamente, tem na erosão um dos principais

Projeto da FAU/USP, para rios paulistanos, alia usos múltiplos das águas, do lazer à macrodrenagem

  Proposta prevê implantação de parques em orlas fluviais e a criação de lagos nas nascentes e foz de rios como alternativa para prevenção contra enchentes Pesquisa da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP propõe uma série de intervenções para as orlas fluviais de três rios da cidade de São Paulo. O trabalho da arquiteta Eloísa Balieiro Ikeda prevê a construção de dois níveis de cais ao longo do canal

Parques urbanos são ilhas de saúde em meio ao aço e concreto das grandes cidades

  Para Saldiva, a compreensão de uma saúde mais integral começa a ser atingida pelos órgãos reguladores de saúde Da Rádio USP     “Parque é tudo de bom”, afirma o professor Paulo Saldiva em sua coluna semanal para a Rádio USP. Ao abordar a importância dos parques na manutenção da qualidade de vida das pessoas, ele lembra que os parques reduzem as ilhas de calor e recompõem a umidade perdida pela concretagem do terreno, além

A Conferência HABITAT III: as cidades e a elevação do nível do mar, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “When you ain't got nothing you got nothing to lose” Like a Rolling Stone, Bob Dylan     [EcoDebate] Começa nesta segunda-feira, dia 17 de outubro de 2016, a Terceira Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável - HABITAT III. Será a primeira Conferência Global desde o início da Agenda Pós-2015 na ONU. É uma oportunidade para debater os desafios da urbanização e os problemas econômicos, sociais e ambientais do

Habitat III: Nova agenda urbana deve ‘desafiar empreiteiras’ e garantir direitos humanos, dizem especialistas

Governo deve frear “tendências de mercado” e incluir grupos marginalizados em processos decisórios, recomendaram especialistas independentes da ONU em pedido de alteração do compromisso que será adotado na próxima semana durante a Terceira Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano. Evento começa nesta segunda-feira (17), em Quito.     Às vésperas da Terceira Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável — que tem início em Quito nesta segunda-feira

Agências da ONU discutem desenvolvimento das cidades na Habitat III

  Representantes da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) estarão presentes na Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável (Habitat III), que ocorre em Quito, no Equador, nesta semana (17 a 20). O documento final da conferência estabelecerá a Nova Agenda Urbana para os próximos 20 anos.

‘Brasil não conta com nenhuma cidade humana e inteligente’, diz especialista do Instituto LabCHIS

    O diretor geral do Instituto LabCHIS, Eduardo Moreira da Costa,afirma que uma cidade inteligente busca as melhores soluções para desenvolver a sua economia e aumentar o bem-estar dos seus cidadãos O Brasil não conta com nenhuma cidade humana e inteligente, e para isso acontecer primeiramente é preciso mudar a cultura do carro nas pessoas. A afirmação foi do conferencista Eduardo Moreira da Costa, diretor geral do Instituto LabCHIS (Cidades mais Humanas,

Habitação Popular, Cidades e Geologia, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    [EcoDebate] De uma forma geral e comum os Programas de Habitação articulados e implementados pelo poder público, especialmente o municipal e o estadual, expõem uma enorme insuficiência na consideração de algumas questões de fundo essenciais para a sua correta concepção. A seguir são explicitadas três dessas questões de fundo, que entendemos como indispensáveis premissas orientadoras para a concepção e execução de Programas Habitacionais e que se relacionam a aspectos intimamente

São Paulo: uma megalópole que enfrenta problemas do seu tamanho

    A metrópole tem que equacionar problemas de infraestrutura, emprego, transporte e moradia, entre outros Da Rádio USP Acompanhe a entrevista da repórter Silvana Pires com a professora Maria Lúcia Refinetti, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP: http://jornal.usp.br/wp-content/uploads/IBGEXSP-1.mp3   Dados divulgados recentemente pelo IBGE revelam que a cidade mais populosa do País ultrapassou a marca dos 12 milhões de habitantes. Em um ano, o crescimento foi superior a 70 mil habitantes. Em média, a

Sustentabilidade Urbana e Construção Civil, artigo de Reinaldo Dias

    [EcoDebate] Em maio deste ano, o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Urbanos (ONU-Habitat) divulgou relatório sobre as cidades do mundo denominado “Urbanização e Desenvolvimento: futuros emergentes”. O relatório é resultado de 20 anos de estudos, destaca o importante papel dos centros urbanos no desenvolvimento global e conclui que o modelo de urbanização atual é insustentável. O documento é uma contribuição para a terceira Conferência da ONU Habitat sobre desenvolvimento

Top