Famílias de filho único, decrescimento populacional e regeneração dos ecossistemas, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

"Nosso trabalho é promover uma transição demográfica mundial e aplainar a curva exponencial - eliminando a pobreza extrema, disponibilizando amplamente métodos seguros e eficazes de controle de natalidade e ampliando o poder político real das mulheres" Carl Sagan (1934-1996) [EcoDebate] A taxa total de fecundidade (TFT) global que era de 5 filhos por mulher em meados do século passado caiu pela metade, em poucas décadas, e atualmente está em torno de

O envelhecimento populacional compromete o crescimento econômico no Brasil? artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O Brasil, em decorrência da transição demográfica, está passando por um intenso e rápido processo de envelhecimento populacional, como mostraram Alves e Cavenaghi em capítulo do livro “Longeviver, política e mercado”, organizado por Côrte e Lopes (2019). O número de brasileiros idosos de 60 anos e mais era de 2,6 milhões em 1950 (4,9% do total), passou para 29,9 milhões em 2020 (14% do total) e deve alcançar 72,4 milhões

Uma morte pelo coronavírus a cada 1 minuto e 40 segundos no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] O Brasil bateu um triste recorde, no dia 12 de maio de 2020, com o registro de 881 mortes pela covid-19 em 24 horas (fora as subnotificações). Isto significa 37 mortes por hora ou 1 morte a cada 1 minuto e 40 segundos. Ainda no dia 12/05, o número de novas pessoas infectadas foi de 9.258 em 24 horas. Isto representa 386 pessoas infectadas por hora e mais de 6

Brasil lidera o número de mortes entre os países do grupo BRICS, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A pandemia do novo coronavírus começou na China - principal país do grupo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) – e se espalhou rapidamente para todo o mundo. Depois da China e da Ásia, a pandemia alcançou em cheio a Europa e depois os Estados Unidos. Agora em maio de 2020, o Brasil se tornou o epicentro da pandemia, pois é o país que apresenta as

A redução das filiações cristãs e o aumento dos sem religião nos Estados Unidos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] Existe uma forte correlação negativa entre maior religiosidade e renda per capita nacional. Em todos os países que possuem renda per capita superior a US$ 30 mil (em poder de paridade de compra - ppp) há menos de 50% da população rezando diariamente. E, em todos os países onde mais de 50% da população reza diariamente, a renda per capita é menor do que US$ 30 mil, com exceção

Brasil está a caminho de ser o segundo país mais atingindo pelo coronavírus, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O Brasil estava em 30º no ranking global dos países mais afetados pelo coronavírus em meados de março e passou para o 15º lugar em meados de abril. No dia 05 de maio chegou ao 9º lugar em número de casos e no 7º lugar no número de mortes, mas na iminência de passar a Bélgica e pular para o 6º lugar. No acumulado são 114.715 casos e 7.921

A pandemia da covid-19 e a disputa entre os “Consensos” geoestratégicas globais, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A pandemia de coronavírus deve ter um impacto geoestratégico semelhante ao que o período entre as duas Grandes Guerras – que assistiu a pandemia da Gripe Espanhola e o crash da Bolsa de Nova Iorque, junto com a grande depressão dos anos 1930. Neste período houve a passagem do centro dinâmico do mundo da Europa – onde existia a disputa entre Alemanha, Reino Unido e França – para os

O perfil demográfico do Brasil até 2100 e os desafios da covid-19, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“A transição demográfica é o fenômeno de comportamento de massa mais importante da história da humanidade” (ALVES, 1994) [EcoDebate] A pandemia da covid-19 vai ter um impacto profundo no mundo, tanto em termos de morbimortalidade, quanto em termos econômicos. Contudo, por maior que seja o impacto em número de vítimas fatais, o surto pandêmico será incapaz de alterar a transição demográfica brasileira de longo prazo. Ou seja, a queda nas taxas

A pandemia da Covid-19 atinge 3 milhões de casos e 200 mil mortes, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A pandemia da covid-19 continua revirando o mundo de ponta-cabeça, provocando uma emergência sanitária e uma emergência econômica. Ninguém ainda sabe qual será o tamanho do prejuízo em termos de morbimortalidade e em termos socioeconômicos. Indubitavelmente, o mundo vai ficar mais pobre – em função da maior depressão da história do capitalismo, como calcula o próprio FMI – haverá mais bancarrota, mais endividamento público e privado, mais desemprego, mais pobreza,

A pandemia da covid19 a bolha de carbono e o menor preço do petróleo em 150 anos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Assim como a Idade da Pedra não acabou por falta de pedras, a Era do Petróleo chegará ao fim, não por falta de óleo”. Ahmed-Zaki Yamani     [EcoDebate] A economia mundial cresceu, nos últimos 250 anos, em função dos combustíveis fósseis (primeiro carvão mineral, depois petróleo e gás). O petróleo tem um protagonismo de pelo menos 150 anos. Nos 100 anos de aproximadamente de 1875 a 1975 o preço do petróleo (em termos reais)

OCDE e África: diferentes dinâmicas demográficas, econômicas e de emissão de CO2, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Na África estamos sofrendo a crise climática agora” Vanessa Nakate (12/12/2019)     [EcoDebate] No dia 22 de abril de 2020 o mundo comemora os 50 anos do Dia da Terra. Estavam programadas grandes manifestações de rua em todo o mundo, porém a pandemia de covid-19 impediu aglomerações, diante da emergência global de saúde pública. Contudo, a emergência climática e ambiental não passou e mesmo que a paralisação das atividades produtivas e a quarentena

O aquecimento global atual é 10 vezes mais rápido do que os eventos anteriores, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Há 10.000 anos os seres humanos e seus animais representavam menos de um décimo de um por cento da biomassa dos vertebrados da terra. Agora, eles são 97 por cento”. Ron Patterson (maio de 2014) [EcoDebate] O ritmo de avanço do aquecimento global atual é um fenômeno nunca visto na história geológica da Terra e supera os eventos semelhantes que aconteceram na história. O Planeta já passou por outros momentos de extinção

A pandemia de Covid-19 vai acelerar a passagem do centro do mundo para a Ásia, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

"O Mediterrâneo é o oceano do passado. O Atlântico é o oceano do presente e o Pacífico, o oceano do futuro” John Hay, secretário de Estado dos EUA, em 1900 [EcoDebate] O futuro será da Ásia e do Pacífico. Esta frase, tantas vezes repetida, pode estar mais perto da realidade. A suma ironia atual é que a pandemia do novo coronavírus que surgiu e teve o epicentro original na China, pode, indiretamente,

A pandemia de Covid-19 e o pior decênio da história da economia brasileira, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A pandemia de covid-19 atingiu quase 2 milhões de casos e 127 mil mortes em 14 de abril. O Brasil já vivia a sua segunda década perdida, isto é, a segunda década com baixíssimo crescimento econômico e com redução da renda per capita, antes mesmo do surgimento deste surto pandêmico que está provocando um pandemônio na economia internacional. Se a economia brasileira crescesse 2,5% ao ano em 2020 (como

Os países do topo do ranking que já chegaram ao pico da pandemia, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O surto de covid-19 se espalhou pelo mundo e já atingiu mais de 210 países e territórios, com grande crescimento dos casos e das mortes, conforme mostra o gráfico abaixo. No dia 01 de março de 2020 havia 88,6 mil pessoas infectadas pelo novo coronavírus, com 3 mil mortes notificadas. A taxa de letalidade era de 3,4%. No dia 31 de março os casos notificados passaram para 858,4 mi,

Brasil com mais de 1 mil mortes e o mundo com mais de 100 mil mortes pela covid-19, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] Para quem achava que era apenas uma “gripezinha”, o número de mortes pela covid-19 chegou a mais de 1 mil no Brasil e a mais de 100 mil no mundo nesta Sexta-feira Santa de 2020. A população mundial chora os seus mortos no dia que os católicos choram a morte de Jesus Cristo. O Brasil chegou a 17.857 casos e 941 mortes pela covid-19, com uma taxa de letalidade de

A pandemia global de Covid-19 desacelera na primeira semana de abril, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A pandemia global do novo coronavírus atingiu a maior velocidade de expansão na segunda quinzena de março, mas já mostra alguns sinais de desaceleração em abril. Entre os dias 01 e 15 de março o número de pessoas com testes positivos passou de 88,6 mil para 169,6 mil, representando um crescimento geométrico diário de 4,6% ao dia. O número de mortes passou de 3 mil para 6,5 mil nos primeiros

A pandemia global avança no mundo, mas em ritmo mais lento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A pandemia do novo coronavírus se espalha pelo mundo e avança dia a dia e semana a semana. Globalmente, no dia 01 de março, havia 88,6 mil pessoas afetadas pelo patógeno, número que subiu para 858 mil em 31 de março e ultrapassou a marca histórica de 1 milhão no dia 02 de abril. O mês de março foi marcado por uma aceleração da curva de pessoas infectadas. O

Um milhão de infectados e cinquenta mil mortes pela Covid-19 no mundo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O mês de abril começou com um triste recorde, pois o mundo chegou a uma marca histórica: o número de pessoas infectadas pela Covid-19 superou a cifra de um milhão de indivíduos, além de ultrapassar o limiar de 50 mil mortes. Para quem imaginou que tudo fosse apenas uma gripezinha, o surto do novo coronavírus já deixou bastante para trás os números do surto de SARS (Síndrome respiratória aguda

O avanço da pandemia de Covid-19 no mundo e no Brasil no mês de março, artigo José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A pandemia de Covid-19 que teve o epicentro na China no mês de fevereiro se espalhou pelo mundo no mês de março, atingiu mais de 200 países e territórios e apresentou taxas crescentes tanto no número de casos notificados quanto no número de mortes. O gráfico abaixo mostra que no dia 01 de março havia 86,6 mil pessoas infectadas no mundo, passou para 169,6 mil casos em 15 de março

Top