Diminui a extensão do gelo marinho na Antártida, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Em nossa opinião, a evidência dos pontos de inflexão sugere que estamos em um estado de emergência planetária: tanto o risco quanto a urgência da situação são acentuados” Timothy Lenton (27/11/2019)   “Por muitas décadas, a espécie humana está em guerra com o planeta. E o planeta está revidando” António Guterres (02/12/2019)   [EcoDebate] Cai uma das últimas desculpas dos negacionistas da crise climática. A extensão de gelo marinho ao redor da Antártida que crescia ligeiramente nas

O aquecimento global e as secas podem reduzir a produção global de trigo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

"A mudança climática é agora uma emergência planetária que representa uma ameaça existencial para a humanidade" Jem Bendell     [EcoDebate] O trigo é um dos principais alimentos da humanidade. Em termos globais, o trigo é a segunda maior cultura de cereais, perdendo apenas para o arroz e ficando à frente do milho. O grão de trigo é o insumo básico para fazer pão e massas diversas para a preparação de bolos, tortas, pizzas, além

Desafios da COP25 e a Greve do Clima 29 de novembro de 2019, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Vocês não estão fazendo o suficiente” Greta Thunberg "Não precisamos de oração, precisamos de ação" Paloma Costa     [EcoDebate] A Cúpula da Ação Climática da ONU, ocorrida em Nova York, entre os dias 21 e 23 de setembro de 2019, foi precedida pelas maiores manifestações populares contra a crise ambiental. Mais de 4 milhões de jovens (com participação de adultos e idosos) chamaram a atenção para a Emergência Climática e ocuparam as ruas

Relatório Unidos na Ciência da ONU, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Somos a última geração que pode fazer a diferença entre a vida e a morte do Planeta” Jane Fonda [EcoDebate] A ONU preparou um relatório síntese (“Unidos na Ciência”) com as informações mais atualizadas sobre a crise ambiental, que foi divulgado durante a Cúpula de Ação Climática da ONU, ocorrida em Nova York, entre os dias 21 e 23 de setembro de 2019 e que serve também para a 25ª Conferência das

A crise ambiental global colocará 5 bilhões de pessoas em risco até 2050, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“É triste pensar que a natureza fala e que a humanidade não a ouve” Victor Hugo   [EcoDebate] Cinco bilhões de pessoas em todo o mundo – especialmente aquelas de comunidades mais pobres - deverão enfrentar, até 2050, um risco crescente de suportar tempestades costeiras, poluição da água e perdas de colheitas ligadas à crise climática causada pelo crescimento das atividades antrópicas. Artigo de Rebecca CHAPLIN-KRAMER, publicado na revista Science (10/2019), buscou entender e

Cientistas alertam para a emergência climática e o crescimento populacional, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Ainda crescendo em torno de 80 milhões pessoas por ano, ou mais de 200.000 por dia, a população mundial precisa ser estabilizada e, idealmente, reduzida gradualmente” Alerta dos cientistas mundiais sobre a emergência climática (05/11/2019) [EcoDebate] Mais de 11 mil cientistas de todo o mundo, de maneira reiterada, alertam a humanidade sobre a ameaça de uma iminente catástrofe ambiental e declararam que o Planeta está enfrentando uma emergência climática. O manifesto diz

BRICS ultrapassam a OCDE em emissões de CO2, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“No ano de 2078 eu farei 75 anos. Se eu tiver filhos, talvez eles passem o dia comigo. Talvez eles me perguntem sobre vocês. Talvez me perguntem por que vocês não fizeram nada enquanto ainda havia tempo para agir” Greta Thunberg [EcoDebate] O mundo vive uma emergência climática devido ao aumento imemorial da temperatura do Planeta. A temperatura média da Terra, se nada for feito urgentemente, caminha rumo ao maior valor em

A 6ª extinção das espécies é na verdade o 1º evento de extermínio em massa, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Meu desejo é um pouco mais de respeito para o mundo que começou sem o ser humano e vai terminar sem ele” Claude Lévi-Strauss     [EcoDebate] O mundo já teve cinco extinções em massa das espécies terrestres, todas elas causadas por fenômenos naturais, como a queda do asteroide que provocou, além da morte de milhões de seres, a extinção dos magníficos dinossauros, há cerca de 66 milhões de anos. Atualmente, a Terra está na iminência

A Terra teria déficit ambiental global mesmo sem os ricos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A economia é um subsistema da ecologia. Desta forma, a Pegada Ecológica gerada pela economia não pode ser maior do que a biocapacidade fornecida pela ecologia. Para manter a sustentabilidade e garantir o adequado padrão de vida da humanidade, sem degradar as condições ambientais, a Pegada Ecológica, no longo prazo, não pode ser maior do que a Biocapacidade do Planeta. Assim, é insustentável manter o crescimento da produção e

Declaração de apoio dos cientistas ao movimento ‘Rebelião ou Extinção’, por José Eustáquio Diniz Alves

"Estamos em um carro gigante, acelerando na direção de uma parede de tijolos e todo mundo fica discutindo sobre onde cada um vai sentar" (David Suzuki) [EcoDebate] O mundo vive uma emergência climática e ecológica. Nunca, no Holoceno (últimos 12 mil anos), a humanidade enfrentou uma ameaça global tão significativa. E o pior é que a ameaça existencial atual é provoca pelo estilo de vida e as formas de produção e consumo predominantes

Para garantir a sustentabilidade ecológica não basta a redução do consumo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Precisamos pegadas menores, mas também precisamos de menos pés”. (Enough is Enough, 2010) [EcoDebate] A humanidade já ultrapassou a capacidade de carga da Terra. O aumento das atividades antrópicas excedeu a resiliência do Planeta. A pegada ecológica superou os limites da biocapacidade. A presença humana no mundo está sufocando os ecossistemas e provocando um colapso na vida selvagem. Portanto, é preciso reduzir o volume das atividades econômicas para possibilitar a restauração da

Qual é o real tamanho da pobreza no mundo? artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] Existem várias maneiras de medir a pobreza no mundo. Utilizar somente a renda como parâmetro é uma metodologia muito simples, embora seja muito utilizada. Outra alternativa é olhar para a pobreza multidimensional que considera variáveis como educação, moradia, esperança de vida, etc. Um dos gráficos mais divulgados para demonstrar a redução da extrema pobreza no mundo – na ótica da renda - é este abaixo do site “Our World in

Top