Camponeses expulsos por latifundiários coronéis, artigo de Gilvander Moreira

  Camponeses expulsos por latifundiários coronéis Por Gilvander Moreira1 Em Salto da Divisa, na região do Baixo Jequitinhonha, MG, o coronelismo vigorou durante várias décadas até que se construíram as condições históricas materiais para questioná-lo. Foi o que fez Aldemir Silva Pinto, da coordenação do Assentamento Dom Luciano, assentado desde 2015 no Assentamento Dom Luciano Mendes, na fazenda Monte Cristo. Diz Aldemir: “Cansado de tanto ser injustiçado, eu, mesmo casado de novo, resolvi

Concentração fundiária e luta pela terra em Salto da Divisa, MG, artigo de Gilvander Moreira

Concentração fundiária e luta pela terra em Salto da Divisa, MG. Por Gilvander Moreira1 Conforme dados do Cadastro do INCRA2, a primeira e única fazenda desapropriada no município de Salto da Divisa na região do Baixo Jequitinhonha, MG, até agora foi a fazenda Monte Cristo, de 1348 hectares, que era de propriedade da Fundação Tinô da Cunha. Desapropria-se uma fazenda de uma Fundação que tem a missão de sustentar o único hospital

Luta pela terra, caminho de emancipação, artigo de Gilvander Moreira

Luta pela terra, caminho de emancipação Por Gilvander Moreira1 Em Campo do Meio, sul de Mina Gerais, Obed Vieira De Jesus, 47 anos, Sem Terra assentada no Assentamento Nova Conquista II no ex-latifúndio da ex-usina Ariadnópolis, na luta pela terra se libertou de um marido machista e, além de conquistar um pedaço de terra, resgatou a saúde de seus filhos e uma vida digna e feliz. Obed narra assim sua luta: “Vim

Com mineração, “vão-se os bens da criação, ficam miséria e destruição! E agora, José? artigo de Gilvander Moreira

  Com mineração, “vão-se os bens da criação, ficam miséria e destruição! E agora, José?” Por Gilvander Moreira1 Com o Tema "Bacia do Rio Doce, nossa Casa Comum", e  o Lema “Vão-se os bens da criação, ficam miséria e destruição! E agora, José?” aconteceu em Itabira, MG, a 4ª Romaria das Águas e da Terra da Bacia do Rio Doce, dia 02 de junho de 2019, domingo. Participaram cerca de 10 mil pessoas,

Mineração no Serro, MG? Flexibilização do Licenciamento Ambiental? NÃO! artigo de Gilvander Moreira

  Mineração no Serro, MG? Flexibilização do Licenciamento Ambiental? NÃO! Por Gilvander Moreira1 O dia 21 de maio de 2019 foi um dia histórico para o povo do município do Serro, na região do Alto Jequitinhonha, MG, pois durante 5,15 horas aconteceu Audiência Pública da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG), na cidade do Serro, no grande auditório da Escola Municipal Irmã Carvalho. O objetivo dessa

CPT, em MG, 40 anos de luta por justiça agrária ao lado dos/as camponeses/sas, por frei Gilvander Moreira

CPT, em MG, 40 anos de luta por justiça agrária ao lado dos/as camponeses/sas. Por frei Gilvander Moreira1 No Brasil, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) nasceu em junho de 1975, em plena ditadura militar-civil-empresarial. Em Minas Gerais, a CPT foi criada em 1979. Em 2019, a CPT-MG celebra 40 anos de luta por justiça agrária ao lado dos camponeses e das camponesas. Segundo Ivo Poletto, o primeiro secretário da CPT, "os

Crescem os Conflitos e a Violência no Campo; a luta também – Apresentação dos dados da CPT por Gilvander Moreira

  Crescem os Conflitos e a Violência no Campo; a luta também. Apresentação dos dados da CPT por Gilvander Moreira1 “Ai dos que ajuntam casa a casa, dos que acrescentam campo a campo, até que não haja mais lugar, de modo que habitem sozinhos no meio da terra!” (Isaías 5,8). Dia 12 de abril último (2019), na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília, a Comissão Pastoral da Terra

‘Nossa paixão pela terra vem do nosso berço’: lições da luta pela terra, artigo de Gilvander Moreira

  Nossa paixão pela terra vem do nosso berço”: lições da luta pela terra Por Gilvander Moreira1 Na luta pela terra, pela moradia ou pelo território, o despejo não põe fim à luta. Ser despejado é sempre algo traumático, mas se for elaborado, divulgado e tirado todas as lições possíveis, até os despejos podem se tornar fontes de emancipação. O Sem Terra Cesário Pereira Da Silva, do acampamento Sidnei Dias, no latifúndio da

‘Reforma’ da Previdência, projeto de vida ou de morte, artigo de Gilvander Moreira

  REFORMA' DA PREVIDÊNCIA, projeto de vida ou de morte? Por Gilvander Moreira1     Os arautos do mercado idolatrado, grandes empresários e a propaganda feita pelo governo federal do (des)governo Bolsonaro e pela grande imprensa alardeiam que é necessária a reforma da previdência e que será uma maravilha “modernizar” as regras previdenciárias. Apenas as pessoas ingênuas e alienadas, encabrestadas pela ideologia dominante, acreditam nessa gravíssima fake news (falsa notícia) apresentada às classes trabalhadora e

Autolicenciamento? Mineração zero? artigo de Gilvander Moreira

  Autolicenciamento? Mineração zero? Por Gilvander Moreira1 Sentindo-me corresponsável pelos destinos do povo, da mãe terra, da irmã água, da biodiversidade e de todos os seres vivos, no dia 29 de março último (2019) voltei à Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, para participar de mais uma Audiência Pública da Comissão dos Direitos Humanos, sobre a violência, o terror e o pânico que a mineradora Vale, com parceria do Estado de Minas Gerais,

‘No campo a gente tem liberdade e adquire saúde’: luta pela terra no sul de MG, artigo de Gilvander Moreira

  “No campo a gente tem liberdade e adquire saúde”: luta pela terra no sul de MG. Por Gilvander Moreira1 Ao lado do Assentamento Primeiro do Sul, do MST2, em Campo do Meio, no sul de Minas Gerais, e na fronteira com a maior fazenda de monocultura do café da América Latina está o megalatifúndio da ex-usina Ariadnópolis, que foi ocupado pelo MST pela primeira vez em 1998, um ano após a

Agrotóxico e câncer, não; agroecologia, sim, artigo de Gilvander Moreira

Agroecologia aponta para um modelo de produção popular e livre da 'epidemia' de câncer com o uso e a aplicação de agrotóxicos nas lavouras Agrotóxico e câncer, não; agroecologia, sim. Por Gilvander Moreira1 Já está acionada a luz vermelha sobre a relação da ‘epidemia’ de câncer com o uso e a aplicação de agrotóxicos nas lavouras de monoculturas do café, da cana, do eucalipto, do feijão, da soja e outras.     Está comprovado pelo Programa

Top