Diante da mineração, qual a nossa teologia? artigo de Gilvander Luís Moreira

Diante da mineração, qual a nossa teologia? Por Gilvander Luís Moreira1   No Seminário Ecoteologia e Mineração: espiritualidades, resistências e alternativas em defesa dos territórios, realizado pela Rede Igrejas e Mineração, no município de Mariana, MG, próximo à lama tóxica do crime continuado da VALE e Estado, dias 5, 6 e 7 de novembro de 2017, na Mesa de Diálogo “Mineração e Teologias em conflito: qual a nossa teologia?”, socializamos como pistas de

20ª Romaria das águas e da terra de Minas Gerais, no noroeste de MG, coração do agronegócio, por frei Gilvander Luís Moreira

    [EcoDebate] Com o Tema: “Povos da Cidade e do Sertão Clamando por Água, Terra e Pão”; e com o Lema: “Povos, Rios, Veredas e Nascentes são Dons de Deus em Romaria e Resistência”, a 20ª Romaria das águas e da terra de Minas Gerais está acontecendo de forma processual no Noroeste de Minas, na Diocese de Paracatu, e terá celebração final dia 23 de julho de 2017, na cidade de

Jesus de Nazaré e as CEBs: da Solidariedade à luta por Justiça. Por uma pedagogia emancipatória (1ª parte), artigo de Gilvander Luís Moreira

  Jesus de Nazaré e as CEBs: da Solidariedade à luta por Justiça. Por uma pedagogia emancipatória.1 (1ª parte). Gilvander Luís Moreira2 “O camponês de Nazaré, nessa luta nos reuniu. Vem conosco caminhar, pela Terra Livre Brasil...” (Hino do 3º Congresso da PJR) "Nada a temer senão o correr da luta / Nada a fazer senão esquecer o medo / Abrir o peito à força, numa procura / fugir às armadilhas da mata escura.”

Grandes projetos, um tormento na vida dos pobres, artigo de Gilvander Luís Moreira

  Grandes projetos, um tormento na vida dos pobres1 Gilvander Luís Moreira2 [EcoDebate] Vivemos um tempo perigoso. O capitalismo, máquina de moer vidas, está funcionando a todo vapor triturando vidas de bilhões de pessoas e de outros seres da biodiversidade. Estamos em tempos de fundamentalismos, de céus povoados de anjos e entidades, de demônios por todos os lados, de gritaria de deuses, de promessas, de busca insaciável de bênçãos, de procissões, de peregrinações,

Carta aberta aos juízes: o preço de um despejo sem alternativa digna, por Frei Gilvander Luís Moreira

  Carta aberta aos juízes: o preço de um despejo sem alternativa digna. Frei Gilvander Luís Moreira1     Srs. Juízes, desembargadores e ministros do poder judiciário brasileiro, já que é tão difícil falar com vocês diretamente, o jeito é escrever-lhes uma Carta Aberta, pois o que está ocorrendo é muito grave. Espera-se de um juiz que ele faça justiça, mas as decisões judiciais - regra geral - estão abarrotando as prisões com jovens, negros

A Plenitude do Reino inclui a Luta por Justiça, Parte 1, artigo de Gilvander Luís Moreira

  A Plenitude do Reino inclui a Luta por Justiça. A Luz e a Força Divinas estão em nós e em nosso meio (Mt 19 - 28) Gilvander Luís Moreira* Obs.: Eis, aqui, a Parte 1 do Artigo “A Plenitude do Reino inclui a Luta por Justiça. A Luz e a Força Divinas estão em nós e em nosso meio (Mt 19 - 28)”, de Gilvander L. Moreira, publicado no livro Prosseguir o Caminho

Quem de fato impede o direito de ir e vir, artigo de Gilvander Luís Moreira

    Quem de fato impede o direito de ir e vir. Gilvander Luís Moreira[1] Ficou muito claro para todos os que tiveram acesso, no dia 04 de fevereiro de 2014, ao perfil no facebook de uma pessoa que tem um alto cargo de confiança na Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), MG, e que ainda por cima ocupa um cargo público de magistério, o que pensa a Administração Municipal de Belo Horizonte, e quem

Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), teimosas flores de mandacaru, artigo de Gilvander Luís Moreira

    Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), teimosas flores de mandacaru. Gilvander Luís Moreira1 Que beleza espiritual, ética e profética, o 13º Intereclesial das CEBs – Comunidades Eclesiais de Base -, na Diocese de Crato, no Ceará, em cinco cidades – Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Caririaçu e Missão Velha -, de 7 a 11 de janeiro de 2014, com o tema “Justiça e Profecia a serviço da vida” e o lema “CEBs romeiras

Jesus de Nazaré: jovem camponês da periferia, mártir e portador de uma pedagogia emancipatória, artigo de Gilvander Luís Moreira

    Jesus de Nazaré: jovem camponês da periferia, mártir e portador de uma pedagogia emancipatória. Gilvander Luís Moreira1 “O camponês de Nazaré, nessa luta nos reuniu. Vem conosco caminhar, pela Terra Livre Brasil...” (Hino do 3º Congresso da PJR) “Jovem da roça também tem valor!” (Grito da PJR desde 1985.) 1 - A partir da roça, do campo. Nasci na roça, no campo. Fiz muitos calos nas mãos no cabo da enxada tocando roça à meia

Belo Horizonte, 116 anos: Belo ou Triste Horizonte? Artigo de Gilvander Luís Moreira

  Parque Municipal, Belo Horizonte. Foto: www.minas-gerais.info [EcoDebate] Dia 12 de dezembro de 2013, Belo Horizonte, a capital do Estado de Minas Gerais, completou 116 anos de emancipação. Em uma reportagem sobre o aniversário de Belo Horizonte, uma jornalista do site www.bhaz.com.br me fez três perguntas: a) O que hoje torna a Capital mineira uma cidade única?b) Quais avanços marcaram o ano de 2013 para BH? c) Na sua opinião, quais foram

Ressonâncias de Aprendizagem Situada na Ocupação-comunidade Dandara, artigo de Gilvander Luís Moreira

  Foto: Ocupação Dandara   [EcoDebate] Jean Lave, uma antropóloga social, na Comunidade Dandara?Após cursar uma disciplina sobre Leituras de Jean Lave na Faculdade de Educação da UFMG, escrevemos esse texto com um olho nas reflexões de Jean Lave e outro olho na história e realidade de Dandara. A Dandara começou como ocupação, mas se tornou uma comunidade. Na madrugada do dia 9 de abril de 2009, plena quinta-feira da semana santa, cerca

O déficit habitacional cresce e com ele as Ocupações, artigo de Gilvander Luís Moreira

  Ocupação-comunidade Dandara   [EcoDebate] A especulação imobiliária está crescendo e com ela, o déficit habitacional e, consequentemente, as ocupações urbanas. Políticas habitacionais populares estão quase só em discursos e vãs promessas. Somente na região metropolitana de Belo Horizonte, MG, já são mais de 25 mil famílias em Ocupações urbanas, umas planejadas e outras “espontâneas”. Direitos fundamentais, como o de morar com dignidade, estão sendo violados. Somente em quatro ocupações estão cerca de

O bom Samaritano (Lc 10,25-37) entre o escriba e o dono da pensão. E a identidade do próximo? artigo de Gilvander Luís Moreira

    O bom Samaritano (Lc 10,25-37) entre o escriba e o dono da pensão. E a identidade do próximo? Gilvander Luís Moreira1 [EcoDebate] Para uma interpretação sensata e libertadora do episódio-parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37) é preciso, entre vários exercícios, analisar a postura do escriba e a do dono da pensão, a identidade do próximo e as consequências das ações do bom samaritano. Eis o que segue. O escriba diante do bom samaritano. Em

O coração da perícope do Bom Samaritano (Lc 10,25-37), artigo de Gilvander Luís Moreira

    Gilvander Luís Moreira[1] Para uma interpretação sensata e libertadora do episódio-parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37) é preciso, entre vários exercícios, analisar os versículos-chave de Lc 10,25-37, que são os versículos 33 a 35. Eis o que segue. Os versículos 33 a 35 descrevem as atitudes – a práxis - do samaritano. São versículos riquíssimos em detalhes e constituem a coluna vertebral do processo que começa com a compaixão e deságua na

Bom Samaritano (Lc 10,25-37): estudo literário, artigo de Gilvander Luís Moreira

    Bom Samaritano (Lc 10,25-37): estudo literário. Gilvander Luís Moreira1 [EcoDebate] Para uma interpretação sensata e libertadora do episódio-parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37) é preciso, entre vários exercícios, fazer um estudo literário do texto. Eis o que segue. 1 - Estudo literário do texto O texto de Lc 10,25-37 está organizado em duas partes de tamanhos diferentes com estruturas literárias com várias equivalências, conforme se segue: 1a parte (Lc 10,25-28) - 2a parte (Lc 10,29-37) Pergunta

Episódio-parábola do Bom Samaritano: organização, personagens e tema, artigo de Gilvander Luís Moreira

    Episódio-parábola do Bom Samaritano: organização, personagens e tema. Gilvander Luís Moreira1 [EcoDebate] Para uma interpretação sensata e libertadora do episódio-parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37) é preciso, entre vários exercícios, analisar a organização do texto, os personagens e a temática abordada. Eis o que segue. 1 - Organização do texto de Lc 10,25-37. Podemos chamar o texto de Lc 10,25-37 de um episódio-parábola,2 que tem como figura central “um homem semimorto”. Em torno dele,

Contexto histórico da Parábola do Bom Samaritano, artigo de Gilvander Luís Moreira

    Contexto histórico da Parábola do Bom Samaritano ( Lc 10,25-37). Gilvander Luís Moreira1 [EcoDebate] O início da vida pública de Jesus foi marcado por uma grande e crescente receptividade ao seu projeto2 pelo povo empobrecido. A princípio, ele fascinava a todos — “As multidões acorriam para Jesus” (Lc 6,17-19) —, mas, pouco a pouco, Jesus foi aprofundando sua postura, foi radicalizando sua opção pelos pequenos, marginalizados e excluídos da sociedade (Lc 4,18-19).

Seguir Jesus, desafio que exige compromisso (2ª parte), artigo de Gilvander Luís Moreira

    Seguir Jesus, desafio que exige compromisso (2ª parte). Subida de Jesus e do seu Movimento para Jerusalém, um Caminho de libertação. Gilvander Luís Moreira1 1 – Introdução. “Jesus toma a firme decisão de partir para Jerusalém.” (Lc 9,51). “Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo caminho para Jerusalém.” (Lc 13,22). Esses dois versículos emolduram a 1ª grande parte da Caminhada de Jesus e do seu movimento para Jerusalém (Lc 9,51-13,21). Muitas narrativas compõem

Seguir Jesus, desafio que exige compromisso (1ª parte), artigo de Gilvander Luís Moreira

    Seguir Jesus, desafio que exige compromisso (1ª parte). Da periferia ao centro! Da solidariedade à justiça! Gilvander Luís Moreira1 [EcoDebate] Para tratar do tema “Seguir Jesus, desafio que exige compromisso”, nos apoiaremos na 1ª parte da Viagem Lucana: Lc 9,51-13,21, que está inserida na coluna mestra do Evangelho de Lucas: Lc 9,51–19,27, onde estão os relatos da viagem de Jesus – e do seu Movimento (discípulos e discípulas) - para Jerusalém. Ao longo

Ser pobre, sim; rico, não! artigo de Gilvander Luís Moreira

    Gilvander Luís Moreira1 [EcoDebate] O evangelista Lucas não é extremista, mas é radical ao abordar a relação entre pobreza e riqueza. Ele percebe a íntima relação que existe entre pobres e ricos. Parece que Jesus e Lucas tinham claro que acumular bens é, ao mesmo tempo, roubá-los de outros. Considerado autor do Evangelho de Lucas e de Atos dos Apóstolos, Lucas é um dos escritores do Segundo Testamento que mais questiona

Top