Indonésia: impactos da fábrica de pasta de celulose sobre a saúde da população local, artigo de Gurgur Manurung

Transcorreram 63 anos desde que Soekarno e Hatta proclamaram a independência da República Indonésia em 17 de agosto de 1945. Cada agosto, especialmente no dia 17, os indonésios do arquipélago todo celebram o aniversário de sua nação. Lamentavelmente para as pessoas de Siantar Utara, na Municipalidade de Toba Samosir, região de Siruar, em Sumatra Norte, será impossível realizar essa celebração. Quase todas as aproximadamente 300 famílias aqui sofrem de uma doença

Papeleira Suzano prepara instalação de unidade no Maranhão

[MST] Movimentos sociais já se preocupam. Pois será mais um empreendimento que contribuirá para tornar a realidade da agricultura familiar no Estado ainda mais difícil: mais um grande projeto que se soma a outros tantos instalados na região, ameaçando a soberania de famílias de agricultures, não gerando renda e nem empregos. 5087

Os ‘selos verdes internacionais de qualidade’ das empresas de celulose e papel, artigo de Pe. José Koopmans

Faz quase cinco anos que a empresa Aracruz ganhou o Selo Verde de qualidade para suas plantações aqui no extremo sul da Bahia. Normalmente é uma conquista muito importante para a Empresa, pois esta certificação significa entre outras coisas que a Empresa trabalha socialmente justo e ecologicamente respeitando todas as leis ambientais, tanto as leis municipais, estaduais como também as leis federais. Para a exportação um selo assim é fundamental

Parem a certificação das monoculturas de árvores! artigo de Chris Lang

A Asia Pulp and Paper é provavelmente a companhia de papel mais controvertível no mundo. Ela tem destruído vastas áreas de floresta em Sumatra e substituiu centenas de milhares de hectares com plantações de monoculturas. Em dezembro de 2007, o Conselho de Manejo Florestal (FSC) anunciou sua “dissociação” da APP depois de que a companhia começou a utilizar o logotipo do FSC. O FSC emitiu uma declaração dizendo que tem

Impactos sociais e ambientais das monoculturas: África (África do Sul, Camarões e Libéria)

Impactos sociais e ambientais das monoculturas: África (África do Sul, Camarões e Libéria) África do Sul: plantações de árvores devastadas por incêndio transformaram uma tragédia espreitadora em uma triste realidade A monocultura é contra a natureza, que é diversa. É por isso que um sistema não natural como o das plantações industriais de monoculturas de árvores desencadeia vários impactos negativos. Um deles é o incêndio. 4873

Um deserto verde no sul da América Latina, artigo de Miguel Enrique Stédile

Imagine uma área do tamanho de 500.000 campos de futebol plantados com uma única espécie de árvore. Uma floresta? Não, um deserto verde. Sem pessoas, sem água, sem outras plantas. Em poucos anos, assim será a paisagem do Rio Grande do Sul, estado do extremo sul do Brasil, onde três empresas concentram a produção de celulose, com danos sociais e ambientais. 4804

Impactos sociais e ambientais das monoculturas: Chile, Peru e Brasil

Chile: um modelo florestal que gera pobreza e indigência O caso do Chile é apresentado, na América Latina, como um modelo bem-sucedido em matéria de florestas, apesar de numerosas organizações chilenas e em particular de indígenas Mapuche virem denunciando há anos os impactos das grandes plantações de pinheiros e eucaliptos instalados no sul do país. Contudo, isso não foi um obstáculo para que consultores florestais bem remunerados continuassem repetindo as mesmas

A neocolônia Brasil importa a indústria de celulose que a Europa não quer mais, por Henrique Cortez

[The neo colony Brazil imports from the pulp industry that Europe does not want more, by Henry Cortez] Matéria de Marianna Aragão, do O Estado de S.Paulo, de 20/09/2008 [Indústria de celulose fecha as portas na Europa e abre no Brasil], informa que, enquanto a Europa reduz a produção para cortar custos, o Brasil saltará do 6.º para o 3.º lugar do ranking mundial. Mais uma vez, o modelo de desenvolvimento

Impactos sociais e ambientais das monoculturas: Argentina

Indígenas e ambientalistas alertam sobre planos de promoção florestal A Patagônia concentra só 4% das plantações florestais da Argentina. O escasso desenvolvimento do setor na região é considerado pelas autoridades e empresários como um amplo campo de oportunidades: 4 milhões de hectares para florestar distribuídos nas províncias de Neuquén, Río Negro e Chubut. 4723

Por que um Dia Internacional Contra as Monoculturas de Árvores?

[WRM] Todos os “dias internacionais” referem a questões problemáticas de importância global que precisam ser abordadas pela sociedade em conjunto. A expansão das monoculturas de árvores tem resultado em tantos impactos sociais e ambientais que deu origem à idéia de estabelecer um Dia Internacional para colocar a questão no nível global. A data de 21 de setembro foi escolhida seguindo a iniciativa das redes locais no Brasil, que em 2004

Margusa/Suzano: Um licenciamento desencapado, artigo de Mayron Régis

A bem da verdade, todas as frases emplacadas ao longo dos últimos dias e abreviadas numa expressão "pré-sal" sobre a maior reserva petrolífera são dignas de fazerem presentes em qualquer traseira de caminhão ou estamparem as páginas das inúmeras revistas sem credibilidade que bóiam à frente das bancas de revistas. 4407

Veracel destrói praias

Atividade de terminal em Belmonte causou interrupção de correntes e aterramento Empresa com certificado internacional de controle ambiental, a Veracel também deixa rastros de destruição na implantação das suas plantações de eucaliptos e no transporte da celulose. Um auto de infração do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), em dezembro de 2005, contém uma descrição objetiva: “Impedir a regeneração natural de vegetação de Mata Atlântica, com implantação de projetos para plantio

Metade Sul do RS: esquecida pelo governo, suprimida pela celulose. Entrevista especial com Felipe Amaral

Para o ecólogo Felipe Amaral, “é um erro acreditar que a silvicultura trará retorno econômico para a população”. Em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line, Amaral falou sobre a ação apresentada ao Judiciário gaúcho contra Ana Pellini, presidente da Fundação Estadual de Preservação Ambiental do Rio Grande do Sul (Fepam), e o governo do estado, analisou o atual Zoneamento Ambiental da Silvicultura e refletiu sobre a profissão de

Veracel Celulose, empresa da Stora Enso e Aracruz, é condenada na justiça por desmatar Mata Atlântica

Em decisão inédita, a Justiça Federal da cidade de Eunápolis (BA) condenou a Veracel Celulose – uma joint venture de duas das maiores empresas do ramo de papel e celulose do mundo: a sueca-finlandesa Stora Enso e a Aracruz Celulose – e os órgãos ambientais de âmbito estadual e federal – o Centro de Recursos Ambientais (CRA) e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) – pelo desmatamento da Mata

Veracel. Um histórico de agressão ao meio ambiente, corrupção e ameaças

O Promotor de Justiça João Alves da Silva, da comarca de Eunápolis (BA), em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, 14 a 20 de agosto 2008, destaca os danos socioeconômicos e ambientais que a monocultura do eucalipto levam à região do extremo sul da Bahia. Acusa ainda a empresa de celulose Veracel de praticar corrupção para obter licenciamento ambiental sem estudo obrigatório. 3718

Senador recua e suspende projeto que reduz faixa de fronteira

Sob aplausos de uma platéia acostumada a vaiar seus discursos em defesa da redução da faixa de fronteira, o senador Sérgio Zambiasi (PTB/RS) anunciou ontem que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), de sua autoria, para reduzir de 150 para 50 quilômetros a faixa de fronteira em quatro estados, está suspensa temporariamente. Por Cleber Dioni, do jornal JÁ, RS, 23/07/2008. "Não irei dar acordo para que a PEC volte a tramitar.

Lobby de transnacionais garante expansão do eucalipto na Metade Sul do RS

Em entrevista, o ambientalista Felipe Amaral, do Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente, prevê que a redução da Faixa de Fronteira é mais uma ilusão de salvação econômica para a Metade Sul gaúcha. Aqüífero Guarani pode ser prejudicado com a medida. Porto Alegre (RS) - Organizações ambientalistas, sindicatos de trabalhadores e movimentos sociais lançaram manifesto em que reforçam a idéia de que o lobby das transnacionais junto a parlamentares e

Manifestação da Equipe Técnica do Ibama, Grupo de Trabalho do Bioma Pampa, sobre o Zoneamento Ambientel para a atividade da silvicultura no RS aprovado pelo CONSEMA (RESOLUÇÃO N° 187/2008)

Considerando: - Que a elaboração de um Zoneamento Ambiental para a Atividade da Silvicultura no Rio Grande do Sul foi prevista no âmbito de um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em 12/05/2006 entre o Ministério Público Estadual/RS e a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (FEPAM), com a anuência da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA); - O Parecer da Equipe Técnica do IBAMA/RS - Grupo de Trabalho do

Top